Trump planeja investir US$ 1,7 trilhão em infraestrutura

Prioridades são reformas e construções de estradas e pontes, além de recursos para treinar mão de obra e erguer o muro na fronteira com o México

Prioridades são reformas e construções de estradas e pontes, além de recursos para treinar mão de obra e erguer o muro na fronteira com o México

Em seu discurso anual para senadores e deputados, realizado em 30 de janeiro, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu autorização para investir US$ 1,7 trilhão (cerca de
R$ 5,6 trilhões) em infraestrutura, a partir de 2018. O pacote inclui construção e recuperação de estradas e pontes – tanto de transporte rodoviário como ferroviário -, além de dar solvência ao Highway Trust Fund, que permite empréstimos federais para financiar a construção de estradas. O plano de Trump também quer remover “restrições” às parcerias público-privadas, além de dar início à muralha de concreto na fronteira com o México.

Donald Trump no Congresso dos Estados Unidos: pedido de autorização para investir US$ 1,7 trilhão em infraestrutura
. Crédito: Myles Cullen/Casa Branca
Donald Trump no Congresso dos Estados Unidos: pedido de autorização para investir US$ 1,7 trilhão em infraestrutura
. Crédito: Myles Cullen/Casa Branca

A estratégia de Trump é contar com a participação da iniciativa privada em seu projeto de obras. Por isso, o plano promete desonerar o equivalente a US$ 200 bilhões (aproximadamente R$ 700 bilhões) em impostos federais para que o setor privado injete pelo menos US$ 1 trilhão nos investimentos em infraestrutura, promovendo parcerias com os estados. “Todo dólar que ficar livre de impostos federais deve ser alavancado para corrigir permanentemente nosso déficit de infraestrutura. A prioridade é construir novas estradas, pontes, vias férreas e vias navegáveis”, disse.

Outra meta do programa de Trump é treinar a mão de obra da construção civil norte-americana. Com as restrições aos imigrantes, que ocupavam boa parte dos empregos no setor, estima-se que haja atualmente um déficit de 200 mil postos não preenchidos. Para convencer os jovens norte-americanos a trabalharem na construção civil é necessário ter bons salários como contrapartida. Isso só será possível treinando-os, para se adequarem às novas tecnologias e sistemas construtivos. “Vamos abrir escolas profissionalizantes para que nossos futuros trabalhadores possam aprender a arte da construção civil moderna em todo o seu potencial”, discursou Trump.

Problemas e soluções

Outro lado do programa voltado para modernizar a infraestrutura norte-americana dedica financiamento para sistemas de transporte inovadores, como o Hyperloop. O plano tem seis pontos principais, que são:
Incentivos para cidades e estados, a fim de que eles criem fluxo de receita dedicado para seus próprios projetos.
Subsidiar recursos para os estados rurais, principalmente para investimentos destinados ao acesso à banda larga.
Expansão dos programas existentes de empréstimos federais, através da Lei de Finanças e Inovação de Infraestrutura de Transportes (Transportation Infrastructure Finance and Innovation Act [TIFIA]) e do Programa de Financiamento de Reabilitação e Melhoramento de Estradas de Ferro (Railroad Rehabilitation & Improvement Financing [RRIF]).
Investimento em projetos transformadores, como o Hyperloop, que vão precisar de estímulos fiscais para atrair financiamento privado.
Desenvolvimento da mão de obra da construção civil, através de programas que garantam treinamento e preparo para as novas tecnologias e a indústria 4.0.
Desburocratização para a aprovação de projetos voltados a obras de infraestrutura.

Já o que estimula o pacote de Trump são os seguintes pontos avaliados pelo Government Accountability Office (GAO) da Casa Branca, e que detectou os seguintes problemas no país:

– Os Estados Unidos ocupam o 10º lugar no mundo em qualidade da infraestrutura, de acordo com o Fórum Econômico Mundial.
– Uma (1,6 quilômetro) em cada cinco milhas (8 quilômetros) de pavimento de estrada dos EUA está em más condições.
– Desde 2014, os americanos perdem o equivalente a US$ 6,9 ​​bilhões por ano com as horas desperdiçadas em congestionamentos nas estradas.
– Um terço das pontes dos Estados Unidos tem 50 anos ou mais.
– Os Estados Unidos enfrentam cerca de 240 mil interrupções por ano no abastecimento de água, por causa do rompimento de adutoras.
– As licenças ambientais nos EUA duram, em média, sete anos para serem liberadas.

Confira o discurso de Donald Trump no Congresso dos EUA

 

Entrevistado
Reportagem com base no relatório apresentado ao Congresso dos Estados Unidos, durante o discurso de Donaldo Trump, em 30 de janeiro de 2018
Contato: internships@ceq.eop.gov

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo