Sustentabilidade vira aliada da Norma de Desempenho

Além de exigir o cumprimento da ABNT NBR 15575, certificações de prédios verdes também ajudam a solucionar dúvidas de construtores

Além de exigir o cumprimento da ABNT NBR 15575, certificações de prédios verdes também ajudam a solucionar dúvidas de construtores

Por: Altair Santos

Em vigor há dois anos, a Norma de Desempenho ainda enfrenta resistência, mas também já conta com aliados no ambiente da construção civil. Entre eles, as certificações sustentáveis. Além de reforçar a necessidade de a ABNT NBR 15575 ser executada, pois atrelam a concessão da certificação ao cumprimento da norma, os selos verdes também ajudam a melhorar itens da NBR 15575. Sobretudo nos quesitos relacionados a desempenho térmico e lumínico, como revelam as arquitetas Márcia Menezes e Tássia Marques, que atuam no Centro de Tecnologia de Edificações (CTE).

Márcia Menezes: cumprimento da Norma de Desempenho é exigido para todas as certificações sustentáveis
Márcia Menezes: cumprimento da Norma de Desempenho é exigido para todas as certificações sustentáveis

Para mostrar a existência de vários pontos em comum entre a Norma de Desempenho e as certificações sustentáveis, as profissionais palestraram no Greenbuilding Brasil 2015, que aconteceu na cidade de São Paulo entre 11 e 13 de agosto. Basicamente, explicou Márcia Menezes, a única diferença entre as certificações sustentáveis e a Norma de Desempenho é que os selos verdes são opcionais e a ABNT NBR 15575 é obrigatória para a construção de edificações habitacionais e comerciais. “Dos catorze pontos fundamentais de uma construção, sob o ponto de vista do usuário, em doze a norma e as certificações coincidem”, diz a diretora da Unidade de Inovação & Tecnologia do CTE.

Estes pontos referem-se a desempenho térmico, conforto acústico, desempenho lumínico, durabilidade, segurança, entorno do prédio, gestão de resíduos, usabilidade, conservação e manutenção, qualidade sanitária, projeto e mão de obra qualificada. “A Norma de Desempenho faz um ordenamento destes itens e das normas específicas que tratam deles em uma construção. Isso elimina o risco de experimentos na obra. Qualquer sistema (construtivo) ou produto, de acordo com o que determina a NBR 15575, terá de comprovar que passou por ensaios para ser aceito no canteiro de obras”, completa Márcia Menezes.

Tássia Marques: certificações ajudam a aprimorar a ABNT NBR 15575
Tássia Marques: certificações ajudam a aprimorar a ABNT NBR 15575

Sombras e insolação

Norma de Desempenho e certificações para construções verdes estão intrinsecamente ligadas pelas três grandes categorias de que elas tratam: segurança, habitabilidade e sustentabilidade. No entanto, selos como LEED e Aqua têm elementos que ajudam a aprimorar a ABNT NBR 15575, principalmente nos pontos relacionados a desempenho térmico e lumínico. De que forma? Com base na certificação Aqua, a arquiteta Tássia Marques mostrou estudo realizado pelo CTE, que simulou várias situações de sombreamento, insolação e ventilação, comparando-as com o que pede a norma.

Em síntese, a Norma de Desempenho é pouco descritiva em relação às regiões bioclimáticas do Brasil quando cobra desempenho térmico e lumínico. Para compensar essa fragilidade, a melhor solução é adotar parâmetros estabelecidos nas certificações sustentáveis. Cada região tem pontos cardeais com maior ou menor eficácia em relação a sombreamento e insolação. Em Curitiba, como exemplo, as habitações voltadas para o sudoeste são as que menos recebem a incidência da luz solar, independentemente da estação do ano. Assim é também com outras cidades, o que obrigaria a Norma de Desempenho ser mais abrangente ao tratar das questões térmicas e lumínicas em cada bioclima do país.

Entrevistadas
Arquiteta Márcia Menezes, diretora da unidade de Inovação & Tecnologia do Centro de Tecnologia de Edificações (CTE)
Arquiteta Tássia Marques, consultora de eficiência energética do Centro de Tecnologia de Edificações (CTE)

Contatos
marciame@cte.com.br
comunicação@cte.com.br

Créditos fotos: Divulgação/Cia. Cimento Itambé

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo