Projeto “rua completa” busca humanizar vida urbana

Protótipo de “rua completa” montado em São Paulo-SP: prioridade aos artefatos de cimento

Projeto “rua completa” busca humanizar vida urbana

Projeto “rua completa” busca humanizar vida urbana 600 338 Cimento Itambé

Dez cidades vão implantar protótipos nos próximos anos. Objetivo é que modelo se espalhe por municípios entre 200 mil a 500 mil habitantes

Por: Altair Santos

Visionário, o projeto “rua completa” foi um dos destaques do Sobratema Summit, que aconteceu em junho de 2017, em São Paulo-SP. A ideia é suprimir o meio-fio e equalizar a convivência entre automóveis, ônibus, bicicletas e pedestres, com cada um respeitando seu espaço. A construção investe em elementos de concreto, como calçada com bloco intertravado, pavimento rígido e piso podotátil, para orientação aos deficientes visuais. A drenagem é feita por meio de biovaletas.

Modelo mostra as características da “rua completa”: tentativa de harmonizar a vida urbana

Modelo mostra as características da “rua completa”: tentativa de harmonizar a vida urbana

Um protótipo foi montado no evento, em uma área de 456 m², e com um recorte urbano projetado e construído sob os conceitos de acessibilidade universal, que exemplifica como é possível a convivência harmoniosa entre pedestres, ciclistas e veículos. A iniciativa é do Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco), em parceria com a Sobratema, a Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) e a ONG WRI Brasil, que idealizou o projeto.

O objetivo é que o modelo possa prosperar em municípios entre 200 mil e 500 mil habitantes, mas, antes, dez cidades foram selecionadas para receber as primeiras “ruas completas”, a fim de que se possa avaliar a capacidade do projeto de ser absorvido pela realidade urbana do país. Entre as cidades selecionadas, seis são capitais (São Paulo-SP, Brasília-DF, Salvador-BA, Porto Alegre-RS, Fortaleza-CE e João Pessoa-PB) e quatro são cidades de médio porte (Campinas-SP, Niterói-RJ, Joinville-SC e Juiz de Fora-MG).

Segundo o diretor da WRI Brasil, Luís Antonio Lindau, é preciso enfrentar o paradigma de que as ruas foram feitas para os carros. “Hoje, os automóveis dominam as vias, mas transportam menos de 30% das pessoas que circulam pelas ruas brasileiras. É preciso reverter esse cenário. Por isso, projetamos a rua completa. Ela é um espaço que mostra que é possível priorizar a mobilidade humana e que as ruas podem, sim, ser compartilhadas entre todos os usuários, independentemente do meio de transporte”, avalia.

Padronização

Protótipo de “rua completa” montado em São Paulo-SP: prioridade aos artefatos de cimento

Protótipo de “rua completa” montado em São Paulo-SP: prioridade aos artefatos de cimento

Na concepção do Projeto “rua completa” são obrigatórios os seguintes tópicos:
– Nivelamento da via com as calçadas
– Medidas moderadoras de tráfego
– Acessibilidade universal
– Sinalização clara e orientada ao pedestre
– Mobiliário urbano (lixeiras, bancos, postes de iluminação)
– Faixas de segurança
– Estreitamento das travessias e ilhas de refúgio para pedestres
– Diminuição da oferta de estacionamento gratuito para carros
– Ciclovias ou ciclofaixas
– Faixas de ônibus
– Acesso facilitado aos pontos de parada do transporte coletivo

Na apresentação do projeto foram mostrados modelos que já são realidade fora do país, principalmente na Grã-Bretanha, nos países nórdicos (Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia) e em cidades dos Estados Unidos, como Los Angeles e Orlando, onde os parques da Disney acabaram inspirando os gestores públicos destas cidades a adotar conceitos inovadores de mobilidade urbana. Mas, como disse, o presidente do Sinaenco, José Roberto Bernasconi, não se trata apenas de mobilidade urbana, e sim “mobilidade humana”. “É possível priorizar a mobilidade humana. Para isso, é preciso vencer barreiras culturais”, finaliza.

Entrevistados
– Luís Antonio Lindau, Engenheiro civil pela UFRGS e diretor da ONG WRI Brasil
– José Roberto Bernasconi, engenheiro civil pela Poli-USP e presidente do Sinaenco (Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva)

Contato
toni.lindau@wri.org
sinaenco@sinaenco.com.br

Crédito Fotos: WRI Brasil e Cia. de Cimento Itambé

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil