Sistemas construtivos unem universidades

UFSCar, USP, UFRJ e UNESP atuam em parceria para formar especialistas em gestão e tecnologia para edificações.

UFSCar, USP, UFRJ e UNESP atuam em parceria para formar especialistas em gestão e tecnologia para edificações

Por: Altair Santos

A demanda das empresas de engenharia por profissionais com capacidade de gestão que ultrapasse os limites do canteiro de obras tem influenciado o modelo de ensino das universidades. Para atender engenheiros que buscam requisitos como dimensionar a concepção do empreendimento, a atividade de projeto, o planejamento da produção e fabricação de materiais e componentes, UFSCar, USP, UFRJ e UNESP uniram esforços para lançar o curso em gestão e tecnologia de sistemas construtivos de edificações.

Guilherme A. Parsekian: coordenador do curso, que vai durar 18 meses.

Segundo o professor-doutor Guilherme Aris Parsekian, a especialização a nível de pós-graduação não pretende atingir apenas engenheiros, mas também arquitetos e tecnólogos. “Houve uma união de esforços entre centros de excelência do ensino da engenharia civil e o curso é para quem busca atualização e complementação de suas atividades profissionais. Sobretudo, aqueles que atuam na área de edificações”, diz.

O novo curso, que começa dia 13 de julho e está restrito a 30 vagas, é uma atualização da pós-graduação criada em 1999 (aperfeiçoamento profissional em racionalização de processos e produtos na construção de edifícios). “De lá para cá, várias mudanças foram realizadas a partir desta experiência. Novas disciplinas foram agregadas à grade curricular e novos docentes passaram a abraçar a ideia”, afirma Parsekian, lembrando que a modalidade é presencial e terá duração de 372 horas-aula (18 meses no total, sendo 15 de disciplinas).

As inscrições estarão abertas até o dia 28 de julho e as aulas ocorrerão no departamento de engenharia civil da UFSCar, em São Carlos-SP. “Serão oferecidas disciplinas voltadas à tecnologia da construção e ao gerenciamento do projeto e da execução. Uma extensa equipe de especialistas da UFSCar, USP, UFRJ, UNESP e de renomadas empresas atuantes em projetos e gestão de obras de engenharia são responsáveis pela elaboração do conteúdo”, completa.

O curso é composto pelas seguintes disciplinas:
Tecnologia dos Sistemas Construtivos em Estruturas de Concreto.
Tecnologia dos Sistemas Construtivos Industrializados.
Tecnologia dos Sistemas Construtivos em Alvenaria Estrutural e de Vedação.
Tecnologia de Produção de Revestimentos de Argamassa e Cerâmicos.
Durabilidade dos Materiais e Componentes da Construção Civil.
Tecnologia e Sustentabilidade de Sistemas Hidráulicos e Sanitários.
Tecnologia de Sistemas Prediais de Eletricidade e de Telefonia e Automação Predial.
Gestão do Processo de Projetos.
Ferramentas para Planejamento e Controle de Obras.
Gestão de Custos na Construção Civil.
Gestão de Recursos Físicos nos Canteiros de Obras.
Projeto de Canteiros de Obras.
Sustentabilidade e Certificação Ambiental de Edificações.
Produção Enxuta na Construção Civil.
Metodologia do de Trabalho Técnico.

Dezessete professores ministrarão aulas durante a duração do curso. Destes, onze estão vinculados à UFSCar e outros seis ligados à USP, UFRJ e UNESP. O título de professor-doutor vale para 95% deles. “Estão previstas 15 disciplinas, com número distinto de horas-aula em função das suas especificidades, nas quais serão ministradas aulas expositivas e realizados debates com os alunos, com apresentação de temas e questões para análise, discussões e conclusões, podendo, a critério dos professores, ser determinada a realização de trabalhos e seminários sobre as matérias, com participação individual ou em grupo de alunos”, explica Guilherme Aris Parsekian, que ao lado dos professores José Carlos Paliari e Simar Vieira de Amorim é um dos coordenadores da pós-graduação.

Saiba mais sobre o curso

Entrevistado
Guilherme Aris Parsekian, professor do departamento de engenharia civil da UFSCar.
Currículo
– Guilherme Aris Parsekian é graduado em engenheiro civil pela UFSCar (1993) com mestrado em engenharia de estruturas (EESC/USP, 1996) – menção distinção -, doutor em engenharia civil (EPUSP, 2002), pós-doutor em engenharia civil (UFSCar, 2006) e pós-doutor em engenharia civil (University of Calgary – Canadá, 2008).
– Suas áreas de atuação são: alvenaria estrutural, desenvolvimento de sistemas construtivos, racionalização de edificações, projeto de edificações e CAD aplicado ao projeto de edificações.
Contato: parsekian@ufscar.br / parsekian.ufscar@gmail.com
Créditos foto: Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo