Prêmio Soluções para Cidades é de alunos da Universidade Feevale

A premiação ocorreu durante a Concrete Show 2010, e incentiva alunos de arquitetura e urbanismo a desenvolverem um mobiliário urbano com múltiplas funções. Clique e confira.

Projeto foi escolhido pela originalidade e criatividade

Por: Lilian Júlio
Os alunos vencedores mostram seu projeto e o prêmio de primeiro lugar

Promovido pela Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) e pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), o Prêmio Soluções para Cidades incentiva alunos de arquitetura e urbanismo a desenvolverem um mobiliário urbano que pudesse ser aplicado em diversas funções. O projeto vencedor foi o dos alunos da Universidade Feevale (RS), Karen Kussler e Guilherme Osterkamp.

A premiação ocorreu no dia 27 de agosto, durante a Concrete Show, em São Paulo (SP). A cerimônia foi conduzida pelo presidente da ABCP, Renato Giusti, e por Rafael Schimidt, conselheiro da diretoria do IAB. O segundo colocado foi o projeto dos alunos Hudson Gonçalves Martins e Juan Carlos Câmara, do Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora, e o terceiro coube a Ana Maria Freire, André Figueiredo, Bruno Firmino e Maria Cavalcanti, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Além dos três primeiros colocados, que receberam prêmios em dinheiro, outros projetos receberam menções honrosas e destaques na cerimônia.

Projeto original

O projeto desenvolvido pelos alunos da Feevale se destacou pela multiplicidade de aplicações

O trabalho de Karen e Guilherme consistia em uma peça de concreto pré-moldado, chamada de Drop. Com esta peça é possível compor bancos, lixeiras, bicicletários, postes de iluminação e brinquedos infantis. “A proposta do prêmio era a criação de um mobiliário urbano para uma praça, mas que pudesse ser aplicado em vários espaços da cidade e em diversas funções”, explica Karen, uma das vencedoras.

“O projeto vencedor chamou a atenção pela originalidade, flexibilidade de utilização e possibilidade de produção em escala industrial”, conta Hugo Rodrigues, gerente de comunicação da ABCP. Para ele, a proposta de Karen e Guilherme já havia se destacado nas primeiras reuniões de avaliação. “O impacto visual da proposta e a possibilidade de diversos usos são critérios fundamentais na hora do julgamento. E foi aí que o projeto dos alunos da Feevale se destacou”.

Hugo Rodrigues

A oportunidade, agora, é transformar o projeto em produto. “A comissão julgadora sugeriu aos vencedores que busquem a patente das peças propostas, assim como o desenvolvimento do projeto e a produção do mobiliário em escala industrial”, comenta Rodrigues. “Estamos estudando as propostas e vamos desenvolver um protótipo do Drop para tirar o projeto do papel e pensar numa produção”, revela a aluna Karen.

Prêmios como incentivo acadêmico

De acordo com Hugo Rodrigues, da ABCP, concursos como o Prêmio Soluções para Cidades auxiliam a fortalecer o ensino de arquitetura e a cultura do emprego dos sistemas construtivos à base de cimento no Brasil. “Apesar do nosso país ser tradicionalmente construído em concreto a gente não pode deixar de incentivar, cada vez mais, os nossos futuros profissionais a aprofundarem seus conhecimentos nestes sistemas”, explica. “Sempre que puder a associação vai incentivar esse tipo de atividade no meio acadêmico, pois cabe a nós, profissionais, fomentar a formação dos futuros arquitetos e urbanistas”.

Além do fortalecimento do ensino, Rodrigues vê os prêmios voltados a estudantes de forma muito positiva. “Eles fomentam uma maior integração entre professor e alunos, já que todo projeto precisa de um orientador; gera interesse no estudante para se aprofundar em determinados temas – ele precisa conhecer detalhes do que irá propor; incentiva a participação em concursos desde os bancos universitários; e leva o aluno a ter contato com a realidade da profissão”, afirma. Segundo Rodrigues, esses aspectos são fundamentais para o desenvolvimento profissional do setor.

Já para os alunos que desenvolvem os projetos, fica o desejo de continuar o trabalho. “O reconhecimento que temos após a premiação é incrível! Participar do prêmio é muito gratificante e agora queremos desenvolver nosso projeto ainda mais”, finaliza Karen.

Entrevistado
Hugo Rodrigues
Engenheiro civil com MBA em Comunicação e Marketing. Gerencia a área de Comunicação da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP).

Jornalista responsável: Silvia Elmor – MTB 4417/18/57 – Vogg Branded Content


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo