Telha de concreto supera tabus e vendas crescem

Em 10 anos, fábricas triplicaram no Brasil e produto ganhou competitividade e qualidade termoacústica, após revisão da ABNT NBR 13858-2.

Em 10 anos, fábricas triplicaram no Brasil e produto ganhou competitividade e qualidade termoacústica, após revisão da ABNT NBR 13858-2

Por: Altair Santos

A ABNT NBR 13858-2:1997, que definiu novas especificações técnicas para as telhas de concreto, abriu as portas do mercado da construção civil para o produto. Passados 16 anos da publicação da norma, os fabricantes conseguiram superar os tabus que envolviam o artefato cimentício e em algumas regiões do país já conseguem obter maior volume de vendas do que as tradicionais telhas cerâmicas, fabricadas de argila. “Em 2003 havia 53 plantas, e hoje somos cerca de 150. Outro indicador de crescimento é o fato de que temos diversos casos de fabricantes de telha de argila que migraram para o concreto”, explica Idário Fernandes, autor do livro Telhas de concreto – Produção e controle de qualidade.

Idário Fernandes: questões ambientais impulsionam consumidor a comprar telhas de concreto.

Também fabricante, Idário Fernandes enumera os tabus vencidos pelas telhas de concreto para ganhar competitividade perante as telhas cerâmicas. O primeiro deles foi o preço. Com investimento maciço em automação, as fábricas conseguiram produtividade em larga escala. Boa parte das indústrias instaladas no país triplicou a produção, usando o mesmo número de funcionários de 10 anos atrás. “A tecnologia permite fabricar até 50 mil telhas por dia, com cerca de 10 a 12 trabalhadores na linha de produção”, relata o especialista, complementando que a industrialização fez da telha de concreto um produto ambientalmente correto. “A telha cerâmica ainda tem muita produção artesanal, que não cumprem as leis sociais e ambientais”, frisa.

Outro tabu derrubado é o de que as telhas de concreto tinham menor eficiência termoacústica. “É outra barreira superada. O concreto é mais denso do que a argila queimada e, por isso, tem maior poder de transmissão do calor. Porém, o maior responsável pela captação do calor é a cor do produto e não propriamente a sua estrutura. A telha de cimento oferece a opção das cores mais claras, como branco, travertino, creme, areia e pastel. São cores mais frias que a cerâmica e são ideais para regiões de clima quente. Além da questão estética, onde as diversas opções de cores e tons inegavelmente dão mais beleza ao telhado, tem o aspecto técnico, onde o uso de cores mais claras proporciona maior conforto térmico ao usuário”, afirma Idário Fernandes.

Telhas de concreto já têm até a coloração das telhas cerâmicas.

Outra iniciativa dos fabricantes de telhas de concreto para ganhar mercado foi a implantação da assessoria técnica. Atuando junto a engenheiros e arquitetos, a indústria do setor já consegue estar presente em 45% dos empreendimentos de médio e alto padrão construídos nas regiões Sul e Sudeste do país. A próxima barreira a ser vencida é conseguir penetrar no setor das reformas, onde a telha cerâmica ainda detém 92% do mercado. “Em obras simples, onde se compara apenas o preço da peça, e não do metro quadrado coberto ou do telhado pronto, a preferência pela telha de barro, que unitariamente é mais barata, prevalece”, reconhece Idário Fernandes.

 

Equipamentos modernos permitem fabricar 50 mil telhas por dia.

Entrevistado
Idário Fernandes, diretor-técnico da Interblock Arfatos de Cimento
Currículo
– Idário Fernandes é técnico em edificações e engenheiro civil com mais de 30 anos de experiência em produção e controle de qualidade de artefatos de cimento
– Proferiu mais de 250 cursos e palestras no Brasil e Mercosul sobre cimento e concreto
– Publicou diversos artigos técnicos sobre artefatos de cimento em revistas do gênero. É autor dos livros Blocos e pavers e Produção e controle de Qualidade e Telhas de concreto – Produção e controle de qualidade
– Consultor em tecnologia de concreto e sistemas construtivos à base de cimento, com especialidade em blocos, pisos intertravados e outros produtos vibro prensados
– Ocupa o cargo de diretor-técnico da Interblock Arfatos de Cimento
Contatos: www.doutorbloco.com.br / idariof@uol.com.br 
Créditos fotos: Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo