Pequeno varejo da construção se une em cooperativas

Na Alemanha e nos Estados Unidos, essa solução fortaleceu o comércio de bairro para competir com as grandes redes do setor

Na Alemanha e nos Estados Unidos, essa solução fortaleceu o comércio de bairro para competir com as grandes redes do setor

Por: Altair Santos

A Anamaco promoveu recentemente o 1º Encontro Internacional do Varejo de Material de Construção. Ao trazer palestrantes da Europa e dos Estados Unidos, a Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção buscou mostrar iniciativas inovadoras de sucesso praticadas em países do hemisfério norte, e que podem ser adaptadas à realidade brasileira.

Palestrantes no seminário Varejo do Mercado da Construção: ideias para o Brasil
Palestrantes no seminário Varejo do Mercado da Construção: ideias para o Brasil

Na Alemanha e nos Estados Unidos, a venda online de materiais de construção já é realidade. Nestes países, outro tipo de serviço que cresce no comércio de material de construção é o que promove workshops dentro das lojas, e que ensinam o cliente a fazer pequenas reformas. Trata-se do modelo “faça você mesmo” (do it yourself).

As cooperativas também surgem como soluções bem-sucedidas para enfrentar as grandes redes. Nelas, pequenos comerciantes se unem para conseguir descontos dos fornecedores e ganhar competitividade nos preços, além de oferecer pronta entrega. “É importante compartilhar novos conceitos e inspirar o setor a se espelhar nos bons exemplos internacionais”, diz Marcos Atchabahian, presidente do conselho deliberativo da Anamaco.

Entre os palestrantes do encontro esteve Philipp Löesche, diretor de marketing da Knauber. A empresa é uma rede com 40 anos de experiência na Alemanha. Seu foco é vender material de construção para a classe média alemã e, por isso, prioriza muito o “do it yourself”. “Nossos 750 funcionários, espalhados pelas nossas sete lojas, têm a missão de orientar o cliente a deixar a casa dele mais bonita”, afirma em sua palestra.

A Knauber também investe em tecnologias para vender mais. Entre elas, o comércio online, quiosques de autoatendimento e simuladores de projetos, onde o consumidor pode, através de um aplicativo baixado no smartphone, ver como o ambiente da sua casa vai ficar com o uso de determinado material. “Isso atrai a atenção do cliente e mostra como ficará a casa antes mesmo da reforma”, completa Philipp Löesche.

Cooperativismo
O evento também teve a participação do secretário-geral da Associação Europeia do Varejo de Material de Construção (EDRA) e da Rede Global do Varejo de Material de Construção (GHIN), John Herbert. Os organismos reúnem mais de 22 mil lojas – boa parte voltada para o comércio local. “O comerciante local de material de construção é aquele que conhece o cliente, vive no bairro e, muitas vezes, sabe até onde o consumidor mora. Ninguém melhor que ele para enfrentar a impessoalidade das grandes redes de varejo”, assegura Herbert.

Os ensinamentos do dirigente da EDRA e da GHIN foram complementados por Alberto Vidal, diretor de desenvolvimento de negócios internacionais da ACE. Trata-se de uma rede cooperada que engloba 4.700 pequenos lojistas, principalmente nos Estados Unidos. “É um modelo de negócio que permite aos comerciantes pequenos terem poder de barganha junto aos fornecedores e fabricantes”, explica.

Nos Estados Unidos, a ACE conta atualmente com 14 centrais de distribuição, que cobrem o país praticamente de costa a costa, além de frota compartilhada. “Tudo isso sem tirar a independência do comércio. Apenas ajudamos o varejista a crescer mais, sem perder as características de loja do bairro”, garante Alberto Vidal.

Saiba mais sobre a EDRA e a GHIN.
Saiba mais sobre a ACE.

Entrevistados
Marcos Atchabahian, presidente do conselho deliberativo da ANAMACO
Philipp Löesche, diretor de marketing da Knauber
John Herbert, secretário-geral da Associação Europeia do Varejo de Material de Construção (EDRA) e da Rede Global do Varejo de Material de Construção (GHIN)
Alberto Vidal, diretor de desenvolvimento de negócios internacionais da ACE

Contatos

dir.mktnovosnegocisos@anamaco.com.br
philipp.loesche@knauber.de
herbert@edra-online.org
avidal@acehardware.com

Crédito Foto: Divulgação/Anamaco

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Massa Cinzenta

Cooperação na forma de informação. Toda semana conteúdos novos para você ficar por dentro do mundo da construção civil.

Veja todos os Conteúdos

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

Cimento Portland pozolânico resistente a sulfatos

Baixo calor de hidratação, bastante utilizado com agregados reativos e tem ótima resistência a meios agressivos.

Cimento Portland composto com fíler

Com diversas possibilidades de aplicações, o Cimento Portland composto com fíler é um dos mais utilizados no Brasil.

Cimento Portland composto com fíler

Desempenho superior em diversas aplicações, com adição de fíler calcário. Disponível somente a granel.

Cimento Portland de alta resistência inicial

O Cimento Portland de alta resistência inicial tem alto grau de finura e menor teor de fíler em sua composição.

descubra o cimento certo

Cimento Certo

Conheça os 5 tipos de cimento Itambé e a melhor indicação de uso para argamassa e concreto.Use nosso aplicativo para comparar e escolher o cimento certo para sua obra ou produto.

descubra o cimento certo