Queda de revestimento cerâmico

Patologia está entre as mais comuns nas edificações. Para evitá-la, construtor deve tomar cuidados simples

Patologia está entre as mais comuns nas edificações. Para evitá-la, construtor deve tomar cuidados simples

Créditos: Engº. Carlos Gustavo Marcondes – Assessor Técnico Comercial Itambé

Queda de revestimento cerâmico
Queda de revestimento cerâmico

Há quem imagine que os revestimentos de uma edificação têm apenas função estética. É um erro. O papel fundamental é garantir a durabilidade da alvenaria e fazer a proteção termoacústica , melhorando o conforto interno da casa ou apartamento. Não obstante, os revestimentos impactam no custo de uma edificação e chegam a representar cerca de 10% do custo da obra.

Pela importância desta etapa da obra, é de se estranhar que existam tantas patologias relacionadas ao assunto. E elas vão desde pequenas fissuras e eflorescências até a queda de revestimentos cerâmicos.

Diversas são as origens destes problemas. Entre elas: deformação excessiva da estrutura, atuação de sobrecarga além das definidas em projeto, recalques do sistema de fundação, movimentação de lajes e vigas de cobertura, retração da argamassa, dilatação térmica e ou higroscópica dos revestimentos cerâmicos e falhas construtivas.

Sabe-se também que boa parte das patologias poderia ser evitada se fossem adotados os seguintes cuidados:
* Compra de revestimentos cerâmicos apropriados, que devem ter baixa absorção e expansão por umidade.
* Uso de argamassas com menor rigidez e compatível com o substrato.
* Bom espalhamento da argamassa colante.
* Uso de técnicas corretas para execução.
* Prever a correta manutenção da fachada.

Mas a melhor solução para o problema ainda é o construtor contar com um bom projeto de revestimento, que não se limita apenas em paginar graficamente a fachada. Devem ser previstas juntas de dilatação, além de contemplar a especificação dos materiais, das técnicas e dos procedimentos construtivos para execução e controle.

Além de contar com um bom projeto, é imprescindível que o construtor conheça os produtos que está utilizando e também as normas que contemplem os requisitos de projeto, em especial a norma NBR 13755/96 (Revestimento de Paredes Externas com Placas Cerâmicas e com Utilização de Argamassa Colante – Procedimento). Que estabelece os requisitos para execução, fiscalização e recebimento de revestimento de paredes externas com placas cerâmicas assentadas com argamassas colantes específicas para fachadas.

Desta forma, o construtor obterá melhor desempenho, evitará retrabalho durante a execução da obra e, consequentemente, terá um revestimento com menos manifestações patológicas e mais durável.
Jornalista responsável – Altair Santos MTB 2330 – Tempestade Comunicação



Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo