Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Setor de suprimentos requer equipe de inteligência

Geral, Gestão, Gestão Estratégica, Marketing e Vendas, Mercado da Construção, Mercado Imobiliário 8 de março de 2018

Atividades permitem medir indicadores, planejar e trabalhar com estratégias para municiar a área de compras das construtoras

Núcleo de inteligência abastece o setor de compras, mas deve ter atuação independente
. Crédito: Divulgação

Núcleo de inteligência abastece o setor de compras, mas deve ter atuação independente
. Crédito: Divulgação

A cotação pura e simples, a fim de desencadear um processo de compras de materiais e serviços na construção civil, já não consegue atender as empresas que buscam margens satisfatórias em seus negócios, sem abrir mão da qualidade. Segundo a engenheira civil Tathyana Moratti, que é gerente em inteligência de suprimentos, as construtoras – principalmente as que têm grande demanda de materiais – estão optando por equipes de inteligência que abasteçam os setores de compra com informações, estratégias e planejamento.

A especialista alerta que, para que as equipes se consolidem, é importante que a construtora reconheça a importância de estabelecer uma gestão profissional e estratégica da área de suprimentos, integrada aos demais setores da empresa. “A inteligência precisa ter uma equipe independente, para não ficar atrelada ao foco do comprador, que é apenas comprar. O objetivo é medir indicadores, planejar e entregar esse trabalho ao setor de compras, para que ele não precise definir uma compra aos 45 minutos do segundo tempo”, compara Tathyana Moratti.

A engenheira civil afirma que, usando a inteligência de suprimentos, a construtora dificilmente é surpreendida. “O fornecedor raramente bate na porta da empresa e oferece desconto. Porém, se a companhia tiver uma equipe de inteligência que acompanhe as variáveis que definem os preços do fornecedor, como taxa de juros, incentivos fiscais, etc, é possível usar essa informação para negociar descontos”, informa.

Fornecedores estratégicos devem ser parceiros

Tathyana Moratti: parceria com fornecedor estratégico pode gerar ganhos de até 10%
. Crédito: Divulgação

Tathyana Moratti: parceria com fornecedor estratégico pode gerar ganhos de até 10%
. Crédito: Divulgação

Em sua palestra via webseminário, Tathyana Moratti abordou o livro “Compras estratégicas – Construa Parcerias com Fornecedores e Gere Valor Para Seus Negócios” (Claudio Mitsutani, Cesar Righetti, Cristiane Biazzin Villar,Fabio Miguel, Gustavo Menoncin Pereira, Marc Burbrige,Walter Freitas, Ed. Saraiva, 280 páginas). “O nível de competitividade atual, associado à busca da sustentabilidade de longo prazo, exige controle absoluto de suas despesas e dispêndio de investimentos. Por este motivo, as grandes organizações estão investindo nos profissionais da área de compras estratégicas, importante para o bom desempenho dos resultados operacionais”, cita a introdução da obra.

Voltando para Tathyana Moratti, a gerente de suprimentos destaca que a equipe de inteligência precisa que a empresa a municie com ferramentas para que ela possa buscar as informações que farão chegar ao fornecedor ideal. “Uma dessas ferramentas é o benchmarking para análise da concorrência. É necessário sempre se comparar a eles (os concorrentes) para ver se o que a empresa está fazendo é inovador ou está defasado”, destaca. A engenheira civil também reforça que a inteligência de suprimentos não pode abrir mão da relação de parceria com os fornecedores. “Isso traz ganhos que podem chegar a 10% no custo da compra, principalmente com os fornecedores estratégicos para uma obra”, completa.

Assista a íntegra do webseminário “Inteligência de suprimentos na construção civil”

Entrevistada
Reportagem com base no webseminário “Inteligência de suprimentos na construção civil”, com a engenheira civil Tathyana Moratti, pós-graduada em logística, mestre em ciências e gerente de inteligência de suprimentos

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também: