Placas Cimentícias

Com o crescimento da construção civil as placas cimentícias ganham novamente espaço no mercado

Com o crescimento da construção civil as placas cimentícias ganham novamente espaço no mercado

Créditos: Engª. Giovana Medeiros – Assessora Técnico Comercial Itambé

As placas cimentícias surgiram na década de 70, mas sua utilização se tornou cada vez mais frequente devido ao crescimento do mercado de construção industrializada. Sua aplicação é destinada a fachadas, forros, paredes com steel frame, paredes internas e externas, entre outras.

Atualmente, a arquitetura moderna tem conferido muito valor e atenção às placas cimentícias, devido ao seu efeito estético quando empregada ao natural, simulando assim um concreto aparente. Nas obras elas têm se destacado pela qualidade, rapidez de instalação e limpeza durante sua montagem.

As placas são resultantes da mistura de cimento Portland, agregados, adições ou aditivos, e reforçada com fibras, fios, filamentos ou telas. Suas principais características são: elevada durabilidade, grande resistência a impactos e à umidade, baixo peso próprio, baixo custo, além de ser compatível com quase todos os tipos de revestimentos.

É de grande relevância garantir que profissionais qualificados acompanhem a execução das placas cimentícias, para evitar trincas, destacamentos, folgas e juntas malfeitas que comprometem não apenas a estética como o sistema de vedação da parede. Deve-se atentar que cada aplicação, requer cuidados específicos, indicados pelos próprios fabricantes. Caso não se tenha em mente a função que o material deve exercer, pode ocorrer uma indicação de uso inapropriado.

As placas para uso externo, por exemplo, devem apresentar maior resistência, para suportar as variações climáticas, o contato com a umidade e com a insolação direta. No caso de aplicação em fachadas, indicado na Figura 1, as solicitações dos ventos e das cargas horizontais também devem ser levadas em consideração.

Figura 1

O primeiro passo em direção a padronização e qualidade dos produtos ofertados ao mercado brasileiro acaba de ser dado. A NBR 15498 – Placa plana cimentícia sem amianto, que vigora desde agosto de 2007, é a primeira norma nacional a estabelecer os requisitos, métodos de ensaio e as condições de recepção das placas planas cimentícias reforçadas com fibras, fios, filamentos ou telas. Portanto, fica a expectativa que esta norma fomente ainda mais melhorias nos produtos e serviços beneficiando o consumidor final.

Jornalista Responsável – Altair Santos MTB 2330 – Vogg Branded Content



Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo