Engenharia recupera força com frente parlamentar

No Congresso, deputados-engenheiros se unem para, entre outros temas, qualificar projetos e melhorar planejamento das obras federais.

No Congresso, deputados-engenheiros se unem para, entre outros temas, qualificar projetos e melhorar o planejamento das obras federais

Por: Altair Santos

Na Câmara Federal há 69 parlamentares vinculados às engenharias e ao setor da construção civil. Preocupados com a perda de espaço deste segmento dentro do governo central – hoje dominado por advogados, administradores e economistas -, os deputados se uniram para criar uma frente parlamentar que faça a engenharia reocupar seu espaço no organograma do poder público.

Deputado federal Augusto Coutinho: engenheiros precisam recuperar cargos estratégicos no poder público.

O grupo já coletou a assinatura de outros 170 parlamentares para a instalação da frente, que nasce com cinco pontos fundamentais:
• Criar um mutirão no Congresso Nacional para que projetos vinculados à infraestrutura e outras obras sejam viabilizados.
• Aproximação dos organismos de engenharia das lideranças políticas.
• Acompanhamento pelo sistema Confea-Crea dos projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional de assuntos de interesse da engenharia.
• Formalização de ações contínuas sobre os projetos de lei em tramitação, e pelo impacto desses sobre a atual legislação do exercício e da organização profissional.
• Levar a frente da engenharia também para as assembleias legislativas e câmaras municipais.

Batizada de Frente Parlamentar de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, a organização é liderada pelo deputado federal Augusto Coutinho (DEM-PE), que tem mantido reuniões com presidentes dos Creas para estabelecer uma agenda de trabalho. “Eles estão nos ajudando a levantar projetos relevantes, que estão parados no Congresso, e que estejam direta ou indiretamente ligados ao setor. O papel da frente será servir de ferramenta para que as votações sejam viabilizadas”, explica o deputado federal, que é engenheiro civil.

A frente também pretende influenciar nos projetos que ainda não saíram do papel dentro do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e do Minha Casa, Minha Vida. “Quando conversamos com os governantes estaduais e municipais, a falta de planejamento dos projetos é sempre criticada. O poder público federal tem se mostrado ineficiente nesta etapa preliminar das obras. Se os projetos forem bem feitos, contando com a participação de engenheiros, iremos ver o destravamento de diversas obras que hoje andam a passos muito lentos”, cita Augusto Coutinho.

O representante da frente avalia ainda que os parlamentares ligados à construção civil deveriam ser mais ouvidos para melhorar o desempenho do Minha Casa, Minha Vida. “O governo diz que faz muito mais do que na realidade executa. Esse programa poderia realmente estar combatendo o déficit habitacional no Brasil, pois o país ficou muitos anos sem uma política específica para a área. Além disso, ele é relevante para gerar emprego e servir como um importante indutor de crescimento. Avalio que a frente tem muito a contribuir”, afirma o deputado federal.

A Frente Parlamentar de Engenharia, Arquitetura e Agronomia deverá ter uma atuação mais relevante a partir de 2014. Depois de montada dentro do Congresso Nacional, ela será formalizada junto ao sistema Confea-Crea e lançada oficialmente dia 11 de dezembro (Dia do Engenheiro) e quando o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) completa 80 anos. “Até lá, também está na pauta debater questões como a grade curricular das escolas de engenharia e a importação de engenheiros. É muito importante para o Brasil ter a profissão de engenharia bem consolidada e bem estruturada”, completa Augusto Coutinho.

Entrevistado
Augusto Coutinho
Currículo
– Augusto Rodrigues Coutinho de Melo é graduado em engenharia civil pela Escola Politécnica da Fundação de Ensino Superior de Pernambuco (Fesp), hoje Universidade de Pernambuco (UPE), em 1986
– Já atuou com empresário da construção civil e ocupou o cargo de diretor do Sindicato da Construção Civil de Pernambuco (SindusCon-PE). Também representou a categoria na Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE)
– Ocupou cargos de secretário municipal e estadual de habitação
– Foi vereador de Recife, deputado estadual e está em seu primeiro mandato como deputado federal (DEM-PE)
Contatos: dep.augustocoutinho@camara.leg.br / pessoal@augustocoutinho.com.br
Créditos foto: Divulgação autorizada

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo