Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

UNICAMP passa a ser a principal universidade latina

Qualificação Profissional, Universidade e Pesquisa 24 de agosto de 2017

Ranking da revista britânica Times Higher Education valoriza volume de pesquisas e transferência de conhecimento da universidade

Por: Altair Santos

A Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) assumiu o primeiro lugar no ranking de universidades da América Latina, incluindo o México, segundo levantamento da revista britânica Times Higher Education – especializada em notícias sobre o ensino superior em todo o mundo. A UNICAMP, localizada em Campinas-SP, superou a USP (Universidade de São Paulo) pela primeira vez. O que faz a diferença é a capacidade de transferir conhecimento para o mercado, sobretudo para a indústria, e o volume de citações em trabalhos internacionais. A USP segue liderando em número de pesquisas, mas que ficam restritas ao universo acadêmico.

Reitor Marcelo Knobel, em assinatura de convênio com universidade da Coreia: UNICAMP lidera em parcerias internacionais

Reitor Marcelo Knobel, em assinatura de convênio com universidade da Coreia: UNICAMP lidera em parcerias internacionais

O desempenho da UNICAMP engloba também seus trabalhos relacionados à engenharia civil e à arquitetura e urbanismo. No total, a Times Higher Education avalia 13 quesitos relacionados à qualidade do ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e grau de internacionalização. “A USP lidera na qualidade de seu ambiente de pesquisa, mas a Universidade de Campinas supera em quantidade de citações em outros trabalhos internacionais e em transferência de conhecimento para a indústria”, diz Phil Baty, editor do ranking, que, pela segunda vez, avalia as universidades sul-americanas.

Marcelo Knobel, reitor da Universidade Estadual de Campinas, disse que o resultado do ranking reflete a estratégia de 15 anos de investimentos que a instituição fez em sua área de pesquisa e dos esforços para transferir conhecimento. “A universidade tem um processo muito seletivo na contratação de professores focados em pesquisa e trabalha em estreita colaboração com empresas”, relata. Para Knobel, a partir de agora, o esforço deve ser redobrado. “Temos agora um esforço extra para, apesar da grave crise que estamos atravessando, conseguir manter essa posição no cenário internacional”, ressalta.

O reitor afirma que a UNICAMP – assim como as demais universidades públicas do Brasil – trava uma luta com a escassez de recursos. “Nosso orçamento está perto do que era em 2008, mas o problema é que a universidade cresceu cerca de 30% nesse mesmo período. Mesmo com a expansão, tivemos que restringir nosso investimento em novos edifícios. Isso afetará a pesquisa e o funcionamento da universidade”, afirma. A falta de investimento se reflete no ranking. Em 2016, o Brasil teve 23 universidades entre as 50 melhores da América Latina. Neste ano, foram 18.

Chile é o que mais cresce
Para Phil Baty, editor da Times Higher Education, a situação de crise do país acende a luz de alerta para a competitividade das universidades do país. Segundo ele, proporcionalmente, o Brasil já gasta menos com o ensino superior que Argentina, Chile, Colômbia, México e Uruguai. “Os salários dos pesquisadores brasileiros também são muito baixos para os padrões mundiais e estão entre os menores na região”, completa. Resultado: o Chile já tem 15 universidades no top 50 – em 2016, eram 11. A Colômbia subiu de quatro para cinco e a Argentina surge na lista das 50 melhores pela primeira vez, com duas escolas.

No top 10, cinco universidades são brasileiras. Além de UNICAMP e USP, aparecem UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo [7º lugar]), UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro [8º]) e a PUC-Rio (9º). Ao todo, 32 instituições brasileiras aparecem no ranking, que inclui 81 universidades de oito países. No entanto, em relação à lista de 2016, 20 escolas brasileiras caíram no ranking. O levantamento da Times Higher Education detectou também o aumento de universidades privadas entre as melhores do continente. Na edição deste ano, elas já representam 50% entre as ranqueadas.

Confira aqui o ranking completo da Times Higher Education para a América Latina

Entrevistados
– Phil Baty, diretor editorial e de rankings globais da Times Higher Education
– Reitoria da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) (via assessoria de imprensa)

Contatos
Phil.Baty@tesglobal.com
portal@unicamp.br

Crédito Foto: Antoninho Perri/UNICAMP

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também: