Para cada cidade, um apartamento diferente

Diego Simon: no Minha Casa Minha Vida o que vale é a realização do sonho da casa própria

Para cada cidade, um apartamento diferente

Para cada cidade, um apartamento diferente 1024 739 Cimento Itambé

Pesquisa realizada em nove capitais brasileiras mostra como se comporta o consumidor e quais as preferências na hora de comprar imóvel

Por: Altair Santos

O que é mais valorizado na compra de um apartamento? Para responder a essa pergunta, uma pesquisa consultou compradores de imóveis em nove capitais (Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo). De cidade para cidade, as preferências apontam para itens em comum, como elevadores e varandas, mas também revelam peculiaridades.

Diego Simon: no Minha Casa Minha Vida o que vale é a realização do sonho da casa própria

Como ocorre na capital gaúcha, por exemplo, onde não pode faltar a churrasqueira dentro do apartamento ou no condomínio. Em Curitiba, é indispensável a “face norte“, pelo fato de a cidade ser a capital que registra as temperaturas mais baixas do país. São Paulo não abre mão de uma segunda vaga na garagem e Rio de Janeiro exige estrutura de academia no condomínio.

A pesquisa, coordenada pela Viva Real, uma operadora de imóveis que atua nas principais capitais brasileiras, abordou apenas imóveis voltados para a faixa salarial acima de cinco mil reais. Segundo Diego Simon, vice-presidente de operações e cofundador da empresa, o Minha Casa Minha Vida não fez parte do estudo porque no programa as demandas são outras. “No Minha Casa Minha Vida, o que conta é a realização do sonho da casa própria como principal item de satisfação”, avalia.

Além dos itens preferencias apontados pelos compradores, imóveis também recebem a preferência de compra quando cumprem alguns requisitos indispensáveis. Entre eles, localização, área útil e número de dormitórios, variando a ordem de importância. “Para um casal com filhos, muitas vezes a questão do número de dormitórios prevalece. Já para casais jovens sem filhos ou proprietários solteiros a localização tende a prevalecer”, diz Diego Simon.

O levantamento realizado pela Viva Real levou em consideração tanto apartamentos novos quanto usados, e se o interesse é para moradia, para investir ou para locação. “Para quem vai investir, a decisão de compra baseia-se no potencial de valorização. Se for para morar, os itens essenciais e acessórios do imóvel têm peso maior. No caso da locação, o que conta é o valor do aluguel em relação à renda”, cita Diego Simon.

Confira as preferências dos moradores em cada uma das capitais pesquisadas:

Belo Horizonte: área privativa
O mineiro gosta de receber numa varanda que não seja aberta, mas que preserve sua privacidade através de vidros.

Curitiba: cômodos voltados para as faces Norte e Oeste
Para quem mora na capital mais fria do país, ter um apartamento ensolarado está acima de qualquer outro equipamento.

Florianópolis: churrasqueira e elevador
Cidade tem um volume grande de moradores de outras cidades do sul do país e a cultura do churrasco é forte. Por se tratar de uma área litorânea, a cidade tem muitos prédios com três ou quatro pavimentos. Mesmo assim, o elevador é uma exigência.

Fortaleza: fachadas voltadas para o nascente do sol
Na capital cearense é prioritário que o sol bata no imóvel durante a manhã, quando o clima é mais fresco e ajuda a ventilar o apartamento.

Porto Alegre: churrasqueira
Na capital gaúcha, o equipamento pode estar no próprio apartamento ou no condomínio, mas não pode faltar.

Recife: fachada voltada para o nascente do sol
Na capital pernambucana é prioritário que o sol bata no imóvel durante a manhã, quando o clima é mais fresco e ajuda a ventilar o apartamento.

Rio de Janeiro: infraestrutura de esportes e lazer
O carioca leva a cultura esportiva a sério. Por isso, academia e pista de corrida não podem faltar no condomínio. A proximidade de parques que permitam a prática de esportes também é valorizada.

Salvador: piscina, academia e espaço gourmet
O soteropolitano não se incomoda se a área útil tiver metragem pequena, desde que não falte a estrutura de um clube no condomínio.

São Paulo: mais de uma vaga na garagem e proximidade do trabalho
O paulistano passou a valorizar a localização, principalmente se o imóvel é perto de seu trabalho. Mesmo assim, ter pelo menos duas vagas na garagem é essencial.

Entrevistado
Diego Simon é administrador de empresas e pós-graduado em Gestão de Pequenas e Médias Empresas pela EAESP-FGV, com vivência na Argentina, Espanha e Colômbia. Atua como vice-presidente de operações da Viva Real.
Contatos
time@vivareal.com
duvidas@vivareal.com

Crédito Foto: Divulgação/VivaReal

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil