Para especialistas, se não houver uma lei sobre distratos negócios futuros podem ser inviabilizados