Curso técnico na construção civil: quais as opções e as vantagens?

Veja como escolher os melhores cursos na área e como selecionar uma boa instituição

Em agosto de 2023, a construção civil registrou 28.359 novos postos de trabalho com carteira assinada em todo o país, segundo dados do Ministério do Trabalho. Com isso, o setor responde por 16% dos novos empregos criados no Brasil, de acordo com a economista da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Ieda Vasconcelos. Dentro deste cenário, o setor se mostra bastante promissor.

Para quem deseja trabalhar na área, há várias possibilidades de atuação e de formação – além da graduação tradicional em cursos de Engenharia, há ainda as opções de fazer cursos técnicos e tecnológicos. Veja como eles funcionam e como escolher a melhor opção para a sua carreira.

Diferenças entre cursos técnicos e tecnológicos

Em primeiro lugar, é preciso entender que há algumas diferenças entre cursos técnicos e tecnológicos. Confira como funcionam cada um deles:

Cursos técnicos

Normalmente, são cursos de nível médio, com duração, em geral, entre 1 e 2 anos, com objetivo de promover formação profissional de nível tático-operacional. “Eles preparam os alunos para cargos técnicos em várias (macro)áreas, como informática, edificações, eletrônica, enfermagem, mecânica, entre outras”, informam Carlos Eduardo Machado de Oliveira, instrutor de Formação Profissional, tecnólogo em Edifícios e Mestre em Engenharia de Produção do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI – SP); e João Batista da Silva, coordenador de Atividades Pedagógicas e Engenheiro Industrial Mecânico do (SENAI – SP), pedagogo e especialista em Gestão Escolar.

Ainda, segundo Oliveira e Silva, cursos técnicos estão disponíveis para estudantes que concluíram o ensino médio ou para estudantes do ensino médio que escolheram fazer o 5º itinerário.


O curso técnico é uma formação de nível médio, enquanto o curso de tecnólogo é uma graduação de nível superior.
Crédito: Envato

Cursos tecnológicos

São cursos de nível superior, com duração, geralmente, entre 1, 5 e 3 anos que oferecem uma formação mais abrangente e aprofundada em áreas mais específicas (micro), como tecnologia da informação, edifícios, pavimentação, controle de obras, design, entre outras. “São cursos que promovem formação profissional de nível tático-estratégico”, explicam Oliveira e Silva.

Os cursos tecnológicos, por sua vez, requerem um diploma de ensino médio ou equivalente para ingresso. Os pré-requisitos específicos podem variar de acordo com a instituição e o curso, então é importante verificar os requisitos individuais de cada programa, segundo Oliveira e Silva.

Cursos mais procurados na construção civil

De acordo com Oliveira e Silva, alguns cursos populares na área de construção civil incluem:

  • Técnico em Edificações;
  • Tecnologia de Edifícios;
  • Tecnologia de Controle de Obras (além da Engenharia Civil);
  • Mestre de Obras;
  • Construtor de Edificações;
  • Construtor de Alvenaria;
  • Assentador de Revestimento Cerâmico.

“A maior procura por esses cursos pode ser atribuída à alta demanda por profissionais qualificados na indústria da construção, devido ao contínuo crescimento urbano e desenvolvimento de infraestrutura em muitas regiões. No SENAI-SP, o curso Técnico de Edificações, ofertado na modalidade presencial em duas unidades, possui alta procura, recebendo estudantes de variados níveis de formação, inclusive já formados em arquitetura e engenharia civil, sob o argumento de ser um curso mais prático, mais atualizado”, afirmam Oliveira e Silva.

Como escolher um bom curso técnico/tecnológico na construção civil?

Para selecionar a melhor opção para a sua carreira, Oliveira e Silva indicam refletir sobre os seguintes tópicos:

  • Interesses e objetivos: Considere seus interesses e objetivos de carreira para escolher um curso que esteja alinhado com seus planos futuros.
  • Reputação da instituição: Pesquise sobre a reputação da instituição de ensino, a qualidade do programa e se o curso específico é reconhecido pelo MEC. Vale lembrar que mesmo instituições de ensino populares podem possuir, em seu portfólio, algum curso ainda não reconhecido pelo MEC, ou mesmo, descredenciado.
  • Carga horária e duração: Verifique a carga horária do curso, sua programação e sua duração para garantir que se encaixe em sua programação e disponibilidade. Também pode ser uma opção, a verificação de oferta do curso na modalidade EAD (Ensino à Distância).
  • Oportunidades de estágio/prática: Procure programas que ofereçam oportunidades práticas, estágios ou cooperação com empresas.
  • Perspectivas de emprego: Avalie as perspectivas de emprego na área relacionada ao curso que pretende fazer.
  • Atualização tecnológica: A indústria, em geral, está em constante transformação, para atender às demandas e necessidades de uma sociedade cada vez mais complexa e exigente. Busque cursos que contemplem as novas tendências e ferramentas tecnológicas atuais e/ou inovadoras.

Onde é possível atuar com estes cursos?

Os cursos técnicos e tecnológicos em construção civil preparam os profissionais para cargos específicos em diversas áreas. Segundo o Senai-SP, dependendo do curso escolhido, os formados podem atuar em:

  • Empresas de construção civil (Incorporadoras, Construtoras e Casas de Materiais de Construção);
  • Empresas de engenharia e arquitetura (Serviços especializados);
  • Laboratórios de ensaios tecnológicos.

Dentre as áreas de atuação estão:

  • Gerenciamento de projetos de construção;
  • Desenvolvimento de projetos arquitetônicos e de engenharia;
  • Planejamento operacional de obras;
  • Inspeção e fiscalização de obras;
  • Controle tecnológico de materiais e serviços.

“Esses cursos fornecem habilidades práticas e teóricas que são valorizadas no mercado de trabalho e podem levar a oportunidades de carreira sólidas na área de construção civil e indústrias relacionadas”, afirmam Oliveira e Silva.

Entrevistados

Carlos Eduardo Machado de Oliveira é instrutor de formação profissional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI – SP) e tecnólogo em edifícios e mestre em Engenharia de Produção.

João Batista da Silva é coordenador de Atividades Pedagógicas do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI – SP) e engenheiro industrial mecânico, pedagogo e especialista em Gestão Escolar.

Contato:

Assessoria de imprensa Senai-SP: ewerton.ferrari@sp.senai.br


Jornalista responsável
Marina Pastore
DRT 48378/SP



Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo