Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Interior de SP terá viadutos estaiados de alta complexidade

Gestão, Gestão de Obras, Inovação, Mercado da Construção, Novas Tecnologias 30 de maio de 2018

Em São José dos Campos, projeto assinado pelo engenheiro-projetista Catão Francisco Ribeiro incorpora várias inovações construtivas

Complexo de viadutos na área urbana de São José dos Campos-SP terá 68 cabos, cada um com cálculo próprio. 
Crédito: prefeitura de São José dos Campos

Complexo de viadutos na área urbana de São José dos Campos-SP terá 68 cabos, cada um com cálculo próprio. 
Crédito: prefeitura de São José dos Campos

A cidade de São José dos Campos-SP anuncia o projeto com viadutos estaiados de maior complexidade da engenharia brasileira. Assinado pelo engenheiro-projetista Catão Francisco Ribeiro, que também esteve à frente da ponte da cidade de São Paulo-SP, da ponte sobre o rio Negro, em Manaus-AM, e da ponte Anita Garibaldi, em Laguna-SC – todas estaiadas -, o empreendimento vai incorporar várias inovações construtivas. “Uma das peculiaridades desta obra é que ela terá um arco em curva catenária. Será uma obra de arte especial, que vai melhorar a mobilidade urbana da região”, revela Catão Francisco Ribeiro.

O complexo de viadutos, batizado de Arco da Inovação, terá dois tabuleiros assimétricos e cada um dos 68 cabos ganhará cálculo próprio. Será a primeira estrutura viária com essas características no Brasil. Vistos de cima, os dois viadutos ficarão em formato de “x”, dando acesso a duas das principais avenidas de São José dos Campos-SP. Segundo a prefeitura da cidade paulista, na região em que os viadutos serão construídos passa, diariamente, 61,4 mil passageiros, transportados por 1,3 mil viagens de ônibus, além de 180 mil veículos. O fluxo chega a 300 mil pessoas/dia.

A ponte terá um arco com 100 metros de altura. O viaduto inferior ficará a 6 metros da pista do solo e terá 267 metros de comprimento. Já o viaduto superior ficará 8 metros acima do viaduto inferior, e terá 349 metros de extensão. O ponto mais alto do tabuleiro estará a 77 metros do cume do arco. “O desenho do projeto não leva apenas o aspecto arquitetônico e estrutural em conta, mas a melhor concepção viária para quem trafegar pelos viadutos, a fim de que os motoristas ganhem tempo ao passar pelas estruturas”, explica Catão Francisco Ribeiro, que faz questão que toda a obra seja executada em concreto protendido.

Obra deverá ser concluída em 14 meses, a partir da assinatura do contrato

Três consórcios disputam a execução dos viadutos. Um é liderado pela Construtora Queiroz Galvão S/A, outro pelo Contern-Traçado, formado pelas empresas Contern Construções e Comércio Ltda. e Traçado Construções e Serviços Ltda., e o terceiro pelo consórcio Paulitec-Cidade, formado pelas empresas Paulitec Construções Ltda. e Construtora Cidade Ltda. O edital previa um orçamento de R$ 62,9 milhões, mas as ofertas variaram entre R$ 48,7 milhões e R$ 46,8 milhões, o que significa uma economia mínima de R$ 14,2 milhões. O contrato será assinado em 15 de junho.

A expectativa é de que as obras comecem ainda no mês de junho de 2018, com o cronograma prevendo 14 meses para a conclusão do complexo viário. O empreendimento será financiado com recursos de empréstimo junto ao BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). “O projeto da ponte estaiada alinha técnica e estética. O megaempreendimento desponta também como importante símbolo visual de São José dos Campos, já que foi projetado pelo ‘pai das pontes estaiadas’, o engenheiro Catão Francisco Ribeiro”, destaca a prefeitura da cidade paulista.

Entrevistado
Catão Francisco Ribeiro, engenheiro civil e diretor-executivo da Enescil Engenharia de Projetos, e prefeitura de São José do Rio Preto-SP (
via assessoria de imprensa)

Contatos
giselle.marinho@sjc.sp.gov.br
eng.projetos @ enescil.com.br

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também: