Norma melhora instalação de telhas de fibrocimento

Norma manteve necessidade de três apoios nas telhas com medidas a partir de 2,13 metros

Norma melhora instalação de telhas de fibrocimento

Norma melhora instalação de telhas de fibrocimento 1024 869 Cimento Itambé

Após processo de revisão, que durou mais de oito meses, ABNT NBR 7196 aprimora procedimentos de instalação, segurança e armazenamento do produto

Por: Altair Santos

Desde 11 de dezembro de 2014 está em vigor a versão revisada da ABNT NBR 7196 – Folha de Telha Ondulada de Fibrocimento – Procedimento. Ela estabelece requisitos para projetos e execuções de coberturas e fechamentos laterais com telhas de quatro, cinco, seis e oito milímetros de espessura e perfis estruturais. A normativa teve seu processo de revisão a cargo do Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados (ABNT/CB-18).

Rosário Carvalho Jaques: revisão tornou linguagem da norma mais acessível

O engenheiro Rosário Carvalho Jaques, coordenador de atendimento aos clientes da Multilit, fez parte da comissão que revisou a norma. Destacam-se na nova ABNT NBR 7196 as figuras para facilitar a instalação de parafusos, ganchos e pinos que fixam as telhas de fibrocimento. O novo texto também aborda aspectos de segurança e de manutenção dos equipamentos. Confira entrevista que explica o que mudou na norma técnica:

Desde 11 de dezembro de 2014, a versão revisada da ABNT NBR 7196 – Folha de Telha Ondulada de Fibrocimento – Procedimento – está em vigor. O que mudou na norma e qual o impacto dela no mercado?
Na realidade, não houve mudança estrutural da norma. Ocorreu mais um acréscimo de informação de figuras, para que a norma fosse melhor interpretada. Com relação às informações técnicas, agregou pouca coisa. A base dela continua a mesma.

A norma revisada se dedica bastante à instalação. Por quê?
Ela se dedica à instalação para que os projetos possam seguir as diretrizes que a norma determina.

Quanto ao armazenamento das telhas em fibrocimento, a norma revisada destaca o que neste assunto?
A revisão deixou a critério das empresas esse procedimento, mas ele deverá constar em catálogo. A orientação é que o armazenamento das telhas de cimento no sentido horizontal não ultrapasse a quantidade de 100 a 150 telhas. A Multilit, em particular, orienta que o armazenamento horizontal das telhas de 5 e 6 milímetros seja no máximo de 100 unidades. Na vertical, com 15 graus de inclinação, no máximo 300 unidade. Para telhas com 4 milímetros de espessura podem ser empilhadas no máximo 200 unidades).

A norma revisada aborda o processo construtivo das telhas de fibrocimento?
Ela aborda como instalar a telha e como manter um melhor aproveitamento do projeto, a fim de obter uma eficiente estanqueidade do telhado. Seguindo a norma, é possível conseguir um ótimo custo-benefício na cobertura do telhado.

Hoje há quantos fabricantes de telhas de fibrocimento no país?
São 16 fabricantes, segundo o Instituto Brasileiro do Crisotila. Aí, se inclui a Multilit. No entanto, há no mercado 9 marcas de telhas.

Norma manteve necessidade de três apoios nas telhas com medidas a partir de 2,13 metros

Há algum item mais polêmico na revisão da norma?
Um dos itens bastante discutido foi com relação ao apoio das telhas. Sempre houve necessidade de ter os três apoios nas telhas com medidas a partir de 2,13 metros. Na revisão da norma, houve quem defendesse três apoios a partir de telhas com 1,83 metros de comprimento. Mas prevaleceu o que já existia, ou seja, manter os três apoios a partir das telhas com 2,13 metros.

Por quanto tempo a norma ficou em processo de revisão?
A revisão se estendeu por volta de 16 meses, sem contar o período de consulta pública, que durou mais 4 meses. O importante é que foram agregadas informações, tornando-a mais acessível a quem for utilizá-la. Antes, ela estava com uma linguagem muita técnica.

As telhas de fibrocimento ainda são bem consumidas no mercado da construção civil?
O consumo é bem significativo. Ela é uma telha mais barata e oferece economia na estrutura do telhado. Ao utilizar telhas de fibrocimento, a estrutura não tem necessidade de ser muito robusta, além de não absorver calor. Bem diferente do que ocorre quando são usadas telhas cerâmicas ou telhas de concreto.

A questão da proibição do amianto ainda afeta o mercado de telhas de fibrocimento?
Algumas instituições comentam a respeito do amianto e isso faz com que o consumidor fique confuso, vamos dizer assim. Na realidade, existe falta de informação. Com base em pesquisas, entendemos que o amianto, da forma como ele é utilizado na telha, não causa nenhum dano. O produto é amalgamado na telha e não tem como se soltar. O consumidor não possui esta informação.

Há algum outro material em desenvolvimento que venha a concorrer com as telhas de fibrocimento?
Hoje o que se coloca no mercado são as telhas com fibra de PVA (Polivinil Álcool) e de PP (Polipropileno). Elas aumentam o custo da fabricação e se tornam um pouco mais caras no mercado, em função da necessidade da aplicação de aditivos para que o material possa ser agregado à telha.

Para fabricar uma telha de fibrocimento quanto vai de cimento?
Em média, o cimento compõe 90% de uma telha de fibrocimento. O restante são as outras misturas, os aditivos, as fibras e o filler, que é um material que a gente normalmente reutiliza.

Entrevistado
Engenheiro eletricista Rosário Carvalho Jaques, coordenador de SAC (Serviço de Atendimento aos Clientes) e obras civis da Multilit. Atuou na comissão que revisou a ABNT NBR 7196
Contatos
rosariojaques@multilit.com.br
cb18@abcp.org.br

Créditos Fotos: Divulgação/Multilit

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil