SENAI inaugura escola só para a construção civil

Iniciativa surgiu no Rio de Janeiro e pode se propagar por todo o país. Preocupação é adequar mão de obra às inovações do setor.

Iniciativa surgiu no Rio de Janeiro e pode se propagar por todo o país. Preocupação é adequar mão de obra às inovações do setor 

Por: Altair Santos

A demanda por mão de obra na construção civil levou o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) a lançar um projeto exclusivo para o setor. Desde o começo do segundo semestre de 2012, entrou em funcionamento, na zona portuária do Rio de Janeiro, a primeira escola voltada exclusivamente para a qualificação de jovens que queiram atuar profissionalmente em canteiros de obras. 

Nova unidade inaugurada no Rio de Janeiro conta com seis laboratórios.

A nova unidade é um projeto-piloto que, se bem sucedido, pode ser estendido para outros estados. Com seis laboratórios-oficinas, que ocupam uma área de dois mil metros quadrados, a escola do SENAI tem capacidade de atender 2.500 estudantes por ano. Os cursos oferecidos são os seguintes: pedreiro de alvenaria, pedreiro de alvenaria estrutural, pedreiro de revestimento em argamassa, aplicador de revestimento cerâmico, pedreiro de concreto, armador de ferro, carpinteiro de obras, pintor predial e montador de divisória em drywall. 

Além do apoio da Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro) a escola também conta com as parcerias do SindusCon-RJ, da Abramat (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção), da ABCP (Associação Brasileira de Cimento Portland) e da Bloco Brasil (Associação Brasileira da Indústria de Bloco de Concreto). “Essas parcerias reforçam a qualidades dos cursos, pois permitem aos alunos assistir palestras ministradas por entidades técnicas, fabricantes e construtoras no decorrer do curso”, explica o supervisor técnico de construção civil do SENAI-RJ, Roberto da Cunha. 

Uma das preocupações do SENAI ao lançar a nova escola foi equipá-la adequadamente para que ela possa formar profissionais conectados com as tecnologias atualmente aplicadas na construção civil. “A necessidade de produção em escala obriga o setor a investir em mecanização e industrialização, bem como em gestão, projeto, planejamento e logística. O SENAI acompanha essa necessidade da indústria em seus programas de qualificação profissional”, ressalta Roberto Cunha. 

Mesmo com capacidade de formar 2.500 novos profissionais por ano, a escola do SENAI servirá apenas como paliativo para a demanda de mão de obra na construção civil do Rio de Janeiro. Estima-se que, com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego (CAGED) nos próximos dois anos o mercado formal no estado vai precisar de 3.900 trabalhadores por mês. 

Além de eventos como Copa do Mundo e Olimpíadas, a indústria da construção civil do Rio de Janeiro também será desafiada a atender atividades econômicas como petróleo e gás, saneamento básico, mercado imobiliário e infraestrutura. “Na escola, vamos procurar formar novos profissionais para atender todos esses segmentos”, afirma o supervisor técnico de construção civil do SENAI-RJ. 

Entrevistado
Roberto da Cunha, supervisor técnico de construção civil do SENAI-RJ
Currículo
Graduado em engenharia civil, com mestrado em arquitetura e urbanismo
Contato:  rcunha@firjan.org.br / imprensa@firjan.org.br

Créditos foto:  Antônio Batalha/Firjan

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo