De volta às aulas

De volta às aulas

De volta às aulas 150 150 Cimento Itambé

O programa de Bolsa de Estudos da Itambé já beneficiou 174 funcionários, que aproveitaram o apoio da empresa para concluir os estudos

Créditos: Rosemeri Ribeiro – Assessora de Comunicação

Muitos funcionários da Itambé estão realizando o sonho da formação profissional através do programa de Bolsa de Estudos da empresa, criado em 2004. Luiz Carlos Kamarovski, da Mecânica, faz parte desse grupo. Formado em Técnico Mecânico, no Cefet, ele voltou à sala de aula graças ao incentivo e apoio recebidos da Itambé. “É um investimento profissional grande que a empresa está fazendo em mim. De minha parte, tenho que aproveitar e estar preparado para colher os frutos. Estudar nunca é demais, pois o conhecimento é uma coisa que vou levar pra toda vida”, comemora. Kamarovski está cursando pós-graduação em Engenharia da Manutenção, na Universidade Positivo.

Jonas Fujihara, gerente do departamento de Gestão de Pessoas, explica que o estabelecimento de critérios e procedimentos é a maneira mais eficaz de garantir um resultado satisfatório e justo. “Com uma política clara e objetiva, a subvenção educacional da empresa objetiva o desenvolvimento profissional e, principalmente, estimula o autodesenvolvimento”, enfatiza.

Se cada pessoa tem responsabilidade sobre seu futuro profissional, isso significa que cabe ao funcionário buscar os recursos instrucionais para essa finalidade. O que a empresa faz, é dar uma “mãozinha”, estimulando a formação profissional e apoiando as iniciativas dos funcionários. “O apoio da empresa foi fundamental para eu concluir minha faculdade, pois eu não teria conseguido sozinha se eu não tivesse a bolsa de estudos. Além disso, ampliei meus horizontes, tive oportunidade de vivenciar coisas que nunca imaginei conhecer, aprender. Cresci muito profissionalmente, mas o maior crescimento foi o pessoal”, comenta Rosemeri Pereira, da Controladoria, que concluiu a faculdade de Ciências Contábeis em 2006.

Djair Surgik e Jarbas Ernani, da Mecânica, estão cursando o pós-médio em Mecânica Industrial. Para Djair, o curso, além de proporcionar o conhecimento técnico, o está ajudando na execução de suas atividades diárias. “Abriu oportunidade para meu crescimento profissional e melhor qualidade de vida. Com este aprendizado, contribuo com meu setor com mais dinamismo”, comemora. Jarbas concorda e faz coro com o colega: “a bolsa é um incentivo que a Itambé nos dá para buscar novos conhecimentos e ajudar no dia-a-dia. Só tenho a agradecer a oportunidade”.

De fato, investir no desenvolvimento dos funcionários faz parte das diretrizes da Itambé. Desde o início do programa de Bolsa de Estudos, 174 funcionários já foram beneficiados. Silvia Branquinho, coordenadora de Desenvolvimento de Pessoas, ressalta que essa é uma relação “ganha-ganha”, pois o funcionário cresce e a empresa também. “Diante de um mercado cada vez mais exigente, devemos estar atentos para o nosso crescimento profissional e investir em nossa empregabilidade”, destaca. Para ela, é muito gratificante observar o valor que cada funcionário dá ao auxílio educacional, principalmente nos casos de cursos com mensalidades elevadas. “Mas a maior gratificação é perceber o orgulho do funcionário por receber investimento para o seu desenvolvimento e, principalmente, porque sente que a empresa acredita no potencial dele”.

Depoimentos

“Comecei a cursar Gestão da Produção, na Facinter, em janeiro deste ano. Fazer uma faculdade era um sonho antigo que estou realizando com o apoio de minha família e da Itambé. Com os novos conhecimentos técnicos que estou aprendendo tenho certeza de contribuir ainda mais com a empresa, pois fica mais fácil entender o processo como um todo.”
Afonso Gabor, Produção

“Com o benefício da bolsa de estudos estou cursando o 4º ano de Engenharia Mecânica na Universidade Positivo. Os conhecimentos adquiridos estão contribuindo muito para o meu crescimento pessoal e profissional, além de eu estar realizando um sonho antigo, que é ser engenheiro”.
Fabiano Quadros, Mineração

“O curso técnico em Mecatrônica foi tudo de bom: aprendi muita coisa e creio que poderei ajudar, se não na execução, pelo menos com idéias e soluções para melhoria em minha área. Gostaria de aproveitar para agradecer a Itambé por me conceder esta oportunidade.”
Osni Ferreira Borges, Produção

17 de novembro de 2008

VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil