Impressão 3D surge como solução para habitação social

Experiências na França, em El Salvador e no Haiti apontam que construção civil começa a contar uma nova história

Impressão 3D surge como solução para habitação social

Impressão 3D surge como solução para habitação social 1000 668 Cimento Itambé
Casa com impressão 3D projetada para países com grandes déficits habitacionais pode custar US$ 4 mil. Crédito: Iconbuild

Casa com impressão 3D projetada para países com grandes déficits habitacionais pode custar US$ 4 mil. Crédito: Iconbuild

Em Nantes, na França, a fila da habitação social para famílias com renda mínima começou a andar desde abril de 2018, quando foram entregues as primeiras moradias populares construídas com impressão 3D. O robô Batiprint3D, desenvolvido na Universidade de Nantes, consegue executar a estrutura de uma residência de cinco cômodos em 54 horas. As paredes são erguidas com polímeros e revestidas por placas cimentícias, para garantir conforto térmico e acústico à residência. A casa é impressa no terreno e todo o processo para que fique pronta leva 18 dias.

A impressora Batiprint3D pode ser transportada para o local da obra, o que torna o custo 40% menor que de uma construção convencional. A tecnologia surge como solução para o déficit habitacional em todo o mundo. O mesmo conceito tem sido aplicado em El Salvador, onde 100 residências são erguidas por impressoras 3D. As empresas que dominam essas tecnologias, assim como as universidades que fomentam as pesquisas, estimam que em qualquer lugar do mundo será possível construir casas de interesse social por 4 mil dólares, e entregá-las para moradia em 15 dias.

Francky Trichet, chefe do conselho de Nantes para questões de tecnologia e inovação, avalia que o modelo de impressão 3D para moradias permite começar a contar uma nova história na construção civil. “Durante dois mil anos não houve uma mudança no paradigma do processo de construção. Estamos começando a contar uma nova história. Acabamos de escrever ‘era uma vez…’, mas cabe às empresas privadas assumirem essa narrativa e massificarem a tecnologia”, diz.

Já Benoit Furet, líder do projeto na Universidade de Nantes, afirma que a tecnologia reduzirá o custo de construção em 25% nos próximos cinco anos e 40% nos próximos 10 ou 15 anos. “Isso se deve ao fato de que quanto mais aprimorada a tecnologia ficar mais barata ela se torna e, consequentemente, os custos caem, principalmente se as casas forem construídas em larga escala”, comenta. O professor entende também que, além de modificar a engenharia, a impressão 3D fará também com que a arquitetura reveja seus conceitos. “Ela poderá ser muito mais criativa ao imaginar as formas das casas que vai projetar”, completa.

Projeto viabiliza 100 casas em El Salvador e planeja erguer duas mil residências no Haiti

Residência impressa em Nantes, na França: tecnologia quebra paradigmas da construção civil. Crédito: UIT Nantes

Residência impressa em Nantes, na França: tecnologia quebra paradigmas da construção civil. Crédito: UIT Nantes

Além do projeto desenvolvido em Nantes, a ONG New Story, criada para ajudar a combater o déficit habitacional em países pobres, juntou-se à Icon – empresa de construção e robótica -, para viabilizar um condomínio com 100 residências em El Salvador. O custo de cada moradia é US$ 10 mil e o protótipo foi apresentado na edição 2018 da feira de inovação SXSW, em Austin-Texas. O modelo da casa mede 60 m² e sua estrutura é impressa em 24 horas, usando concreto autoadensável.

A parceria entre a ONG e a Icon trabalha para reduzir o custo de cada moradia para US$ 4 mil, a fim de levar um projeto ousado ao Haiti. A meta é viabilizar duas mil residências no país que desde 2004 vive em clima de guerra civil, e que em 2007 foi atingido por um devastador terremoto de 7.3 na escala Richter. O tremor destruiu cerca de 250 mil moradias no país, cujo déficit habitacional passa das 700 mil unidades.

“Sentimos ser nossa responsabilidade desafiar os métodos tradicionais de construção para acabar com o déficit habitacional. Os atuais nunca vão alcançar os mais de um bilhão de pessoas que hoje precisam de casas seguras”, disse Brett Hagler, CEO da New Story, em nota. “Ao trabalhar com a Icon e criar inovações em impressão 3D, somos capazes de atingir mais famílias, com melhores condições de abrigo, e muito mais rápido”, conclui.

Veja vídeo da casa construída em Nantes, na França


Veja vídeo da casa desenvolvida para projetos em El Salvador e no Haiti 

 

Entrevistado
Departamento de engenharia mecânica e de produção da Universidade de Nantes (
via assessoria de imprensa)
ONG New Story (
via assessoria de imprensa)

Contatos
direction-gmp.iutna@univ-nantes.fr
sarah@newstorycharity.org

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil