Ranking mostra cidades mais inteligentes do Brasil

Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Curitiba encabeçam lista de metrópoles que adotam princípios inovadores em gestão urbana

Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Curitiba encabeçam lista de metrópoles que adotam princípios inovadores em gestão urbana

Por: Altair Santos

O Brasil ganhou seu primeiro ranking de cidades inteligentes. A lista mapeou 700 municípios para poder classificar os 50 mais desenvolvidos, e que atendem a maioria dos seguintes quesitos: mobilidade, urbanismo, economia, meio ambiente, energia, tecnologia e inovação, saúde, segurança, educação, governança e empreendedorismo. O Ranking Connected Smart Cities é considerado um ponto de partida para que as cidades brasileiras possam alcançar padrões internacionais de “cidades inteligentes”. No ranking, as cinco cidades que encabeçam a lista são Rio de Janeiro-RJ, São Paulo-SP, Belo Horizonte-MG, Brasília-DF e Curitiba-PR.

Cidades inteligentes devem atender quesitos em mobilidade, urbanismo, meio ambiente, energia e tecnologia e inovação
Cidades inteligentes devem atender quesitos em mobilidade, urbanismo, meio ambiente, energia e tecnologia e inovação

Segundo o presidente da Urban Systems, Thomaz Assumpção, o projeto serve para despertar no poder público e na iniciativa privada novas maneiras de perceber as cidades. “É preciso que representantes tenham consciência dos investimentos e aprimoramentos que devem ser realizados nas diversas áreas mapeadas, pois a questão das cidades é uma das principais pautas da atualidade. É a partir delas que vamos buscar reduzir o consumo dos recursos naturais, minimizando custos e melhorando a vida das pessoas”, afirma, destacando que as capitais brasileiras estão mais sintonizadas com os conceitos de cidades inteligentes do que municípios do interior.

Das dez cidades que lideram o ranking, nove são capitais e apenas São Caetano do Sul, no ABC paulista, surge no topo da lista representando cidades com menos de 200 mil habitantes. O alto IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), considerado o 1º do país, e boas políticas de segurança pública destacam o município paulista. No entanto, boa parte das metrópoles brasileiras com vocação para cidades inteligentes o faz por ter conseguido avanços em obras de mobilidade urbana. É o caso do Rio Janeiro, cujos projetos vinculados aos jogos olímpicos de 2016 tiveram peso significativo para que ocupasse o primeiro lugar. Entre eles, destacam o Porto Maravilha e a linha 4 do metrô – hoje o maior projeto de mobilidade urbana do país.

Além dos serviços públicos básicos
Reforma no plano diretor da cidade e investimento em modais alternativos, como ciclovias, fizeram São Paulo aparecer em segundo lugar no ranking de cidades inteligentes do Brasil. Já Belo Horizonte ocupa o terceiro lugar por causa de investimentos em projetos de BRT (Bus Rapid Transit) e também pelas intervenções na área de saneamento básico. Avançando na linha do empreendedorismo, Brasília começa a instalar um dos mais complexos parques tecnológicos do país, cuja finalidade é desenvolver pesquisas na área de medicina e biodiversidade. Esse projeto colocou a capital federal em 4º lugar no ranking.

Curitiba surge na 5ª colocação do Connected Smart Cities pelo legado em transporte público e pelas ações na área de educação. A capital paranaense também foi bem ranqueada pelas iniciativas em empreendedorismo digital. Aliás, a conexão de cidades com a Tecnologia de Informação e com o mundo digital também permitiram que Florianópolis, Porto Alegre e Recife aparecessem entre as dez cidades melhor posicionadas na lista. A capital pernambucana, por exemplo, é uma das que mais tem pontos livres de acesso à internet em áreas públicas. “Cidades inteligentes devem ir além dos serviços públicos básicos. Elas precisam fazer com que seus cidadãos aprendam a pensar. Para isso, têm que estar atentas aos avanços tecnológicos”, alerta Thomaz Assumpção.

No mundo, as principais cidades inteligentes são Barcelona, Estocolmo, Seul, Cingapura e Londres.

Acesse o Ranking Connected Smart Cities
http://issuu.com/connectedsmartcities/docs/cat__logo_connected_smart_cities_20

Entrevistado
Engenheiro civil Thomaz Assumpção, presidente da Urban Systems (via assessoria de imprensa)
Contatos
contato@urbansystems.com.br

Crédito Foto: Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo