Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Fabricon propõe quebra de juros altos na construção civil

Agenda de Eventos, Mercado da Construção, Universidade e Pesquisa 27 de maio de 2015

Evento realizado recentemente em Blumenau-SC discutiu rompimento com paradigma econômico para que setor volte a crescer no Brasil

Por: Altair Santos

A Feira Brasileira de Fabricantes da Construção Civil (Fabricon), realizada entre 20 e 24 de maio em Blumenau-SC, confirmou uma tendência que se consolida em eventos deste porte: a de que os expositores querem atrair o público certo, para fechar negócios. “Diante da crise, as feiras têm sido usadas como ferramentas de venda e não de marketing institucional, para reafirmar a marca. Assim, o objetivo é mobilizar quem realmente quer comprar e, dentro do evento, realizar promoções que, de fato, concretizem negócios”, afirma Júlio César de Oliveira, diretor da Via Ápia Eventos – empresa promotora da Fabricon e da Fenahabit.

Júlio César de Oliveira, da Fabricon: debater alternativas para romper com juros altos é saída para cadeia produtiva da construção civil.

Júlio César de Oliveira, da Fabricon: debater alternativas para romper com juros altos é saída para cadeia produtiva da construção civil.

O evento em Blumenau mostrou a disposição dos expositores em baixar preços. Para vendas realizadas dentro da feira, fabricantes de maquinários e fornecedores de serviços e produtos conseguiram linhas de crédito mais baratas e ofereceram descontos entre 10% a 15% para quem comprasse à vista. “Este ano, as feiras envolvendo a cadeia produtiva da construção civil terão essa tendência: a de criar um viés contrário ao dos juros e dos preços altos. Isso é uma forma, mesmo que limitada ao ambiente da feira, de demonstrar que é possível propor uma quebra nos juros altos, através de linhas de crédito alternativas”, explica Júlio César de Oliveira.

Esse modelo fez com que a Fabricon fechasse negócios na ordem de R$ 120 milhões. O valor superou em 20% a expectativa inicial. Durante os cinco dias da feira, 86 expositores de mais de 150 marcas receberam 21.900 visitantes. “É a demonstração de uma nova tendência das feiras em períodos de crise. Elas investem no credenciamento online, direcionando o foco para especialistas, corpos técnicos e áreas comerciais das empresas, que são realmente os que fecham negócio. Isso, combinado com um ambiente favorável para comprar, através de promoções e linhas de crédito mais baratas, ainda que momentâneas, tende a fazer das feiras um ambiente com menos público, mas com mais negócios fechados”, avalia o promotor da Fabricon.

Feira realizada em Blumenau apresentou inovações, como aditivos que aceleram secagem da argamassa para assentar tijolos.

Feira realizada em Blumenau apresentou inovações, como aditivos que aceleram secagem da argamassa para assentar tijolos.

Inovações
Em 2015, as feiras – em especial as relacionadas com a cadeia produtiva da construção civil – tendem a investir maciçamente em inovações. “No caso da Fabricon, tudo que gerasse mais produtividade e menor tempo para a conclusão da obra atraiu mais interessados. Os construtores estão em busca de soluções tecnológicas que os façam ganhar tempo e reduzir custos. Isso também é uma forma de baratear o preço final e fugir dos juros altos”, entende Júlio César de Oliveira.

Entre os produtos expostos na Fabricon, os que obtiveram maior volume de venda foram argamassas de secagem rápida e para acabamento – boa parte delas produzidas em fábricas instaladas em Santa Catarina. À base de cimento, combinado com aditivos que aceleram a evaporação da água, o material serve tanto para assentar tijolos cerâmicos e blocos de concreto quanto para fazer o reboco e o acabamento final de paredes de vedação.

Foram expostas três linhas de produtos. A mais potente é recomendada para fixar portas e janelas, grades, motores de portões, ganchos e suporte de máquinas elétricas. Uma segunda linha é indicada para tampar furos originários de quadros afixados em paredes e recuperar quinas danificadas ou fissuras. Outro tipo de produto é usado para preencher buracos em ambientes internos e externos, fixar eletrodutos e canos hidráulicos e ainda se mostra eficiente para fixação de buchas.

Feira atraiu 21.900 visitantes e fechou negócios na ordem de R$ 120 milhões.

Feira atraiu 21.900 visitantes e fechou negócios na ordem de R$ 120 milhões.

Entrevistado
Júlio César de Oliveira, diretor da Via Ápia Eventos – empresa promotora da Fabricon e da Fenahabit

Contato
www.viaapiaeventos.com.br/feirafabricon
www.facebook.com/fenahabitfabricon
@Fenahabit

Créditos fotos: Divulgação/Fabricon

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também:
Comentários Fechados