Máquinas da linha amarela, distribuídas a municípios com menos de 50 mil habitantes, pararam de ser compradas pelo governo