Retrofit atinge Avenida Paulista de ponta a ponta

Em São Paulo, uma das ruas mais conhecidas do país passa por completa reforma. A revitalização vai do asfalto aos arranha-céus com mais de 50 anos

Em São Paulo, uma das ruas mais conhecidas do país passa por completa reforma. A revitalização vai do asfalto aos arranha-céus com mais de 50 anos

Por: Altair Santos

Uma das ruas mais conhecidas do país está passando por um completo retrofit. No chão, a prefeitura de São Paulo revitaliza calçadas e cria ciclovias em seu canteiro central. No alto, os prédios localizados na Avenida Paulista é que se submetem a revitalizações. Com muitos edifícios construídos entre os anos 1940 e 1970, as reformas atingem quase uma dezena de empreendimentos. A opção pelo retrofit se dá por três motivos: o alto custo para demolir e reconstruir obras novas, a burocracia para viabilizar novas edificações na região e a escassez de terrenos.

Todos os prédios que passam por retrofit na Avenida Paulista estão requerendo certificação sustentável
Todos os prédios que passam por retrofit na Avenida Paulista estão requerendo certificação sustentável

A Perkins + Will, escritório global de arquitetura e design interdisciplinar, lidera dois grandes projetos na Avenida Paulista, e que somam investimentos de mais de R$ 110 milhões. Um deles é o do Brazilian Financial Center (BFC), conhecido por ter abrigado por muitos anos a sede do Banco Real. A previsão de conclusão é em dezembro de 2016. Nos projetos em andamento, o processo de retrofit é utilizado para adicionar novas tecnologias às construções. “A estimativa de vida útil de uma edificação é de 50 anos. Com o processo de retrofit é possível proporcionar um novo ciclo de vida de mais 40 anos às construções”, afirma Douglas Tolaine, diretor de Design da Perkins + Will no Brasil.

O arquiteto explica que o universo de trabalho em retrofit é vastíssimo no Brasil. Além do aspecto cultural de preservação de patrimônio, também reforçam essa tendência a escassez de boas áreas disponíveis em locais estratégicos, aliado ao longo e burocrático tempo para as aprovações de projeto, a complexidade de demolição ou implosão de edificações em zonas consolidadas e o tempo de construção de um novo edifício. Além disso, as certificações para prédios verdes, voltadas para o retrofit, estimulam investir em reformas.

Há pelo menos dez edifícios na Avenida Paulista em fase de retrofit, o que tende a garantir pelo menos mais 40 anos de vida útil
Há pelo menos dez edifícios na Avenida Paulista em fase de retrofit, o que tende a garantir pelo menos mais 40 anos de vida útil

Economia energética de 30%
É o caso do edifício comercial Panorama Paulista. A reforma, concluída em 2014, esteve sob a responsabilidade do escritório Athié Wohnrath. A torre teve 80% de sua estrutura preexistente mantida por meio da conservação de lajes, vigas, pilares e elevadores. Já a fachada, totalmente reformulada, utilizou vidros de alta eficiência e brises de alumínio para atenuar a absorção de calor e o ofuscamento visual. Para adequar o edifício aos padrões de certificação LEED, o projeto ainda contou com a instalação de um sistema hidráulico para a redução em 30% no consumo de água.

Na Avenida Paulista, outro edifício que busca retrofit com certificação sustentável é o Paulista 2028. A reforma é viabilizada pela BNCORP – incorporadora especializada em empreendimentos comerciais -, cujo projeto inclui fachada com vidros de alto desempenho térmico, para minimizar o uso de ar-condicionado, além de dispositivos sanitários de baixo consumo para reduzir o uso da água em até 35%. “A adoção destas e outras medidas no Paulista 2028 devem gerar uma economia de aproximadamente 30% no custo de operação do edifício”, diz Nelson Mazzeo, gerente de marketing e incorporação da BNCORP. O plano prevê também a destinação do entulho e a reutilização de materiais.

Edifício Brazilian Financial Center (BFC): reforma deve ser concluída em 2016
Edifício Brazilian Financial Center (BFC): reforma deve ser concluída em 2016

Entrevistados
Escritórios Perkins + Will, Athié Wohnrath e BNCORP (via assessoria de imprensa)
Contatos
media@perkinswill.com
contato@awnet.com.br
relacionamento@benx.com.br 

 

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo