Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Perto dos 160 anos, torre do Big Ben passa por retrofit

Gestão, Gestão de Obras, Mercado da Construção 9 de agosto de 2017

Elizabeth Tower precisa sofrer reparos em sua estrutura, a fim de que possa suportar as 14 toneladas do relógio mais famoso do mundo

Por: Altair Santos

Big Ben: torre que abriga o relógio mais famoso do mundo ficará três anos em reforma

Big Ben: torre que abriga o relógio mais famoso do mundo ficará três anos em reforma

Inaugurado em 1858, a torre que abriga o relógio mais famoso do mundo – o Big Ben – ficará três anos sem receber visitas. Oficialmente chamada de Elizabeth Tower, a edificação passará por reformas em sua estrutura e na fachada, além de ganhar elementos que vão melhorar a mobilidade para receber os milhares de turistas que a visitam anualmente, e também dos que trabalham na manutenção do relógio. Uma das novidades será a implantação de um elevador. O retrofit tem custo estimado em 150 milhões de reais e todo o projeto está a cargo de empresas de arquitetura e de engenharia britânicas.

Um dos reparos mais urgentes está relacionado ao reforço da estrutura de aço que sustenta o relógio. O equipamento pesa quase 14 toneladas e inspeções detectaram rachaduras e até uma pequena inclinação, o que compromete uma das qualidades do Big Ben: a precisão. Por isso, projetistas avaliam envolver o relógio em uma armadura de concreto. Para que isso ocorra, primeiro é necessário tratar das patologias que afetam a torre. Entre elas, rachaduras e fissuras, além do prédio carecer de reforços em seus pilares.

Antes das obras começarem, um aparato de andaimes foi instalado em volta da torre para escorá-la e também para permitir o acesso dos operários aos vários pontos que terão de ser reformados. Outra preocupação é com os sinos que compõem o Big Ben. Estudo da Universidade de Leicester, cujo departamento de engenharia civil presta assessoria técnica para a reforma, aconselhou que os sinos não sejam retirados, sob o risco de que eles possam não emitir mais o mesmo som de antes.

Instalação de andaimes marca início das obras na Elizabeth Tower

Instalação de andaimes marca início das obras na Elizabeth Tower

Martin Cockrill, técnico do departamento de engenharia da Universidade de Leicester, que lidera a equipe que assessora a reforma da Elizabeth Tower, também orienta sobre a recuperação do campanário do prédio, a fim de que não seja afetada a sonoridade do sino. Segundo ele, haverá a colocação de sensores nas paredes, a fim de que o espaço mantenha o mesmo desempenho acústico. “O objetivo é fazer tudo para preservar o som do conjunto de sinos”, diz.

Símbolo mundial
As reformas na Elizabeth Tower começaram em 2 de março de 2017. Além das obras estruturais, a torre ganhará equipamentos para prevenção de incêndio. Com o objetivo de poupar a escadaria em espiral de 334 degraus, também será instalado um elevador de serviço para atender as equipes de manutenção do relógio, que diariamente precisavam subir e descer a escada. No entanto, os turistas terão que continuar encarando os 334 degraus, já que é uma espécie de ritual para quem visita o Big Ben, em Londres.

Estrutura de aço que suporta o relógio apresenta problemas e alvenaria do prédio também vai precisa tratar patologias

Estrutura de aço que suporta o relógio apresenta problemas e alvenaria do prédio também vai precisa tratar patologias

A última grande reforma pela qual passou a Elizabeth Tower foi entre 1983 e 1985. “As propostas atuais abordarão uma manutenção mais minuciosa, pois teremos a tecnologia da construção a serviço da obra”, afirma Martin Cockrill. Já Tom Brake, porta-voz da comissão da Câmara dos Comuns, que autorizou o orçamento para a reforma, justifica o gasto, garantindo que é uma obrigação governamental assegurar que as “futuras gerações tenham a Elizabeth Tower preservada”. “Não estamos falando apenas de um símbolo britânico, mas mundial”, reitera. A Elizabeth Tower faz parte do complexo do Palácio de Westminster, que abriga o parlamento do Reino Unido.

Entrevistado
Assessoria de comunicação do parlamento do Reino Unido

Contato
HOCMediaCorporate@parliament.uk

Crédito Fotos: UK Parliament

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também: