Maior túnel do Brasil usará tecnologia de ponta

Na BR-040, mais conhecida como rodovia Rio-Petrópolis, obra terá 4.640 metros e vai expor todo o conhecimento técnico da engenharia nacional.

Na BR-040, mais conhecida como rodovia Rio-Petrópolis, obra terá 4.640 metros e vai expor todo o conhecimento técnico da engenharia nacional

Por: Altair Santos

A tradicional estrada Rio-Petrópolis (BR-040) que divide tráfego pesado com interesse turístico na região serrana fluminense, ganhará o maior túnel rodoviário do país. Perto do trecho conhecido como Belvedere, será construída uma obra com 4.640 metros de extensão. O empreendimento, ainda em fase de obtenção de licença ambiental, tem previsão de ficar pronto até 2015.

Edson Peev, do CBT: projetos futuros de rodovias não podem mais descartar os túneis.

Para a engenharia nacional, que só recentemente passou a incorporar a construção de túneis em projetos de rodovias, a obra na BR-040 será a oportunidade de consolidar tecnologias e incorporar novas técnicas de escavação. Por causa das características geológicas do terreno, é possível que os três métodos mais conhecidos de abertura de túneis sejam aplicados no empreendimento: o em abóboda e rebaixo, que utiliza explosivos; a NATM (New Austrian Tunnelling Method) e o TBM (Tunnel Boring Machine).

Segundo o engenheiro Edson Peev, que integra a diretoria do Comitê Brasileiro de Túneis, o Brasil possui know-how suficiente para aplicar as três tecnologias no túnel da Rio-Petrópolis. “As construtoras brasileiras, inclusive, têm sido convidadas e participado de vários projetos de construção de túneis na América Latina, e em alguns países da Europa, da África e do Oriente Médio”, diz.

Peev também destaca que o país não precisa importar profissionais para atuarem no túnel da BR-040, pois possui engenheiros especializados nesse tipo de obra. “Temos um bom número de especialistas em túneis, principalmente para construção com o método convencional. No entanto, com a crescente demanda por túneis que se espera para os próximos anos, é provável que haja falta de profissionais, sobretudo com especialidade em escavações mecanizadas”, afirma.

Segundo o diretor do CBT, a expectativa é que com o recente anúncio de concessões de rodovias e ferrovias para a iniciativa privada os trechos passem a ganhar mais túneis para encurtar distâncias. “Pelos projetos apresentados até o momento, vê-se maior preocupação em encurtar distâncias através da construção de túneis e, principalmente, para evitar a degradação do meio ambiente. Acredito que cada vez mais a solução do túnel será incorporada em projetos futuros”, avalia Edson Peev.

Concreto projetado

Trecho em azul mostra percurso do túnel a ser construído na BR-040.

No caso do túnel da BR-040, independentemente da tecnologia empregada, o projeto prevê que haverá duas frentes de escavações, cada uma avançando até 180 metros por mês. Conforme os trechos forem abertos, o revestimento será feito com concreto projetado. O sistema consiste em lançar o material sob alta pressão contra as paredes do túnel. O impacto do concreto contra a base promove sua compactação, resultando em um revestimento de alta resistência. Para esse método, a dosagem de cimento oscila entre 300 kg/m³ a 500 kg/m³, com a espessura da camada chegando a 150 mm.

Saiba mais sobre as obras na BR-040: clique aqui

Confira o projeto do maior túnel brasileiro: clique aqui

Entrevistado
Edson Peev, diretor do Comitê Brasileiro de Túneis
Currículo
– Edson Peev é graduado em engenharia mecânica pela FEI (Faculdade de Engenharia Industrial)
– Já atuou como engenheiro e gerente de projetos nos ramos siderúrgico, petroquímico, químico, automobilístico, produtos pessoais e alimentos
– Desde 1997 trabalha na Herrenknecht AG, líder de mercado na fabricação de tuneladoras de todos os tipos e diâmetros, como gerente de vendas e suporte pós vendas e na consultoria de aplicação de máquinas para túneis e microtúneis e shafts
– Também ocupa o cargo de tesoureiro do CBT (Comitê Brasileiro de Túneis da ABMS)
Contato: peev.edson@herrenknecht.com.br www.tuneis.com.br

Créditos foto: Divulgação/CBT

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo