Brasileiros aquecem mercado de imóveis nos EUA

Seja para investir ou para morar, país oferece casas e apartamentos de alto padrão que podem custar até sete vezes menos do que no Brasil

Seja para investir ou para morar, país oferece casas e apartamentos de alto padrão que podem custar até sete vezes menos do que no Brasil

Por: Altair Santos

Casas em condomínio fechado, apartamentos bem localizados, imóveis com muita segurança e cozinhas equipadas com eletrodomésticos. Alguns têm até 200 m² de área construída, e é possível comprá-los na faixa de R$ 350 mil a R$ 500 mil. E mais: o mercado está aquecido. O anúncio em questão não é aqui no Brasil, mas nos Estados Unidos. Porém, os compradores são brasileiros. O interesse é tão intenso que já existe até uma feira própria para estimular esse nicho imobiliário: a Investir USA Expo. “Após a crise de 2008 houve uma grande oferta. Os preços baixaram muito e o câmbio ainda está ao nosso favor. Consequentemente, os brasileiros encontram excelentes oportunidades de investimentos, e de compra de propriedades com total infraestrutura”, diz Daniel Rosenthal, que é corretor imobiliário e faz essa ponte entre Brasil e EUA.

Casa em Orlando, com três quartos: custo de US$ 170 mil (cerca de R$ 411 mil)

Os negócios envolvendo a venda de imóveis nos Estados Unidos para brasileiros, principalmente nas cidades de Miami, Orlando e a região de Fort Lauderdale – todas no estado da Flórida -, são estimulados também pelo valor excessivamente caro de casas e apartamentos similares no Brasil, principalmente em metrópoles como São Paulo e Rio de Janeiro. “Um comparativo recente entre um imóvel na zona sul do Rio de Janeiro e um em Miami mostrou que nos Estados Unidos o preço chega a ser sete vezes mais barato”, relata Rosenthal, lembrando que um investidor que tenha US$ 170 mil (cerca de R$ 420 mil) já pode pensar em adquirir uma casa nos Estados Unidos. “Em Orlando há imóveis novos nesta faixa. Mas há ofertas mais em conta, se o comprador quiser um de segunda mão em áreas menos turísticas e pelos sistemas de vendas de foreclosure e shortsale”, completa.

Como financiar?

Foreclosure é a compra de um imóvel que voltou para o agente financeiro depois que alguém parou de efetuar o pagamento. Normalmente, ele é vendido com desconto e funciona de forma semelhante aos leilões que ocorrem no Brasil. Já o shortsale é a compra de um imóvel em que o dono, sem condições de quitar o financiamento, aceita receber menos do que pagou para se livrar da dívida, que é assumida por outro. Mas também é possível financiar diretamente com o banco. Nos Estados Unidos, as instituições financeiras costumam pedir uma entrada de 30% e financiam o restante em até 30 anos. As taxas de juros estão por volta de 4,25% ao ano. Se o valor do empréstimo ultrapassa US$ 1 milhão (R$ 2,4 milhões) pode haver uma redução de 0,25%. “A taxa inicial é fixa nos primeiros três anos e depois reajustada anualmente”, explica Daniel Rosenthal.

Daniel Rosenthal, organizador da Investir USA Expo: após crise de 2008, brasileiros estão comprando de tudo nos Estados Unidos

Três modelos de imóveis atraem mais os brasileiros que compram nos Estados Unidos: as casas, também chamadas de single family; os condos ou condominiums, que são os apartamentos, e também os townhomes – similares aos sobrados. Praticamente todos oferecem infraestrutura com área de lazer, garagem, piscina e sala de ginástica. Além disso, as construções novas, por exigência legal, precisam ter selos de sustentabilidade e comprovar que foram construídas sem desperdício de material para que as prefeituras locais permitam que sejam colocados à venda. “São imóveis muito bem construídos e erguidos de forma muito mais rápida do que no Brasil. Tudo isso aliado a um país com economia muito mais sólida do que a nossa (Brasil) e em plena recuperação”, finaliza Rosenthal.

Entrevistado
Administrador de empresas Daniel Rosenthal, especializado em marketing promocional, corretor de imóveis há 22 anos, ex-gerente de marketing do Secovi-SP e sócio-proprietário da Taurus Marketing, organizadora da feira Investir USA Expo
Contatos
daniel@taurusmarketing.com.br
contato@taurusmarketing.com.br
Skype: taurusmkt
@taurusmkt (twitter)

Créditos Fotos: Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos – CP IV-32 RS

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-32

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler – CP II-F-40

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial – CP V-ARI

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo