Elevação de impostos preocupa construção civil do PR

Sérgio Luiz Crema: manifesto contra “tratoraço fiscal” que impacta na construção civil


Elevação de impostos preocupa construção civil do PR

Elevação de impostos preocupa construção civil do PR 1024 635 Cimento Itambé

Desde que sancionadas pelo governador Beto Richa e pelo prefeito Rafael Greca, medidas podem impactar na retomada de crescimento do setor

Sérgio Luiz Crema: manifesto contra “tratoraço fiscal” que impacta na construção civil


Sérgio Luiz Crema: manifesto contra “tratoraço fiscal” que impacta na construção civil

Na Assembleia Legislativa foi aprovada a elevação das alíquotas de ICMS para micro e pequenas empresas, o que, dependendo da faixa em que a companhia se encontra, pode acarretar em majoração de até 58% do imposto a partir do ano que vem. Já a Câmara Municipal de Curitiba aprovou, em primeira discussão, o aumento do IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) em 4% para imóveis e 7% para terrenos sem edificação, e também encaminhou votação para elevar a alíquota do ISS e acabar com o regime simplificado para a indústria da construção civil. “Se isso se confirmar, deve prejudicar em muito as pequenas e médias empresas do setor, principalmente os prestadores de serviços, que formam a base do nosso sindicato”, afirma Crema.

Além disso, a prefeitura de Curitiba já aumentou em 12,5% a alíquota do ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis) para imóveis entre R$ 150 mil e R$ 300 mil, excluindo definitivamente o percentual de 2,4%, e elevando a taxa para 2,7%. “Em um momento em que estamos vendo a luz no fim do túnel, com perspectivas melhores para 2018, com retomada de crescimento, o governo estadual e a prefeitura de Curitiba optam por um ‘tratoraço fiscal’ que vai impactar diretamente no setor da construção civil. Somos contrários a isso, não apenas como entidade de classe, mas como empresários e cidadãos”, reforça Sérgio Luiz Crema, que no dia 6 de dezembro de 2017 promoveu uma apresentação sobre as perspectivas para 2018 na construção civil paranaense.

Geração de empregos

Marcos Kahtalian: 34% das empresas do setor da construção civil desejam contratar em 2018

Marcos Kahtalian: 34% das empresas do setor da construção civil desejam contratar em 2018

Tirando as surpresas fiscais, o SindusCon-PR apresentou dados que apontam para um viés de alta no próximo ano. Um dos números mais relevantes mostra que no terceiro trimestre de 2017 (julho, agosto e setembro) o investimento na construção civil cresceu 1,6%. Foi o primeiro índice positivo em 15 trimestres – equivalente a três anos e nove meses. Com isso, os indicadores de confiança do setor também cresceram. Segundo o consultor de mercado do SindusCon-PR, Marcos Kahtalian, caiu drasticamente o número de empresários da construção que pensa em demitir em 2018. Entre os entrevistados, 54% planejam manter seu quadro de empregados, 34% projetam aumentar e apenas 12% têm a perspectiva de reduzir o número de colaboradores. “São sinais positivos, que não vemos desde o segundo semestre de 2014”, finaliza Kahtalian.

Veja o balanço de 2017 do SindusCon-PR e as projeções para 2018

Entrevistados
Engenheiro civil Sérgio Luiz Crema, presidente do SindusCon-PR, e Marcos Ka
htalian, especialista em marketing e consultor de mercado do SindusCon-PR (com base em entrevista coletiva concedida por ambos, em 6 de dezembro de 2017)

Contato: imprensa@sindusconpr.com.br

Crédito Fotos: SindusCon-PR

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no Massa Cinzenta e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil