Contra o calor, Los Angeles faz asfalto mimetizar concreto

Cidade dos EUA combate altas temperaturas com tecnologia que reduz a absorção do calor causada pelos pavimentos

Contra o calor, Los Angeles faz asfalto mimetizar concreto

Contra o calor, Los Angeles faz asfalto mimetizar concreto 520 310 Cimento Itambé
CoolSeal

Além do programa CoolSeal, que pinta as ruas de Los Angeles em tons cinza claro, Los Angeles também pesquisa pavimentos de concreto que não retenham o calor. Crédito: Prefeitura de Los Angeles

Los Angeles, na Califórnia-EUA, já se prepara para o verão 2019 e prevê temperaturas superiores a 40 °C no auge da temporada. Cercada por deserto, e com grande quantidade de ruas asfaltadas, a principal cidade do oeste dos Estados Unidos é um paraíso para as chamadas “ilhas de calor”. Há pontos em que a temperatura se eleva até 10 °C acima do que, de fato, marcam os termômetros oficiais. Para minimizar esse efeito, a prefeitura de Los Angeles está testando pintar as ruas asfaltadas com tinta cinza claro. A ideia é mimetizar o efeito causado pelo pavimento de concreto, que não absorve tanto o calor quanto o asfalto e, consequentemente, reduz o impacto das “ilhas de calor” (UHI, do inglês urban heat island).

O programa foi batizado de CoolSeal (selo fresco, na tradução literal) e deve se manter pelos próximos 20 anos. Ele inclui também a substituição do asfalto pelo concreto em vias mais movimentadas, e que recebem tráfego pesado. A meta é reduzir em 2 °C a temperatura de Los Angeles, até 2039. Para o departamento de manutenção de ruas da prefeitura da cidade, os resultados têm sido animadores. Em algumas ruas onde foi aplicado o CoolSeal, a temperatura do pavimento ficou até 9 °C mais baixa. A tinta usada foi inicialmente desenvolvida para a indústria de defesa dos Estados Unidos, que buscava reduzir a temperatura das pistas de decolagem para impedir que satélites espiões usassem raios infravermelhos para localizar aviões.

Universidade da Califórnia desenvolve argamassa cimentícia que baixa temperatura

O produto aplicado nas ruas de Los Angeles foi aperfeiçoado para absorver ainda menos o calor produzido pela luz solar. O problema tem sido o custo. Por milha (1,6 quilômetro), a aplicação do produto equivale a 40 mil dólares. A tinta tem durabilidade de 7 anos. Por isso, outras soluções estão em desenvolvimento para enfrentar as “ilhas de calor”. O departamento de energia do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, ligado à Universidade da Califórnia, desenvolveu uma argamassa cimentícia com nanotecnologia que, quando aplicada sobre o asfalto, consegue baixar a temperatura do pavimento em até 11 °C. A pesquisa é financiada pela fundação Emerald Cities e a descoberta foi batizada de “Cool Pavement”.

O produto foi aplicado inicialmente sobre a área do estacionamento de uma escola de Los Angeles, onde a temperatura do asfalto ao meio-dia se aproximava dos 60 °C. Os resultados positivos estimularam a Emerald Cities a lançar o programa “100 Cities Project”, que pretende testar o “Cool Pavement” em outras 99 cidades dos Estados Unidos, e que tenham alta incidência de “ilhas de calor”. A pesquisa também comprova que o estado da Califórnia é, atualmente, o local de onde partem os estudos mais avançados sobre pavimento em concreto e seus derivados. Exatamente pela necessidade de buscar alternativas que combatam as altas temperaturas geradas pelo asfalto.

Além disso, testes secundários com o “Cool Pavement” revelaram que o produto melhorou a abrasão, o que resultou em melhor frenagem dos veículos, e também aumentou a resistência à compressão em até 10%, elevando o tempo de vida útil do pavimento. 

Entrevistado
Bureau da Engenharia da prefeitura de Los Angeles
(via assessoria de imprensa)

Contato: eng.pm.lastreetcarproject@lacity.org

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no Massa Cinzenta e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil