Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Impressora 3D constrói casas com concreto reciclado

Área Técnica, Inovação, Novas Tecnologias, Sobre Concreto, Sustentabilidade 6 de novembro de 2014

Em 24 horas, equipamento produz estruturas para montar dez residências, a um custo de aproximadamente 12 mil reais cada unidade

Por: Altair Santos

As impressoras 3D desembarcaram na construção civil. A empresa chinesa Xangai Winsun Decoração Projeto Co. Engenharia desenvolveu tecnologia para “imprimir” até dez casas em 24 horas. A empresa possui 77 patentes voltadas a materiais de construção, tais como fibra de vidro reforçada com gesso e fibra de vidro misturada ao concreto armado. Neste caso, o grande trunfo é o material utilizado: concreto com agregados recicláveis, o que confere um caráter ambientalmente sustentável à inovação.

Módulos fabricados pela impressora 3D são transportados para o local da obra

A moradia fabricada a partir de tecnologia 3D possui 200 m² e seu processo de construção custa, em média, US$ 4.800 (cerca de R$ 12 mil), sem incluir gastos com mão de obra para montagem, materiais elétricos, hidráulicos e de acabamento. Como esses serviços são baratos na China, o valor da casa totalmente pronta se aproxima dos US$ 10 mil (R$ 25 mil). O equipamento monta as estruturas com uma mistura de concreto autoadensável e fibra de vidro, camada por camada, em um processo semelhante à fabricação de maquetes e protótipos em impressoras 3D.

A empresa com sede em Xangai-China investiu 20 milhões de yuan (US$ 3,2 milhões) em um período de doze anos, desenvolvendo o processo de construção. Ao “imprimir” as casas, o sistema 3D já calcula e marca espaços para instalar encanamento, rede elétrica e outras necessidades de uma habitação.

Segundo o CEO da empresa, Ma Yihe, o desenvolvimento da impressora consumiu a maior parte do tempo do projeto. Foi construída uma máquina que mede 32 metros de comprimento por 10 metros de largura e 6,6 metros de altura, acoplada a uma usina para produzir o concreto. “Nós compramos peças para a impressora no exterior e montamos o equipamento em uma fábrica em Suzhou”, explica Ma Yihe.

Casa montada em poucas horas mede 200 m² e custa metade de um carro popular no Brasil

A Winsun Engenharia agora planeja instalar 100 modelos da impressora em várias regiões da China para construir casas populares, a fim de ajudar a reduzir o déficit habitacional no país. O plano já atraiu parcerias. A gigante chinesa do setor da construção civil, a Tomson Group, está se associando ao projeto para desenvolver edifícios de até cinco pavimentos.

Concorrência dos EUA

Projeto semelhante está em desenvolvimento na University of Southern California (USC), e que foi batizado de Contour Crafting. O avanço da tecnologia norte-americana em relação à chinesa é que ela permite instalar a impressora 3D no canteiro de obras, eliminando o transporte das peças pré-fabricadas até o local. “Em comparação com a construção pré-fabricada, a impressão 3D não é muito mais barata, principalmente quando ela ocorre no local da obra”, avalia o professor Behrokh Khoshnevis, diretor do programa de pós-graduação em Engenharia de Produção da USC.

De acordo com Khoshnevis, esta tecnologia aponta para vários mercados, propiciando a desfavelização em países como Brasil, Índia e China, além de nações africanas. Os primeiros testes com a impressora 3D desenvolvida nos Estados Unidos devem ocorrer em 2015, uma vez que a universidade precisa provar que as suas habitações impressas em 3D cumprem as normas do código de construção dos EUA.

Impressora utiliza concreto com agregados recicláveis para montar os módulos da casa

Já para Ma Yihe, da chinesa Winsun Engenharia, a nova tecnologia estabelece uma espécie de divisor de águas na construção civil. “Estamos vendo nascer um novo modelo de construtora. A que não gera resíduos para fabricar suas edificações. Pelo contrário, recicla tudo. A pasta cimentícia usada como a “tinta” da impressora é uma prova de que é possível”, afirma.

Entrevistados
– Professor Behrokh Khoshnevis, diretor do programa de pós-graduação em Engenharia de Produção da University of Southern California (USC) (via email)
Ma Yihe, CEO da Xangai Winsun Decoração Projeto Co. Engenharia (via email)

Contatos
KhoshnevAT@uscDOT.edu
http://www.bkhoshnevis.com
yhbm@yhbm.com

Ma Yihe, CEO Winsun Engenharia: estamos vendo nascer um novo tipo de construtora

 

Créditos Fotos: Divulgação/Winsun New Materials

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também:

4 Comentários