Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Contra tornados, EUA investem em casas de concreto

Área Técnica, Gestão, Mercado da Construção, Sobre Concreto 24 de agosto de 2016

Organismo ligado a seguradoras desenvolve programa para a construção de residências mais resistentes a fenômenos climáticos

Por: Altair Santos

A temporada de tornados nos Estados Unidos, que sempre acontece no período da primavera no hemisfério norte, está mudando o mercado de pequenas construtoras do país, e que se dedicam a edificações com custo de até US$ 200 mil (aproximadamente R$ 650 mil). Casas neste patamar de preço são as mais vendidas no país e costumam ser construídas através do sistema conhecido como Wood Frame, que utiliza estruturas de madeira. O problema é que são habitações que não suportam os fortes ventos causados por tornados e furacões, obrigando que sejam 100% reconstruídas quando atingidas por esses fenômenos climáticos.

Casa em Wood Frame atingida por tornado, em Oklahoma: perda total

Casa em Wood Frame atingida por tornado, em Oklahoma: perda total

Pesquisa do Instituto para Negócios & Segurança Habitacional (IBHS, do inglês Institute for Business & Home Safety) mostra que casas construídas em Wood Frame não resistem nem a tornados F-0 e F-1, os menores na escala de 0 a 6, e que abrangem vendavais entre 117 km/h e 180 km/h. Em documento publicado em março de 2016, contando com a assessoria técnica do ACI (American Concrete Institute), a IBHS passou a defender a construção de casas com paredes de concreto, assentadas sobre radiers reforçados para suportar tornados. “Estamos em campanha por construções mais fortes, principalmente no Tornado Alley”, diz a IBHS.

O Tornado Alley, ou Alameda dos Tornados, engloba Oklahoma, Kansas, Arkansas, Iowa e Missouri. Para estes estados, e também para os que formam o Golfo do México – propensos a furacões –, a IBHS recomenda estruturas que possam suportar ventos de até 234 km/h. Para isso, o instituto lançou o programa Fortified (Fortificado), para conscientizar os construtores. “Nosso esforço é para propagar melhores métodos de construção. Hoje, estamos convictos de que casas que utilizam estruturas de concreto são muito mais seguras”, diz Chuck Miccolis, engenheiro-sênior e gestor do programa Fortified, que é financiado por mais de 200 seguradoras dos Estados Unidos.

Apólices somam US$ 8,3 bi por ano

Após a montagem das fôrmas de EPS, elas são preenchidas com concreto

Após a montagem das fôrmas de EPS, elas são preenchidas com concreto

Boa parte destas empresas está colocando obstáculos para aceitar seguros de casas em Wood Frame, sob a alegação de que são “construções frágeis”. “Com o Fortified queremos certificar casas bem construídas e que tenham estruturas para suportar ventos até 20 Mph (32 km/h) maiores que o limite médio”, explica Chuck Miccolis. Ou seja, se determinada região registra ventos médios de 100 km/h, as construções devem suportar fenômenos de 132 km/h. Para o gestor do programa, existe também a questão do custo. “O sistema que indicamos permite construir casas cerca de 30% mais baratas, mais seguras e igualmente confortáveis”, diz. Anualmente, as seguradoras dos Estados Unidos são obrigadas a pagar US$ 8,3 bilhões (mais de R$ 25 bilhões) por danos em residências, causados por fenômenos climáticos.

As construções sugeridas pelo programa Fortified utilizam fôrmas que internamente recebem revestimento em EPS (poliestireno expandido) para garantir desempenho térmico e acústico. O preenchimento com concreto é in loco. Tanto projetos para residências quanto para edifícios de até cinco pavimentos podem utilizar o mesmo sistema. A iniciativa da IBHS conta com a certificação da Insulating Concrete Form Association (ICFA) (Associação de Fôrmas e Isolamentos para Paredes de Concreto) e da Portland Cement Association (PCA) (Associação de Cimento Portland) – ambas dos Estados Unidos -, além do apoio técnico da ACI (American Concrete Institute).

Veja vídeo sobre construção de casa com paredes de concreto nos EUA

Entrevistado
Chuck Miccolis
, engenheiro-sênior e gestor do programa Fortified do IBHS (Institute for Business & Home Safety) (via assessoria de imprensa)
Contatos
info@ibhs.org
www.disastersafety.org

Crédito Fotos: IBHS/PCA

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também:

2 Comentários