Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Indústria de blocos de concreto mantém otimismo

Área Técnica, Gestão, Mercado Imobiliário, Sobre Concreto 29 de agosto de 2012

Segundo dados da BlocoBrasil, investimentos em gestão e qualidade fizeram setor de artefatos de cimento crescer exponencialmente em cinco anos

Por: Altair Santos

Metade dos fabricantes de blocos de concreto avalia que neste segundo semestre de 2012 há espaço para crescer entre 10% e 20% a mais do que foi registrado nos primeiros seis meses do ano. Já os outros 50% acreditam que o volume de negócios no máximo se manterá igual ao do primeiro semestre nesta reta final do ano. Para o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Blocos de Concreto (BlocoBrasil), Marcelo Kaiuca, os otimistas são os que, desde 2007, vêm fazendo a lição de casa e investindo em gestão e controle de qualidade. “Para se ter ideia, em cinco anos o número de associados da BlocoBrasil cresceu cerca de 200%. São fabricantes que, a partir dos requisitos para obter o selo de qualidade da ABCP (Associação Brasileira de Cimento Portland) atingiram um nível de maturidade empresarial que nunca existiu no setor”, afirmou.

Marcelo Kaiuca, presidente da BlocoBrasil: selo de qualidade da ABCP ajuda a gerar otimismo no setor.

Em função do aprimoramento da gestão, as companhias otimistas, ressalta Marcelo Kaiuca, agregaram os seguintes requisitos aos seus negócios: fornecimento para obras em diversos setores, atuação em regiões com concorrência menos acirrada, maior produtividade com menor preço, agressividade nas vendas e tradição no mercado. “Um fator importante é a região em que a empresa atua. Atualmente, as regiões sudeste e sul são as que possuem o maior número de empresas, enquanto as regiões nordeste, norte e centro-oeste exibem taxas de crescimento acima da média nacional e contam, relativamente, com poucos fabricantes de blocos de concreto, comparado ao potencial de demanda dessas regiões. Assim, quem foi buscar contratos nessas áreas vê perspectivas melhores de crescimento”, avalia.

O recente lançamento do PAC da Mobilidade para médias cidades, com investimento de R$ 7 bilhões, e que irá atender 75 municípios com população entre 250 mil e 700 mil habitantes, também estimula as projeções positivas do setor. “Medidas e programas governamentais representam grande oportunidade para as empresas que fabricam pisos intertravados de concreto e aquelas que souberem aproveitar melhor essa chance terão grande probabilidade de expandir seus negócios”, diz o presidente da BlocoBrasil, enumerando que, além do pavimento intertravado, há boas oportunidades para o setor em obras de infraestrutura – especialmente na área de logística (expansão de terminais de portos, aeroportos e centros de distribuição) – e nas áreas habitacionais.

Neste caso, ele destaca a expansão da alvenaria estrutural, que tem como matéria-prima os blocos de concreto. “Hoje, a alvenaria estrutural com blocos de concreto tem ganhado a adesão de inúmeras construtoras e incorporadoras, que vêm percebendo as vantagens do sistema para obter ganhos técnico-econômicos. Há também o fato de que, cada vez mais, arquitetos e projetistas estruturais aumentam seus conhecimentos a respeito desse sistema construtivo e das possibilidades – de design, de projeto e de produtividade – que ele oferece, concorrendo para sua utilização em edificações para todas as faixas de renda, desde as destinadas aos mercados populares até os de alto padrão. Atualmente, os escritórios de arquitetura mais renomados do Brasil já utilizam a alvenaria estrutural com blocos de concreto em projetos de alto padrão, em diversos estados do país”, resume.

Entrevistado
Marcelo Kaiuca, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Blocos de Concreto (BlocoBrasil)

Currículo
– Empresário do setor e sócio da Multibloco Indústria e Comércio de Artefatos de Concreto, no Rio de Janeiro
– Preside a BlocoBrasil, na gestão 2011-2013
Contato: blocobrasil@blocobrasil.com.br
Créditos foto: Divulgação / BlocoBrasil

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330


Leia também:

1 Comentário