Ibracon prioriza sustentabilidade do concreto

Na 57ª edição do Congresso Brasileiro do Concreto, debates e palestras destacaram durabilidade e resistência do material em vários tipos de obras

Na 57ª edição do Congresso Brasileiro do Concreto, debates e palestras destacaram durabilidade e resistência do material em vários tipos de obras

Por: Altair Santos

A relação do concreto com a sustentabilidade das construções foi o tema central da 57ª edição do Congresso Brasileiro do Concreto, promovido anualmente pelo Ibracon (Instituto Brasileiro do Concreto). No evento de 2015, realizado de 27 a 30 de outubro, na cidade de Bonito-MS, conferencistas estrangeiros e especialistas brasileiros mostraram quais têm sido as principais práticas para tornar o material mais durável e resistente, o que amplia o ciclo de vida das estruturas e as tornam mais sustentáveis. “Quando as estruturas se tornam mais duráveis, exigindo menos manutenção, elas se tornam mais sustentáveis”, resume o vice-presidente do Ibracon, Julio Timerman.

Sustentabilidade do concreto se mede pela resistência e pela durabilidade
Sustentabilidade do concreto se mede pela resistência e pela durabilidade

Nos três dias do Congresso Brasileiro do Concreto foram apresentados 630 trabalhos, a maioria deles abrangendo a sustentabilidade do concreto. Além disso, cerca de mil profissionais, entre agentes da cadeia produtiva, projetistas, tecnologistas, laboratoristas, construtores, professores, pesquisadores e estudantes de engenharia civil, acompanharam as conferências. “A cadeia produtiva do concreto se engaja nesta verdadeira cruzada de sustentabilidade e de manutenção dos recursos naturais. Hoje em dia, com as novas tecnologias e com a reciclagem de insumos, o setor tem avançado nesta área, principalmente quando respeita os aspectos de sustentabilidade inseridos nas normas técnicas”, diz Timerman.

Construindo na crise

O vice-presidente do Ibracon citou que os participantes do 57º Congresso Brasileiro do Concreto tinham uma preocupação intrínseca: buscar conhecimento para construir estruturas tecnicamente melhores e que gerem menor custo. Para Julio Timerman, a crise econômica desencadeou esse comportamento. “A engenharia busca alternativas para construir estruturas mais resistentes e esbeltas, economizando recursos. Isso também é sustentabilidade. Foi assim que aconteceu no período da Segunda Guerra Mundial, quando o concreto protendido permitiu um grande salto para se construir grandes estruturas. A crise influi, mas temos que aproveitar esta situação para nos sobressairmos nos aspectos técnico e econômico”, destaca.

Mesa de debatedores no 57º Congresso Brasileiro do Concreto: sustentabilidade do material foi o tema central do encontro
Mesa de debatedores no 57º Congresso Brasileiro do Concreto: sustentabilidade do material foi o tema central do encontro

Entre os conferencistas com experiência internacional que participaram do 57º Congresso Brasileiro do Concreto esteve a brasileira Jussara Tanesi, que atua no Transportation Research Board. O organismo é um centro de pesquisa governamental, que pesquisa materiais e o aperfeiçoamento de tecnologias para serem aplicadas na construção de estradas, pontes, viadutos e túneis nos Estados Unidos. Outro palestrante foi Lambert Houben, da Universidade de Delft, na Holanda. Essa universidade é, atualmente, uma das mais inovadoras em pesquisas relacionadas ao concreto. Ambos destacaram o excelente nível das normas técnicas brasileiras voltadas à produção de concreto e o reconhecimento do Ibracon como um dos principais organismos do continente americano em pesquisa de concreto. “O Brasil sempre foi reconhecido mundialmente pelos seus aspectos técnicos e aspectos executivos na área do concreto”, finaliza Julio Timerman.

Entrevistado

Engenheiro civil Julio Timerman, vice-presidente do Ibracon (Instituto Brasileiro do Concreto), com vasta experiência em engenharia de estruturas

Contato: projetos@engeti.eng.br

Cerca de mil especialistas envolvidos com cadeia produtiva do concreto participaram do congresso realizado em Bonito-MS
Cerca de mil especialistas envolvidos com cadeia produtiva do concreto participaram do congresso realizado em Bonito-MS

Créditos Fotos: Divulgação/Ibracom

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo