O Oscar dos arranha-céus vai para…

Prêmio concedido desde 2000 elege os melhores projetos arquitetônicos e executivos de prédios com mais de 100 metros de altura

Prêmio concedido desde 2000 elege os melhores projetos arquitetônicos e executivos de prédios com mais de 100 metros de altura

Por: Altair Santos

Wangjing SOHO, em Pequim: última obra que a arquiteta Zaha Hadid entregou em vida
Wangjing SOHO, em Pequim: última obra que a arquiteta Zaha Hadid entregou em vida

Criado em 2000, o Emporis Award Skyscraper elege anualmente o edifício mais bem construído do mundo, sob o aspecto de engenharia, arquitetura e sustentabilidade. O troféu é concedido apenas a prédios com altura a partir de 100 metros, e que mostrem excelência em seus projetos. A eleição é feita por um corpo de jurados formado por arquitetos que não estejam concorrendo, jornalistas especializados em arquitetura e construtores.

A mais recente eleição escolheu o complexo de edifícios Wangjing SOHO, construído em Pequim (China), entre mais de 300 obras inscritas. Concebido por Zaha Hadid, foi o último projeto em vida da conceituada arquiteta, que morreu em março de 2016. Os três prédios que formam o Wangjing SOHO têm vários elementos que são marcas registradas de Hadid, como linhas curvas, fachadas em vidro e estruturas mistas em aço e concreto. As torres do complexo medem, respectivamente, 118, 127 e 200 metros.

O segundo colocado foi o Bosco Verticale (Floresta Vertical), construído em Milão, na Itália, pelo Boeri Studio. São duas torres – uma com 105 metros e outra com 78 -, consideradas um marco no campo da construção sustentável. A fachada e as varandas são cobertas por mais de 700 árvores e 90 espécies diferentes de plantas, que ajudam a atenuar o ruído e controlar a temperatura no interior dos apartamentos.

Bosco Verticale, em Milão: floresta vertical em plena metrópole europeia
Bosco Verticale, em Milão: floresta vertical em plena metrópole europeia

A medalha de bronze na eleição do Emporis Award Skyscraper ficou com o prédio Tour D2, construído em Courbevoie, na França. A torre de 171 metros tem formato que lembra um diamante, cuja fachada envidraçada faz com que brilhe como uma joia em dias ensolarados. Na cúpula do prédio corporativo foi construído um jardim com 500 m², que é aberto ao público. O projeto é do escritório francês Agence d’Architecture Anthony Béchu.

Prédios inteligentes

Além de altura superior a 100 metros, outra exigência para quem concorre ao Emporis Award Skyscraper é que a edificação esteja concluída pelo menos seis meses antes da votação. Em 15 edições, Estados Unidos, Inglaterra e Canadá foram os países que tiveram o maior número de edifícios eleitos. Já a cidade de Nova York é o endereço de três edifícios vencedores. Entre eles, o primeiro a ganhar o prêmio: o hotel Sofitel, com 109 metros de altura, em 2000.

Tour D2: fachada em formato de diamante se destaca entre os demais prédios
Tour D2: fachada em formato de diamante se destaca entre os demais prédios

Dos escritórios vencedores, o Foster+Partners é o único que conseguiu ganhar mais de uma vez. O arquiteto britânico levou os prêmios de 2003 e 2006. Em comum, os projetos contemplados possuem certificações de sustentabilidade e cronograma enxuto da obra. A maioria levou entre um ano e meio e dois anos para ser executada. Outra característica destes prédios está no uso de tecnologias de ponta da construção civil.

Aliás, destaca Daniel Schuldt, diretor do Emporis Award Skyscraper, os critérios sustentabilidade, eficiência na construção e design passaram a pesar mais nas indicações dos vencedores que a altura dos arranha-céus, propriamente dita. “Quando o prêmio foi criado, a altura tinha um peso significativo. Porém, de 2010 para cá, outros elementos ganharam mais importância na definição dos prédios vencedores. Diria que, quanto mais inteligente o prédio, mais ele tem chances de vencer”, afirma.

Entrevistado
Daniel Schuldt, diretor do Emporis Award Skyscraper (via departamento de imprensa)

Contato
info@emporis.com

Crédito Fotos: Zaha Hadid Architects/Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo