Brasil aposta em energias renováveis

Brasil aposta em energias renováveis

Brasil aposta em energias renováveis 150 150 Cimento Itambé

A busca por soluções sustentáveis no setor energético ganha força com a produção de energia eólica e a construção de novos parques eólicos

Por: Michel Mello

Aerogerados do Parque Eólico de Água Doce

Chamam-se de energias renováveis aquelas obtidas a partir dos recursos naturais. As fontes destas formas de energias estão baseadas na luz do sol, no vento, nas águas da chuva, fontes térmicas de calor e no movimento de fluxo e refluxo das marés. Também são consideradas renováveis, pois cumprem um ciclo natural e dele são constantemente reabastecidos. Isso quer dizer que as energias renováveis nunca se esgotarão.

Apesar do enorme potencial, o mercado brasileiro investe pouco no segmento de energias renováveis e na diversificação da matriz energética. O Ministério de Minas e Energia indica que o desenvolvimento dessas fontes está em uma nova fase no país. E que a iniciativa tem o caráter estrutural e pretende promover ganhos em escala, aprendizagem técnica-tecnológica e desenvolver a competitividade industrial para os próximos anos.

Detalhe da construção das torres aerogeradores

O Programa de Incentivos às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa) tem por objetivo principal financiar, através do suporte do BNDES, projetos de geração de energias a partir dos ventos, energia eólica, das Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e a partir de matérias orgânicas para conseguir gerar biomassa.

Em 2009, a capacidade mundial de geração de energia elétrica através da energia eólica foi de aproximadamente 158 gigawatts. O suficiente para abastecer as necessidades básicas de dois países como o Brasil, onde a média nacional foi de 70 gigawatts calculadas em janeiro de 2010. As energias renováveis são alternativas de emissões de baixo carbono na busca por uma matriz energética limpa e menos poluente.

E alternativas existem em todos os segmentos. É o caso da energia eólica que é captada através das pás de aerogeradores. Esta é uma modalidade que cresce globalmente e que apresenta grandes vantagens. A primeira e mais importante é que a energia eólica possui geração zero de emissão de carbono. E apesar do custo inicial, sua manutenção é baixa e não há necessidade de alimentação por combustíveis.

Parques eólicos

Bloco da fundação circular da torre de concreto que possui 98 metros de altura.

A energia eólica é captada através de turbinas localizadas em usinas chamadas de parques eólicos. O Parque Eólico do Horizonte é um investimento privado da EDP Renováveis, e que entrou em funcionamento no ano de 2003. São oito aerogeradores modelo E40 600 KW, com 46 metros de torre mais 23 metros de pá. Sua capacidade de produção é 0,6 MW de energia cada, gerando 4,8 MW no total. Essa produção é suficiente para abastecer, aproximadamente, uma população de 30.000 habitantes por mês.

Já o Parque Eólico Água Doce, também pertencente a holding internacional EDP Renováveis, conta com 15 aerogeradores, modelo E40 600 KW, cada um deles com 63 metros de torre mais 23 metros de pá.

Segundo o mais recente estudo do Centro de Pesquisa em Energia Elétrica (Cepel), do Ministério de Minas e Energia, o potencial eólico do Brasil chega a 143 mil MW, o que equivale a dez usinas de Itaipu. No final de 2007, a potência eólica instalada no país era de 247,5 MW, ou seja, pouco mais de 0,2% do potencial brasileiro e apenas 0,25%, dos 99,7 GW de capacidade total instalada em todo o setor elétrico brasileiro.

Torre sobre dunas

O Complexo de Osório foi inaugurado no final de 2006, como parte do Proinfa. O parque é composto pelas usinas eólicas: Osório, Sangradouro e Índios, nas quais estão instalados 75 aerogeradores modelo E70 de 2000 KW, com torres de concreto de 98 metros de altura.

Tradicionalmente, os aerogeradores eram projetados considerando torres de aço, sejam treliçadas ou cônicas. Entretanto, a Wobben Windpower – empresa responsável pela construção dos aerogeradores ou turbinas eólicas – vem desenvolvendo, há alguns anos, as torres de concreto para seus aerogeradores e têm se mostrado eficazes e seguras.

Fernando Scapol

“A maior dificuldade resolvida também pioneiramente pela Wobben foi instalar torre para aerogeradores sobre dunas. E consideramos um desafio o transporte dos segmentos de concreto que exigem uma carreta para cada segmento, sendo que os primeiros três segmentos foram divididos em duas partes para ser transportado. Isso totalizou 27 carretas para cada torre”, afirma Fernando Scapol, gerente de produção da Wobben, que é responsável também pelas turbinas eólicas dos parques Horizonte e Água Doce.

No caso dos aerogeradores utilizados para o Parque Eólico de Osório, as torres de concreto são protendidas e possuem 25 segmentos: um de aço e 24 de concreto. Na montagem, os segmentos são colocados e, posteriormente, são feitas trações nos cabos de protensão fixados na base de concreto.

As bases de concreto ou bloco de fundação são projetadas de acordo com as características do solo, definidas após a execução das sondagens. Além disso, dependem do potencial eólico do local, definido com o estudo de micrositing, no qual avalia os dados de vento medidos e a topografia do terreno. Com este estudo também é definida a altura de torre mais adequada, dentro dos requisitos de segurança e produção de energia. No Parque de Osório foram utilizadas torres de concreto de 98 metros e blocos de fundação circulares com estacas, devidos as condições do solo local.

Dados complementares: Aerogerador E70 / 2000 KW

– Altura da torre: 98 m
– Material: concreto e aço
– Peso da torre: aprox. 840 toneladas
– Bloco da fundação: circular
– Volume estimado de concreto: 460 m³
– Aço consumido na fundação: 45 toneladas

Entrevistado:
Fernando Scapol
Administrador de empresas com pós-graduação em Produção. Trabalha na Wobben desde 1998 e já atuou como gerente de Produção de Pás, gerente da Garantia da Qualidade e atualmente ocupa o cargo de gerente geral Administrativo.
Email para contato: marcelle.ilva@wobben.com.br

Jornalista responsável: Silvia Elmor – MTB 4417/18/57 – Vogg Branded Content
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil