SindusCon não adota cadastro positivo do concreto

Paraná e Rio Grande do Sul alegam ter parceria com a Associação Brasileira de Cimento Portland; em Santa Catarina, atuação é mais relevante

Paraná e Rio Grande do Sul alegam ter parceria com a Associação Brasileira de Cimento Portland; em Santa Catarina, atuação é mais relevante

Por: Altair Santos

Os Sindicatos da Indústria da Construção (SindusCon) do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul não possuem cadastro positivo de concreteiras para fornecer a seus associados. Essa lista seria útil para que as construtoras tivessem uma referência sobre quem produz concreto dentro das normas técnicas e dos procedimentos adequados para se obter um material de qualidade. “O SindusCon não é um órgão fiscalizador. Evidentemente que, quando há uma denúncia, chamamos o associado para discutir o assunto. E quando não é o associado, encaminhamos para os órgãos competentes. Mas o setor da indústria da construção civil no Brasil não tem, regularmente, organismos fiscalizadores”, admite Marco Aurélio Alberton, vice-presidente de tecnologia, qualidade e habitação do SindusCon de Santa Catarina.

Controle da qualidade do concreto: SindusCon afirma que não é função dele fiscalizar

Comparativamente ao SindusCon do Paraná e ao do Rio Grande do Sul, o organismo catarinense mostra-se mais atuante. Apesar da falta de um cadastro positivo, mobiliza-se quando as construtoras apontam falhas em algum segmento da cadeia produtiva. “Recentemente, fizemos um acordo para melhorar a qualidade dos elevadores e das gruas utilizadas nas obras”, afirma Marco Aurélio Alberton, reconhecendo que em outros países, como a França, existe fiscalização governamental sobre qualidade e desempenho das construções. “Aqui, apenas quando a obra é entregue, e quando surgem problemas, é que vem um perito para fazer a avaliação judicial, para depois ser comprovado ou não o desempenho da obra”, completa.

No SindusCon-RS, através de nota divulgada pela assessoria de imprensa, foi explicado que o organismo não “gerencia os materiais que as empresas utilizam em suas obras”. “No que tange ao concreto, temos uma parceria com a ABCP(Associação Brasileira de Cimento Portland), através da Comunidade da Construção, que promove a orientação das empresas associadas”, completa a nota. Para o SindusCon-RS, ao disseminar o cumprimento de normas técnicas, ministrar cursos e realizar parcerias, como a firmada com a ABCP, ele já cumpre o papel de incentivar boas práticas no canteiro de obras. Procedimento semelhante é adotado no SindusCon-PR. “Não temos iniciativas voltadas especificamente ao segmento de controle de qualidade do concreto e, neste caso, agimos em parceria com a ABCP”, diz breve nota divulgada pela assessoria de imprensa do organismo paranaense.

Marco Aurélio Alberton, do SindusCon-SC: quando há denúncia, procuram-se acordos pontuais

Gestão do concreto preocupa

No CREA-PR, o assessor de relações com o setor empresarial, Euclésio Manoel Finatti, afirma que a missão do conselho é verificar se as concreteiras têm responsável técnico. “Todas as empresas têm que ter um responsável técnico. É este profissional que vai verificar a qualidade do trabalho que está sendo executado na obra. Ele é o responsável pela qualificação, pela qualidade do concreto e pelo tipo de aplicação do produto”, explica Finatti. Em caso de denúncia, o CREA-PR informa que é o responsável técnico da concreteira que fica sob investigação. “Damos continuidade à denúncia, levando-a para o conselho e para a câmara especializada de engenharia civil, que é quem faz essas verificações sobre concreto. Ela vai avaliar e ver se o profissional fez o procedimento correto”, conclui Euclésio Manoel Finatti.

Recentemente, no 4º Fórum de Engenharia do Recife-PE, o diretor de planejamento e professor do Instituto IDD, Cesar Henrique Daher, demonstrou preocupação com a gestão tecnológica do concreto nas obras nacionais. “O que se vê no mercado atual é a perda da cultura voltada ao controle de qualidade do concreto. As empresas que fazem a gestão tecnológica deste material tão fundamental para a construção civil ainda são deixadas em segundo plano e tratadas como coadjuvantes pelos gerentes das obras, o que coloca em risco a segurança do projeto total”, destacou. Segundo Daher, uma das soluções para este problema é o maior envolvimento do engenheiro tecnologista em todas as fases da obra, desde a primeira etapa do projeto até a entrega do resultado final. Daher diz ainda que é fundamental a atuação deste profissional em colaboração com os engenheiros projetistas, gerentes e executores da obra.

Euclésio Manoel Finatti: CREA-PR fiscaliza o responsável técnico das concreteiras

Entrevistados
– Sindicato da Indústria da Construção do Paraná (via assessoria de imprensa)
– Sindicato da Indústria da Construção do Rio Grande do Sul (via assessoria de imprensa)
– Engenheiro civil Marco Aurélio Alberton, vice-presidente de tecnologia, qualidade e habitação do SindusCon-SC
– Engenheiro civil Euclésio Manoel Finatti, assessor de relações com o setor empresarial do CREA-PR
– Engenheiro civil Cesar Henrique Daher, diretor de planejamento e professor do Instituto IDD

Contatos
sinduscon@sindusconpr.com.br
sinduscon@sinduscon-fpolis.org.br
euclesio@braengel.com.br
atendimento@institutoidd.com.br
www.sinduscon-rs.com.br

Créditos Fotos: Divulgação/SindusCon-SC/CREA-PR

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo