Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

ABNT NBR 12655: o que muda no preparo do concreto

Área Técnica, Normas, Sobre Concreto 12 de fevereiro de 2015

Principal norma técnica relacionada ao material passou por recente processo de revisão e seu novo texto entra em vigor dia 15 de fevereiro de 2015

Por: Altair Santos

A ABNT NBR 12655 – Concreto de Cimento Portland – Preparo, controle e recebimento – é considerada a principal norma técnica sobre o material. Após processo de revisão, ela estará em vigor a partir de 15 de fevereiro de 2015. Publicada originalmente em 1996, a NBR 12655 já passou por um processo revisional em 2006. O secretário da comissão que participou recentemente da revisão desta norma técnica, o engenheiro civil Carlos Britez, fala qual o impacto das mudanças no mercado das concreteiras. Confira:

Carlos Britez: quem cumpre a norma busca qualidade, segurança e vida útil para seu projeto

Revisada, ABNT NBR 12655 entra em vigor dia 15 de fevereiro. Quais as principais mudanças na norma?
Ela continua com o mesmo contexto de sua revisão anterior, de 2006, mas foram feitas algumas melhorias. A principal ocorreu na parte da amostragem do concreto. Ela também fez todas as compatibilizações necessárias com as outras normas relacionadas ao concreto e teve uma mudança quanto à aceitação de um concreto não-conforme (aceitação do concreto). Neste caso, a orientação é consultar a ABNT 7680 (ABNT NBR 7680 – Extração de Testemunhos Estruturais de Concreto) para saber o que fazer: se uma verificação de projeto, uma extração de testemunho ou até um reforço estrutural. Também no anexo A da ABNT NBR 12655 foram inseridas considerações referentes a concreto em contato com solo agressivo.

Havia a possibilidade de a revisão da ABNT NBR 12655 entrar no âmbito das adições pozolânicas. Como ficou essa questão na revisão da norma?
Houve até um debate inicial sobre adições, mas como existe uma norma específica sobre o assunto se resolveu tratá-lo dentro dela (ABNT NBR 12653 – Materiais Pozolânicos – Requisitos) para não haver conflito.

Desde o texto original, quais as principais mudanças agregadas à norma?
As principais alterações se referem às questões de amostragem, à inclusão do anexo referente ao concreto em solo agressivo, melhorias das tabelas que tratam de cloretos e sulfatos, e, no final, a indicação explícita para que se consulte a ABNT NBR 7680, a fim de orientar de que forma o usuário da norma deve proceder a partir de um concreto não-conforme (aceitação do concreto). Observa-se que quando a norma 12655 for lançada em 15 de fevereiro, automaticamente será suprimida a 12654.

A norma mexe com todos os tipos de concreto – do convencional ao autoadensável – ou atinge alguns especificamente?
Logo em seu escopo, ela é bem clara: se aplica a concretos normais, pesados e leves. Não se aplica a concretos massa, concretos aerados, concretos espumosos e com estrutura aberta. No caso do concreto autoadensável, existe uma norma específica para ele, que é a ABNT NBR 15823.

O senhor secretariou a comissão de estudos que revisou a norma 12655. Quantos profissionais se envolveram nesta revisão?
Foram 53 profissionais e 36 entidades.

Os debates foram amplos e se chegou a um texto consensual ou o senhor acredita que a norma deve passar por futuras revisões?
Ocorreram seis reuniões antes de ela ser colocada em consulta pública. Depois teve uma reunião de análise de votos. Então, pelo padrão ABNT, ela está bem consolidada. Entende-se, portanto, que a norma anterior teve uma boa aceitação no mercado. Então, o que ocorreu foram melhorias para agregar mais valor à norma. Agora, a ABNT propõe que a cada cinco anos ocorram revisões das normas técnicas. Então, em 2020 provavelmente vamos reavaliá-la.

Por que a NBR 12655, junto com a NBR 6118 e a NBR 14931, é considerada uma das normas-mães do concreto?
No Brasil, são concebidas muitas estruturas de concreto. Então, é pré-requisito para um engenheiro civil ter conhecimento sobre projeto, execução, materiais e manutenção de uma estrutura. E estas normas, de certa forma, estão correlacionadas. A 6118 (Projeto de estruturas de concreto – Procedimento) trata de projetos e está vinculada com a 12655, que também está relacionada com a 14931 (Execução de Estruturas de Concreto – Procedimentos). Elas são complementares e não há como aplicá-las isoladamente no contexto de uma obra.

A ABNT NBR 6118 passou recentemente por um processo de revisão, e tende a passar novamente. Isso afeta a NBR 12655 futuramente?
Não vai afetar porque acompanhamos ativamente a revisão da 6118. Teve um momento em que a revisão da 12655 coincidiu com a revisão da 6118. Mas tivemos acesso às informações e à leitura das atas para saber o que estava acontecendo e ver aquilo que poderia impactar. Tudo foi previamente analisado.

Com essas revisões, o Brasil, em termos de normalização, tem condições de fabricar alguns dos melhores concreto do mundo?
Certamente, como já fazemos.

Para o mercado que produz concreto, o que muda na prática com a nova NBR 12655?
O uso da norma vai possibilitar detectar as não-conformidades, se houver. Na prática, quem cumpre a norma está automaticamente buscando qualidade, segurança e vida útil para seu projeto.

Entrevistado
Engenheiro civil Carlos Britez, com doutorado pela EPUSP e professor-assistente do PECE-USP na disciplina Patologia, recuperação e reparo de estruturas de concreto. Também é diretor da PhD Engenharia Ltda. e secretário da revisão da ABNT NBR 12655.

Contato: carlos.britez@concretophd.com.br

Crédito foto: Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também:

1 Comentário