Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Pacote logístico abre portas para salto tecnológico

Gestão, Inovação, Mercado da Construção, Novas Tecnologias 11 de outubro de 2012

Concessões de rodovias e ferrovias são oportunidade para engenharia nacional qualificar mão de obra e inovar através de novos materiais e sistemas construtivos

Por: Altair Santos

Lançado em agosto de 2012, o Programa de Investimentos em Logística é uma nova tentativa do governo federal de dar qualidade às malhas rodoviárias e ferroviárias do país. Desta vez, 7,5 mil quilômetros de estradas e 10 mil quilômetros de linhas de ferro serão concedidas à iniciativa privada para que consigam agregar inovação e tecnologia. O investimento total está estimado em R$ 133 bilhões, com previsão de R$ 79,5 bilhões nos próximos cinco anos.

Júlio Timerman, da ABECE: oportunidade única de inovar em obras de infraestrutura.

Serão 9 trechos de rodovias e 12 de ferrovias. No caso das estradas, 5,7 mil quilômetros terão de ser duplicados. No entender de organismos como ABCP (Associação Brasileira de Cimento Portland) ABCIC (Associação Brasileira da Construção industrializada do Concreto) e ABECE (Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural) é a melhor oportunidade dada ao Brasil para que consiga uma infraestrutura rodoviária e ferroviária compatível com o que há de melhor nos Estados Unidos e na Europa, por exemplo.

Para o engenheiro civil Júlio Timerman – coordenador do comitê técnico de pontes e grandes estruturas da ABECE – trata-se de uma oportunidade para a engenharia nacional também evoluir nos quesitos construção de estradas e ferrovias. “A engenharia nacional deve estar preparada para fazer frente a esta demanda, qualificando a mão de obra e estudando alternativas de materiais e soluções construtivas a serem aplicadas neste processo”, avalia.

A aposta é que os sistemas pré-fabricados e pré-moldados in loco, principalmente para pontes e viadutos, assim como o pavimento em concreto ganhem espaço significativo dentro do Programa de Investimentos em Logística. “Certamente, será uma chance única de se aplicar novas tecnologias e inovações para viabilizar as obras previstas, sejam em função dos prazos exíguos assim como na destinação racional dos recursos disponíveis”, cita Timerman.

No caso das rodovias, o especialista indica que o estado de São Paulo tem estradas construídas com alta tecnologia que podem servir de modelo ao projeto federal. A implantação do Rodoanel, a pista descendente da Imigrantes, além de outras concessões rodoviárias no estado, são exemplos de procedimentos construtivos avançados”, diz, entendendo que o grande desafio para a engenharia nacional esteja nas ferrovias. “O Brasil tem uma matriz de transporte eminentemente rodoviária. Por isso, os investimentos e os projetos ferroviários serão muito mais desafiadores. Os sistemas de trens de alta velocidade deverão ser considerados como alternativas interessantes para este processo”, completa.

Veja o que prevê o Programa de Investimentos em Logística: clique aqui.

Confira os trechos rodoviários e ferroviários que serão entregues à iniciativa privada:

Entrevistado
Ministérios dos Transportes (via assessoria de imprensa) e Júlio Timernan, coordenador do comitê técnico de pontes e grandes estruturas da ABECE
Currículo
– Júlio Timerman é engenheiro civil graduado pela EPUSP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo)
– Ocupa o cargo de delegado regional da ABECE (Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural) em São Paulo e membro do conselho deliberativo.
– É coordenador do Comitê Técnico de Pontes e Grandes Estruturas constituído pela ABECE em 2009 para propor ações para melhoria da qualidade e competitividade dos projetos e serviços ligados à construção de pontes e grandes estruturas.
– Também é vice-presidente do IABSE (International Association for Bridge and Structural Engineering) e do Ibracon (Instituto Brasileiro do Concreto).
– Consultor na área de Projetos de Reabilitação e Recuperação de Estruturas para diversas concessionárias de rodovias, com intervenções em mais de 100 mil metros quadrados de tabuleiros.
– Diretor da Engeti Consultoria e Engenharia.
Contato: abece@abece.com.br
Créditos foto: Divulgação/ABECE

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330


Leia também: