Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Alguém sabe quantas pontes existem nas rodovias do Brasil?

Gestão, Infraestrutura, Mercado da Construção 10 de outubro de 2017

Diretor-presidente do Ibracon estima que há 120 mil obras de arte especiais nas estradas do país; DNIT não possui catálogo completo

Por: Altair Santos

Em palestra no seminário que o IBRACON (Instituto Brasileiro do Concreto) realizou no Concrete Show 2017, o engenheiro civil Julio Timerman, diretor-presidente do organismo e vice-presidente da IABSE (International Association for Bridge and Structural Engineering) foi questionado sobre o número de pontes e viadutos rodoviários existentes nas estradas do Brasil. Segundo ele, nem o DNIT nem os DERs sabem responder essa pergunta. No entanto, revelou que seu trabalho, voltado para a inspeção de pontes, permitiu fazer um catálogo particular que estima existirem 120 mil pontes e viadutos nas rodovias que cruzam o país.

Julio Timerman, no Concrete Show 2017: extraoficialmente, estimativa é de que haja 120 mil pontes e viadutos nas rodovias brasileiras

Julio Timerman, no Concrete Show 2017: extraoficialmente, estimativa é de que haja 120 mil pontes e viadutos nas rodovias brasileiras

De acordo com Timerman, 9 mil destas obras de arte especiais estariam sob os cuidados de concessionárias. A rodovia que mais tem pontes e viadutos rodoviários é a Via Dutra – trecho da BR-116 que liga as cidades de São Paulo-SP e do Rio de Janeiro-RJ -, com estimadas 420 estruturas. Já entre as que não estão em estradas pedagiadas, a maioria não recebe manutenção adequada. “As pontes e os viadutos sob os cuidados de concessionárias têm um controle razoável. Quanto às demais, se perguntar para qualquer engenheiro de DNIT ou do DER ninguém sabe. Esse meu estudo é uma estimativa, compilada dos meus anos de trabalho com esse tipo de obra”, diz.

Timerman avalia que os estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina são os que têm os melhores cadastros de pontes e viadutos em rodovias. Recentemente, em simpósio sobre patologias da construção, realizado na UFPR (Universidade Federal do Paraná), o professor Mauro Lacerda Santos Filho revelou que, até 2014, o DNIT não sabia com exatidão o número de obras de arte em estradas federais no território paranaense e no catarinense. Estimava 128 pontes no Paraná, quando uma parceria com a UFPR para catalogar oficialmente as estruturas revelou que existem 190. Em Santa Catarina, a catalogação revelou 363.

Relatório do TCU

Relatório do TCU critica DNIT por não ter um catálogo completo das pontes e viadutos rodoviários no Brasil

Relatório do TCU critica DNIT por não ter um catálogo completo das pontes e viadutos rodoviários no Brasil

A prova de que falta um cadastro nacional sobre pontes e viadutos rodoviários no Brasil é que, em 2012, o Tribunal de Contas da União (TCU) fez levantamento sobre a condição das estruturas existentes nas rodovias federais brasileiras, mas conseguiu inspecionar apenas 6.612 obras de arte especiais. Em seu relatório, concluiu que “o DNIT não possui informações sobre a situação de pontes e viadutos no país. O organismo chegou a criar o Sistema de Gerenciamento Informatizado de Obras de Arte Especiais (SGO), mas só conseguiu cadastrar 25% das estruturas. No documento do TCU havia a constatação de que, desde 2004, o banco de dados não era alimentado pelo DNIT.

O Tribunal de Contas da União estimou, em 2012, que as 6.612 pontes e viadutos inspecionados estão avaliados em cerca de R$ 13 bilhões. Em relatório, o TCU concluiu que “o DNIT não tem um programa para prevenir patologias ou para antecipar colapsos em obras de arte especiais e, por isso, age apenas quando aparecem danos estruturais graves. O levantamento do tribunal também concluiu que somente 41% dos escritórios regionais do DNIT espalhados pelos estados fazem vistorias de dois em dois anos, como determinam as normativas do organismo rodoviário e a ABNT NBR 9452 (vistorias de pontes e viadutos de concreto – procedimento).

Entrevistado
Engenheiro civil Júlio Timerman, diretor-presidente do IBRACON (Instituto Brasileiro do Concreto) (com base em palestra realizada no Concrete Show 2017)

Contatos
projetos@engeti.eng.br
engeti@uol.com.br

Crédito Fotos: Cia. de Cimento Itambé e Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também: