Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Robô-pedreiro pode assentar mil tijolos por hora

Gestão de Obras, Gestão Estratégica, Mercado da Construção 12 de agosto de 2015

Expertise do equipamento é assentar tijolos, seja em casas ou em prédios com poucos pavimentos. Invenção é da australiana Fastbrick Robotics

Por: Altair Santos

Em um ano, a australiana Fastbrick Robotics promete lançar no mercado o Hadrian. Trata-se de uma máquina inteligente, que opera de acordo com a planta em 3D (BIM ou CAD) implantada em sua memória. A expertise do equipamento é assentar tijolos, seja em casas ou em prédios com poucos pavimentos. O alcance de seu telescópio articulado é de 28 metros e, segundo o fabricante, pode assentar mil tijolos por hora, seja em paredes estruturais ou de vedação.

Hadrian tem um telescópio que alcança até 28 metros de altura.

Hadrian tem um telescópio que alcança até 28 metros de altura.

Hadrian leva esse nome em homenagem ao imperador Adriano, que governou no período em que foi erguido o Panteão de Roma. Mas, para popularizar a invenção, a própria fabricante já passou a chamar a máquina de robô-pedreiro. Na verdade, ela substitui uma equipe de operários, pois consegue trabalhar 20 vezes mais rápido do que um humano, na mesma tarefa.

Pela projeção da Fastbrick Robotics, quando chegar ao mercado o robô estará ajustado para auxiliar na construção de até 150 casas com 100 m² por ano. Por causa de seu longo telescópio, também virá programado para atender demandas em edifícios com até 8 pavimentos. “O Hadrian reduz o tempo total de construção de uma casa padrão em aproximadamente seis semanas”, diz o CEO da fabricante, Mike Pivac.

O diretor da Fastbrick Robotics também tenta minimizar a versão de que a máquina poderá causar desemprego no setor da construção civil. “No nosso entender, não tira empregos de humanos. Na Austrália, por exemplo, esse tipo de mão de obra, o de assentador de tijolos, está desaparecendo, pois é pouco qualificada. O Hadrian abrirá espaço no canteiro de obras para profissionais com mais especialidades”, avalia.

Robô opera de acordo com a planta em 3D implantada em sua memória.

Robô opera de acordo com a planta em 3D implantada em sua memória.

Maior precisão, menor desperdício

O robô não apenas ajusta o tijolo, como requer a planta, como também coloca a argamassa e verifica o nivelamento. “O sistema de navegação e de estabilização gera precisão milimétrica. Nos testes, o maior desnível que encontramos foi de 0,5 milímetros. Além disso, em uma casa-padrão, com 100 m², a máquina gerou economia de 30% no consumo de argamassa e volume de resíduos 95% menor se comparado a um humano”, observa Mike Pivac.

O CEO da Fastbrick Robotics afirma ainda que, por causa do elevado nível de precisão do robô, o acabamento fino – ou seja, a colocação do revestimento das paredes – pode ser iniciado logo que o assentamento de tijolos esteja concluído. Mike Pivac garante também que o equipamento é ajustável a qualquer tipo de tijolo, seja ele cerâmico ou bloco de concreto. “A máquina se adapta ao projeto que é gravado em sua memória e ao tipo de material por ele definido”, assegura.

Para Pivac, a chegada da robótica na construção civil é algo inevitável. “O setor, por muitas décadas, se acomodou com processos rudimentares, mas a cobrança por produtividade exige essa evolução. Comparando com a indústria automobilística, ficamos muito para trás. Acredito que o Hadrian é um passo importante para uma nova era na construção civil”, finaliza.

Confira animação que mostra o robô-pedreiro em ação

Entrevistado
Engenheiro mecânico Mike Pivac, CEO da Fastbrick Robotics
Contatos
info@cygnetcapital.com.au
www.fastbrickrobotics.net

Créditos fotos: Divulgação/Fastbrick Robotics

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também:

3 Comentários