Caixa volta a cortar juros do financiamento imobiliário

Medida abrange imóveis com valor igual ou acima a 1,5 milhão de reais e busca ampliar crédito à classe média

Pedro Guimarães
Pedro Guimarães: recentes medidas da Caixa atendem classe média e inadimplentes de baixa renda. Crédito: CEF

Quem busca financiamento imobiliário na Caixa Econômica Federal já consegue pagar juros menores, principalmente se o imóvel pretendido estiver na faixa de 1,5 milhão de reais. Isso ocorre por que, desde 10 de junho de 2019, o banco igualou as taxas do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). O SFH é voltado para os financiamentos do Minha Casa Minha Vida, e com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), enquanto o SFI é destinado a imóveis com valor similar ou acima a 1,5 milhão de reais, sem cobertura do FGTS.

Por abranger unidades mais caras, tradicionalmente o SFI cobrava juros mais altos que o SFH. Agora, a taxa mais alta caiu de 11% ao ano para 9,75% ao ano, mais a TR. Quem é correntista ou tem algum tipo de relacionamento com a Caixa vai pagar taxas ainda menores: 8,5% ao ano, mais TR. “A grande mensagem é que nós estamos eliminando as distorções, para que não haja tratamento diferenciado em categorias de renda”, destaca o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, para quem a medida busca ampliar o crédito habitacional para a classe média.

Os novos percentuais não valem apenas para a aquisição de imóveis novos, mas também para o financiamento de usados, compra de terreno para construção, construção em terreno próprio e reformas. Outra novidade é que esses financiamentos com taxas menores de juros poderão ser feitos pela modalidade Price, a qual tem parcelas fixas e começam menores que as da modalidade SAC. “Essa era uma demanda não apenas dos construtores, mas também de todo o mercado imobiliário”, justifica Pedro Guimarães. As recentes decisões não valem para financiamentos envolvendo o Minha Casa Minha Vida.

Programa facilita renegociação de dívida para quem financiou a casa própria

Para os clientes de baixa renda, e que enfrentam dificuldades para pagar o financiamento imobiliário, a Caixa anunciou um programa de renegociação de dívidas imobiliárias. O devedor poderá pagar parte do atraso à vista e incorporar as parcelas atrasadas nas prestações seguintes. O mutuário também poderá abater das prestações o saldo do FGTS ou mudar a data de vencimento das parcelas. A expectativa do banco é renegociar 589 mil contratos que estão em atraso, o que equivale a cerca de 10,1 bilhões de reais. “Antes, com 59 dias de atraso, a Caixa já começava a tomar as medidas legais para retomar o imóvel. Não vamos fazer mais isso. Queremos dar oportunidade para a pessoa regularizar seu financiamento”, diz Pedro Guimarães.

Boa parte desses contratos em atraso tem prestações variando entre 25 reais e 50 reais, ou seja, se relacionam com a faixa 1 do Minha Casa Minha Vida. De acordo com o presidente da Caixa, não se trata de inadimplência elevada. A maioria está com menos de seis prestações em atraso. “A ação é para uma devolução de cidadania financeira às pessoas. Entendemos que o bem material mais importante para a família é a casa própria. São 2,3 milhões de pessoas que serão beneficiadas pelo programa. A Caixa quer evitar que elas percam o seu bem mais precioso”, completa. Mais informações podem ser obtidas no telefone 0800 726 8068 (opção 8) ou no site www.caixa.gov.br/negociar.

Entrevistado
Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal
(via assessoria de imprensa)

Contato: imprensa@caixa.gov.br

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo