Kingdom Tower entra na fase de pré-construção

Entre os maiores desafios do futuro maior prédio do mundo está o bombeamento do concreto, que precisa percorrer 1.013 metros sem perder propriedades

Entre os maiores desafios do futuro maior prédio do mundo está o bombeamento do concreto, que precisa percorrer 1.013 metros sem perder propriedades

Por: Altair Santos

À beira do Mar Vermelho, no lado norte de Jeddah, na Arábia Saudita, será construído o maior edifício do mundo. O projeto original previa uma altura de 1.600 metros, mas as condições geológicas do terreno – predominantemente arenoso – o fizeram reduzir a altitude para 1.013 metros. O prédio terá 200 andares, dos quais 160 habitáveis. Ele reunirá um hotel, uma ala residencial e outra ala comercial. Com custo estimado de US$ 1,23 bilhão (cerca de R$ 3 bilhões) a obra deverá durar 65 meses. Caso tenha seu início ainda em 2014, a torre Kingdom Tower só deverá ficar pronta entre 2020 e 2021.

Kingdom Tower: 1.013 metros de desafio à engenharia

O projeto do futuro edifício mais alto do mundo está consolidado desde 2011. Quando a construção estiver concluída, ultrapassará em 185 metros o atual prédio com a maior altitude: o Burj Khalifa, de Dubai (Emirados Árabes Unidos) com 828 metros. Essa edificação, aliás, emprestará várias soluções de engenharia para o Kingdom Tower. Outras ainda estão sendo desenvolvidas. Entre elas, compensações geológicas para o terreno em que será erguida a torre. Outro desafio está no tipo de concreto a ser empregado na obra. As pesquisas apontam que precisará ser um material inovador, da mesma forma que o aço a ser usado na construção precisará ter características bem particulares.

O empreendimento é de responsabilidade da empreiteira Sadin Bin Laden Group (SBG). Já o escritório de arquitetura que assina o projeto é o Adrian Smith + Gordon Gill Architecture – o mesmo que projetou o Burj Khalifa. Mas o protagonista da obra será o Advanced Construction Technology Services (ACTS). O laboratório, com sede no Líbano, será o responsável por todos os testes de materiais empregados na megaconstrução.

Ensaios do aço para a fundação do Kingdom Tower já começaram a ser feitos pela ACTS

Certificado pelo American Concrete Institute (ACI) o ACTS já construiu uma filial ao lado da área do empreendimento para promover todos os ensaios dentro do canteiro de obras. Um dos testes mais rigorosos será o que irá avaliar as propriedades reológicas do concreto para assegurar que o material, ao ser bombeado para altitudes muito elevadas, não perca suas propriedades.

A sul-coreana Samsung, junto com a empresa alemã Putzmeister, foi contratada para desenvolver equipamentos que permitam o bombeamento do concreto em tempo recorde. A solução será lançar o material autoadensável por meio de um tubo fino e pressurizado, com 15 cm de diâmetro, para que ele percorra 1.013 metros na maior velocidade possível. Outra saída encontrada pelos pesquisadores é que o concreto só poderá ser bombeado à noite, já que as altas temperaturas que fazem em Jeddah, durante o dia, podem levar à desidratação do concreto durante o processo de bombeamento.

Concreto usado na obra só poderá ser lançado à noite, por causa do clima de Jeddah

Calcula-se que a King Tower irá consumir 500 mil m³ de concreto e 80 mil toneladas de aço. A fundação da torre terá 60 metros de profundidade, e tem que resistir à corrosão imposta pela água salgada do mar nas proximidades. “Trata-se da estrutura de engenharia mais desafiadora do mundo e um voto de confiança em nossa vasta experiência para ensaios de materiais. Vamos investir a nossa experiência e conhecimento para fornecer informações precisas, confiáveis e rastreáveis nos testes do maior edifício do mundo”, diz o engenheiro Khaled Awad, presidente da ACTS.


Confira o vídeo de como ficará a Kingdom Tower

Entrevistado
Advanced Construction Technology Services (ACTS) (por email)
Contato: www.acts-int.com

Créditos Fotos: Divulgação/ Adrian Smith + Gordon Gill Architecture/ engineersinside.com

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo