Depois de 37 anos, ABNT NBR 6120 está em revisão

Joao-Vendramini

Depois de 37 anos, ABNT NBR 6120 está em revisão

Depois de 37 anos, ABNT NBR 6120 está em revisão 726 662 Cimento Itambé

Expectativa é de que novo texto da norma técnica, cuja edição original ocorreu em 1980, seja publicado no ano que vem

Por: Altair Santos

Sob a coordenação do engenheiro civil João Alberto Vendramini e secretariada pelo engenheiro civil Odinir Klein Júnior, a ABNT NBR 6120 – Cargas para o cálculo de estruturas de edificações – entrou em processo de revisão. A expectativa é de que vá para consulta pública até o final de 2017, com previsão de publicação em 2018. A norma técnica é uma das mais relevantes para engenheiros-calculistas e projetistas. No entanto, estava há 37 anos sem revisão. Por isso, a elaboração de seu texto-base requereu um estudo intenso. De cinco páginas, passou a ter 62, com a inclusão de termos, definições e simbologias, além da atualização de todas as tabelas. Na entrevista a seguir, João Alberto Vendramini explica as alterações mais relevantes e porque a norma ficou tanto tempo sem ser revisada. Confira:

João Vendramini: nova ABNT NBR 6120 vai desencadear a revisão de outras normas técnicas

João Vendramini: nova ABNT NBR 6120 vai desencadear a revisão de outras normas técnicas

A ABNT NBR 6120 – Cargas para o cálculo de estruturas de edificações -, está em processo de revisão. Quais as principais mudanças?
A norma foi completamente revisada. A versão de 1980 tinha apenas cinco páginas e a proposta pela comissão possui 62 páginas. A norma passou por uma nova formatação, com a inclusão de termos, definições e simbologias, de forma a adequá-la às demais normas pertinentes. Todas as tabelas de peso específico dos materiais de construção foram revistas e checadas, assim como as tabelas de ações permanentes, que também foram ampliadas. As ações permanentes de materiais de armazenagem foram revistas e ampliadas e passaram a ocupar um anexo específico, devido à sua extensão. As tabelas de ações variáveis também foram completamente revistas, tendo todos os seus valores checados com normas internacionais e adaptados à realidade brasileira, além de serem ampliadas com a inclusão de ambientes omissos na versão de 1980. Incluímos uma tabela de forças horizontais em guarda-corpos e barreiras de proteção de pessoas, cujas prescrições antes estavam espalhadas por diversas normas, dificultando a correta aplicação das cargas nos projetos. Acrescentamos um capítulo de cargas em coberturas (telhados) inexistente na versão anterior. No caso particular das ações de veículos, após uma grande pesquisa dos veículos autorizados a trafegar em território brasileiro, foi desenvolvida uma categorização das garagens e demais áreas de circulação, a fim de classificá-las de acordo com o tipo de veículo que ali trafega e, por conseguinte, especificar cargas diferentes para cada categoria. Foram definidas forças horizontais devido ao impacto de veículos em pilares e barreiras e também foi incluída uma tabela de cargas decorrentes da ação de empilhadeiras, para obras comerciais e industriais, onde este tipo de veículo é bastante comum. Da mesma forma, foram estudados os helipontos, sua classificação conforme o Comando da Aeronáutica e os carregamentos pertinentes, de acordo com o tipo de helicóptero e as ações decorrentes, que passaram a ocupar um capítulo específico na norma. Para os edifícios comerciais, industriais, centros de distribuição, logística e afins foram estabelecidas cargas de atuação nos pavimentos – item inexistente na versão de 1980, e que muito poderá ajudar aos projetistas estruturais na falta de informações mais específicas de seus clientes. O capítulo de redução de cargas variáveis foi reescrito de forma a se tornar mais claro e explicativo, apresentando também uma pequena revisão conceitual.

A ABNT NBR 6120 é uma norma que tem uma correlação forte com a ABNT NBR 6118. A revisão aproxima ainda mais as duas normas?
Na verdade, a ABNT NBR 6120 é uma norma complementar a todas as outras normas de projeto estrutural, tal como a ABNT NBR 6118, mas também outras, como, por exemplo, a ABNT NBR 8800 – Projeto de estruturas de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de edifícios.

Por que a ABNT NBR 6120, cuja primeira edição é de 1980, ficou tanto tempo sem revisão?
A revisão das normas da ABNT é trabalho realizado pela comunidade científica pertinente, de forma voluntária e sem remuneração, implicando, muitas vezes, em custos significativos para os membros das comissões de norma, tais como despesas de viagens, hospedagem etc. Assim, muitas normas ficaram esquecidas no tempo. Recentemente a ABECE (Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural), através de acordo com a ABNT, assumiu a responsabilidade de manter atualizadas as normas inerentes a projetos estruturais e, desde então, diversas normas passaram por revisões. A própria ABNT NBR 6118 já recebeu duas revisões sob a coordenação da ABECE, assim como a ABNT NBR 9062 (Projeto e execução de estruturas de concreto pré-moldado). Neste momento, estamos trabalhando na elaboração de um texto-base para a revisão da ABNT NBR 8800, que precisa ser atualizada, entre outras normas do setor.

A ABNT NBR 6120 é a norma há mais tempo sem revisão?
Não saberia lhe dizer ao certo, mas tenho a impressão que se não for é uma das mais antigas sem revisão. Outra que estava muito tempo sem revisão é a ABNT NBR 6123 – Forças devidas ao vento em edificações -, editada em 1988 e cuja comissão de estudos para revisá-la foi aberta recentemente.

O novo texto da ABNT NBR 6120 já entrou em processo de consulta pública?
Não, ele está em fase de revisão para depois passar para editoração na ABNT. Terminada a editoração, o texto volta para a comissão de estudos para uma checagem final, eventuais correções e, em seguida, ficará disponível para consulta pública por um período de 60 dias. Imaginamos que o texto vá para consulta pública até outubro deste ano, no máximo.

Existe uma previsão de quando ela poderá entrar em vigor?
Passado o processo de consulta pública, a ABNT recebe os comentários sobre o texto-base, que deverão ser analisados pela comissão, a bem de verificar sua pertinência e validade. Após todo este processo, o texto será, eventualmente, adaptado atendendo aos comentários aprovados pela comissão e, então, retorna à ABNT para uma nova editoração. Imaginamos que no começo de 2018 a norma entrará em vigor.

A entrada em vigor da ABNT NBR 6120 vai provocar a revisão de outras normas?
Sim, mas não de forma obrigatória e imediata. Nesta revisão da ABNT NBR 6120 foram trazidos dados importantes que estavam espalhados por outras normas, como, por exemplo, especificações sobre pontes rolantes e telhados, – que estavam na ABNT NBR 8800, e cargas em garagens, que estavam especificadas na ABNT NBR 7188.

Quanto à ABNT NBR 6118, ela também precisa ser revisada em breve?
A NBR 6118 passou por revisão em 2014, inclusive foi traduzida para o inglês e registrada como norma ISO, garantindo, desta forma, seu uso internacional. Acredito que sua próxima revisão será por volta de 2019 ou 2020.

Foi o CB-O2 que ficou responsável pela revisão, e quantos especialistas atuaram na elaboração do texto?
A revisão da ABNT NBR 6120 teve minha coordenação, como representante da ABECE, e como secretário, que é a pessoa que mais trabalha na comissão, o engenheiro Odinir Klein Júnior. Também houve a colaboração de mais de 35 profissionais, além daqueles que, mesmo não participando das reuniões, nos enviaram sugestões e comentários durante o processo de elaboração do texto final.

Entrevistado
Engenheiro civil João Alberto de Abreu Vendramini, vice-presidente de relacionamento da ABECE (Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural) e diretor-técnico da Vendramini Engenharia

Contato
joao@vendramini.com.br

Crédito Foto: Vendramini Engenharia

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil