MASP realiza o maior projeto de restauro desde a sua inauguração

Obras incluem restauração e repintura de pilares, vigas e laje de cobertura do vão livre

MASP passa por obras de restauro em suas estruturas.
Crédito: Assessoria de Imprensa / MASP

Quem passa pela Avenida Paulista vem notando uma diferença significativa na paisagem urbana. A icônica cor vermelha da fachada do MASP (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand) está temporariamente cinza devido a uma importante etapa do projeto de preservação do histórico Edifício Lina Bo Bardi, com o objetivo de recuperar o concreto que sofreu desgastes pela ação do tempo e exposição às intempéries. 

Pela primeira vez na sua história desde a sua inauguração, em 1968, serão realizadas a restauração e a repintura dos pilares e vigas externas do museu, bem como da laje de cobertura do vão livre.

Leia também: https://www.cimentoitambe.com.br/massa-cinzenta/italia-homenageia-lina-bo-bardi-a-arquiteta-do-concreto-armado/

“É a primeira vez que essas estruturas passam por um processo que leva em consideração critérios e parâmetros de restauro e preservação do patrimônio histórico. Nós assumimos o compromisso de aplicar metodologias científicas em todas as etapas, mantendo um rigor técnico que será também aplicado durante a obra no vão livre”, explica Miriam Elwing, gerente de Projetos e Arquitetura do MASP.

De acordo com a prefeitura de São Paulo, a previsão inicial é de que a obra dure mais de 6 meses. Porém, os trabalhos de restauro não afetam a programação do museu, que permanecerá aberto ao público durante todo o processo.  

Projeto de restauro

De acordo com a gerente de Projetos e Arquitetura do MASP, Miriam Elwing, tudo começou com uma pesquisa histórica e um levantamento documental sobre a estrutura do edifício para compreender todas as intervenções implementadas em seus pilares e vigas, desde a sua construção até o período atual. 

“É a primeira vez que essas estruturas passam por um processo que leva em consideração critérios e parâmetros de restauro e preservação do patrimônio histórico. Nós assumimos o compromisso de aplicar metodologias científicas em todas as etapas, mantendo um rigor técnico que será também aplicado durante a obra no vão livre”, explica Elwing.

Além disso, diversos testes também foram feitos para retomar a cor vermelha dos pórticos, identidade característica da edificação. 

Processos que constam no restauro do museu:
* Limpeza da laje;
* Mapeamento de manifestações patológicas;
* Testes de recuperação;
* Restauro do concreto armado.

O engenheiro Roberto Racanicchi, conselheiro do Crea-SP, explica que devido à porosidade do concreto, uma das possíveis consequências nas estruturas em concreto armado pode ser a corrosão da armadura em decorrência de mecanismos de oxidação. “O principal fator de um restauro estrutural na questão do concreto armado é a recuperação do aço. É preciso inserir produtos químicos, eliminando a ferrugem e protegendo os microporos que se formam no concreto para evitar a corrosão futura”, esclarece.


Nanotecnologia para eliminar a oxidação e consequente corrosão das armaduras

No MASP, para reparo do concreto armado dos pórticos, estão sendo utilizados dois produtos químicos de nanotecnologia que atuam diretamente na armadura da estrutura, de modo a mitigar o processo de oxidação. Tudo de forma não invasiva, ou seja, sem a necessidade de expor as barras completamente.

Produtos de nanotecnologia serão aplicados para mitigar a corrosão das armaduras.
Crédito: Assessoria de Imprensa / MASP

Além disso, para acompanhamento e antecipação à potenciais adversidades, foram instalados sensores de monitoramento em algumas estruturas.

Pintura protege a estrutura

Para aplicar novamente a cor vermelha característica do MASP, foram desenvolvidas tecnologias de ponta, que oferecem extrema resistência com a finalidade de estender a vida útil da pintura

Mas a cor vermelha da pintura da fachada do MASP vai muito além da função estética. Racanicchi aponta que a pintura é uma proteção da corrosão das armaduras, porque promove uma camada protetora dos microporos presentes no concreto.

Quanto maior a espessura da pintura, maior a probabilidade de reduzir as consequências causadas pelas intempéries que chegam até o aço, que é o elemento ativo do concreto armado”, ressalta.

Considerado uma das principais obras da arquitetura, o prédio do MASP é tombado pelas três instâncias de proteção ao patrimônio: no âmbito estadual pelo Condephaat (1982), no municipal pelo Conpresp (1991) e no nacional pelo IPHAN (2008). E, ao que tudo indica, continuará sendo um ícone ainda mais forte de São Paulo.

De acordo com a prefeitura de São Paulo, a previsão inicial é de que a obra dure mais de 6 meses. Porém, os trabalhos de restauro não afetam a programação do museu, que permanecerá aberto ao público durante todo o processo.  

Entrevistado

Roberto Racanicchi é conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo (Crea-SP). Engenheiro civil formado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Ilha Solteira, soma várias especializações na área de estruturas, é mestre em Engenharia Civil com foco em estruturas e também é docente, há 23 anos, no ensino superior, ministrando disciplinas de concreto armado e fundações. Há 20 anos presta serviços, pela sua empresa, como projetista e construtor para a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU), atuando especialmente com projeto estrutural, de fundação e de contenção. Além disso, tem experiências em projeções de pontes e obras de grande porte.

Contato
Assessoria de Imprensa CREA-SP: crea-sp@cdicom.com.br

Jornalista responsável
Ana Carvalho
Vogg Experience

A opinião dos entrevistados não reflete necessariamente a opinião da Cia. de Cimento Itambé. 



Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo