Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Finep estimula pesquisas voltadas à NBR 15575

Inovação, Obras Inovadoras, Tendências construtivas 16 de março de 2011

Quatro trabalhos foram selecionados para fomentar estudos sobre infraestrutura laboratorial na área de construção civil

Por: Altair Santos

A Norma Técnica de Desempenho para edificações habitacionais de até cinco pavimentos (ABNT NBR 15575) estabelece critérios e métodos de avaliação para os principais sistemas que compõem um edifício: estrutura, pisos internos, vedações externas e internas, coberturas e instalações hidrossanitárias. Sua aprovação estimulou a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) a lançar uma chamada pública em 2010 para selecionar propostas voltadas ao fomento da infraestrutura laboratorial na área de construção civil.

Construção civil hoje é relevante no contexto das políticas públicas voltadas ao desenvolvimento do país.

As instituições selecionadas cumprem uma das exigências da chamada pública: dispor de infraestrutura de laboratórios de ensaio, de avaliação e de controle tecnológico de produtos da construção civil (materiais componentes, elementos ou sistemas construtivos). Havia R$ 15 milhões disponibilizados pela Finep para as pesquisas, mas apenas R$ 7,91 milhões serão liberados. “Não houve demanda qualificada suficiente para o comprometimento total dos recursos. O principal motivo apontado pelos especialistas que participaram do processo de avaliação das propostas é de que não está amplamente disseminada no país a cultura da avaliação de desempenho segundo as diretrizes do SINAT (Sistema Nacional de Avaliações Técnicas)”, disse Carlos Eduardo Sartor, chefe do departamento de tecnologias sociais da Finep.

Assim, o IPT-SP poderá gastar até R$ 2,76 milhões, enquanto a Unisinos e a Itep podem utilizar o limite máximo de R$ 2,43 milhões e R$ 1,38 milhão, respectivamente. O valor a ser repassado para o Centro Cerâmico será de R$ 1,34 milhão. Sartor alerta que a Finep pretende estimular a busca de inovações não só para sistemas construtivos, mas também para componentes e materiais, como cimento e concreto. “O foco é de ampliação do escopo de ensaios para avaliação técnica de produtos e processos inovadores na área da construção civil, não havendo restrição quanto aos materiais, componentes e sistemas construtivos inovadores que poderão ser objeto de avaliação pelas instituições apoiadas”, explica.

Desde o lançamento do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, a Finep tem priorizado pesquisas no setor da construção civil, principalmente aquelas voltadas para o segmento da habitação de interesse social. “Estas ações objetivam apoiar empresas brasileiras no desenvolvimento de produtos, processos e serviços inovadores, em áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento do país”, diz o chefe do departamento de tecnologias sociais da Financiadora de Estudos e Projetos – organismo ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Sartor avalia que não apenas o poder púbico, mas a iniciativa privada deveria investir mais em pesquisas no setor. “A construção civil hoje é relevante no contexto das políticas públicas voltadas ao desenvolvimento do país. Por isso, investimentos privados também seriam bem vindos”, disse.

A NBR 15575, cujos parâmetros devem ser aplicados a partir de março de 2012 – a ABNT colocou em consulta pública a extensão do prazo de exigibilidade da norma – se divide em seis partes:
ABNT NBR 15575-1 Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho – Parte 1: Requisitos gerais
ABNT NBR 15575-2 Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho – Parte 2: Requisitos para os sistemas estruturais
ABNT NBR 15575-3 Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho – Parte 3: Requisitos para os sistemas de pisos internos
ABNT NBR 15575-4 Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho – Parte 4: Sistemas de vedações verticais externas e internas
ABNT NBR 15575-5 Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho – Parte 5: Requisitos para sistemas de coberturas
ABNT NBR 15575-6 Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho – Parte 6: Sistemas hidrossanitários

Entrevistado
Carlos Eduardo Sartor, chefe do departamento de tecnologias sociais, da Área de Tecnologia para o Desenvolvimento Social da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep)

Currículo
– Arquiteto e Urbanista
– Mestre em Planejamento Urbano e Regional
– Chefe do Departamento de Tecnologias Sociais, da Área de Tecnologia para o Desenvolvimento Social da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep)
Contato: imprensa@finep.gov.br (assessoria de imprensa)

Crédito: Divulgação/Finep

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330


Leia também: