ABNT cria padrão para lojas de material de construção

ABNT cria padrão para lojas de material de construção

ABNT cria padrão para lojas de material de construção 150 150 Cimento Itambé

A pedido da Anamaco, lojistas poderão dispor de um programa de certificação para qualificar o atendimento e melhorar a produtividade

Por: Altair Santos

Na 20ª Feicon Batimat, que aconteceu no final de março de 2012, em São Paulo/SP, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e a Associação Nacional de Comerciantes de Material de Construção (Anamaco) promoveram o pré-lançamento do programa de certificação para lojistas. Em parceria, os dois organismos estão desenvolvendo um plano para melhorar a qualidade do serviço e a produtividade dos vendedores, principalmente para o comércio de pequeno e médio porte. O programa terá como base a ABNT NBR 15842:2010 – Qualidade e serviço para pequeno comércio, requisitos gerais -, e será voltado para as mais de 135 mil lojas de materiais de construção do país que se enquadram nesse perfil.

Antônio Carlos Barros de Oliveira, gerente-geral de certificação da ABNT: programa terá como base a NBR 15842:2010 - Qualidade e serviço para pequeno comércio e requisitos gerais.

Segundo Antônio Carlos Barros de Oliveira, gerente-geral de certificação da ABNT, o próximo passo do programa será selecionar um grupo de lojas nas cinco regiões do Brasil para que o programa seja testado. “A previsão é que agora em abril possamos implementar o projeto piloto, selecionando algumas lojas, a fim de que elas sejam submetidas ao processo de certificação. Essa etapa também vai permitir fazer ajustes e eventuais correções no programa antes de colocá-lo efetivamente em prática”, diz. Para elaborar o novo plano de qualificação, técnicos da ABNT e um grupo de lojistas selecionado pela Anamaco estão desde novembro de 2011 trabalhando em conjunto.

O objetivo do programa é criar um padrão de atendimento, como já existe em outros setores do comércio. Outra preocupação é não impor a normatização, mas fazer com que ela seja aceita gradualmente pelos lojistas. “O programa tem uma particularidade interessante, que é o seu grau evolutivo. Ele foi classificado em níveis bronze, prata e ouro. Em função do atendimento aos requisitos do programa, o lojista poderá iniciar num determinado nível – bronze, por exemplo – até atingir o ouro. Isso permite que os métodos da normatização evoluam gradativamente”, explica o gerente-geral de certificação da ABNT, Antônio Carlos Barros de Oliveira.

O dirigente da ABNT relaciona as vantagens que o programa trará para o comércio de material de construção:

 1) Melhorar a imagem da loja perante os clientes;

2) Aprimorar a eficiência da prestação de serviço;

3) Implantar planejamento e controle na rotina de trabalho;

4) Reduzir perdas e melhorar a gestão.

“Para o consumidor, isso vai se traduzir em bom atendimento seja ele telefônico ou presencial. O princípio básico do programa é melhorar a imagem do lojista junto ao cliente, através de um atendimento padronizado. E é lógico que, adotando as práticas corretas, o comércio também passará a ter ganhos de produtividade”, conclui.

Entrevistado
Antônio Carlos Barros de Oliveira, gerente-geral de certificação da ABNT
Currículo

Graduado em Engenharia Mecânica e possui MBA Executivo pelo instituto de pós-graduação em pesquisa e administração da UFRJ
Conta com mais de 30 anos de experiência nas áreas da qualidade e gestão de negócios
Atualmente, exerce o cargo de gerente geral de certificação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)
Contato: antoniocarlos@abnt.org.br

Créditos foto: Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil