Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

NBR 7212 será revisada para acompanhar a evolução do Concreto Dosado em Central

Área Técnica, Normas, Sobre Concreto 15 de junho de 2010

Após 26 anos a NBR 7212 – Execução do Concreto Dosado em Central volta a ser discutida pela ABNT no âmbito do CB-18 – Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados

Por: Engª. Giovana Medeiros – Assessora Técnico Comercial Itambé

Concreto dosado em central

O concreto é um dos materiais da construção mais utilizados em nosso país e no mundo. A busca constante da qualidade, a necessidade da redução de custos e a racionalização dos canteiros de obras, fazem com que o concreto dosado em central seja cada vez mais utilizado.

Desta forma, podemos observar que, nos últimos anos, as concreteiras atingiram um alto nível de desenvolvimento, impulsionadas principalmente pela evolução na área de tecnologia de concreto e sistemas de automação.
 
Este crescimento tecnológico não foi acompanhado pela NBR 7212 e agora completando seus 26 anos, a norma será discutida pela Comissão de Estudos 18:300.10 da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.

O Engº Arcindo Maior, coordenador da Comissão de Estudos e consultor da Associação Brasileira das Empresas de Serviço de Concretagem – ABESC, descreve abaixo a importância desta revisão:

1. Para o senhor, qual a importância da revisão da NBR 7212?
Entendo que essa revisão é muito importante, pois a versão em vigor é de dezembro de 1984 e, 26 anos é muito tempo.

2. Neste período de tempo a tecnologia do concreto, em sua opinião, mudou bastante em relação aos materiais componentes, equipamentos e controle de qualidade?
Tudo mudou muito: os aditivos, os equipamentos de dosagem, os caminhões betoneira, a possibilidade de fazer ajustes de forma rápida nos traços.

3. Quais os principais itens da NBR 7212 que o senhor acha imprescindível revisar?
Pontos que acho importante:
– Como pedimos o concreto;
– Quando aferimos os equipamentos;
– A análise estatística deveria ser reformulada.
Alem disso, é importante referenciar as normas que foram atualizadas e que influenciam a NBR 7212, tais como a qualidade da água. Também acredito que temos de revisar essa norma com base no que virá pela frente: muita tecnologia.

4. Neste período de 26 anos, o senhor acha que a conscientização dos usuários do concreto mudou no sentido do recebimento, aplicação e outros cuidados que se deve ter com o mesmo?
Acho que sim. Felizmente os usuários de hoje são mais exigentes, o que é bom para as empresas associadas da ABESC.

A Comissão de Estudos que revisará esta Norma foi instalada no dia 09 de junho passado e tem como coordenador Arcindo A. Vaquero y Mayor e secretário Luiz Henrique Sartori.

Jornalista responsável: Silvia Elmor – MTB 4417/18/57 – Vogg Branded Content



Tags:
Leia também: