Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Concreto predomina nos arranha-céus

Área Técnica, Gestão, Mercado da Construção, Sobre Concreto 6 de março de 2014

Em 2013, foram construídos 73 edifícios com mais de 200 metros. Destes, 64% usaram concreto como matéria-prima principal. Estruturas de aço caem em desuso

Por: Altair Santos

A crise internacional que paralisou o mundo em 2008 parece estar próxima do fim. Um dos sinais mais relevantes está na quantidade de edifícios com mais de 200 metros de altura entregues em 2013. Foram 73 prédios, com a China liderando o ranking. Mais da metade das grandes construções imobiliárias do ano passado estão naquele país. São 37, espalhados em 22 cidades chinesas. Por outro lado, Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, continua construindo as edificações mais altas. Em 2013, a cidade recebeu o JW Marriott Marquis Hotel Dubai Tower2, com 355 metros.

O prédio mais alto de 2013 foi o JW Marriott Marquis Hotel Dubai Tower2, em Dubai: 355 metros

Os dados constam do relatório anual divulgado pelo Conselho de Edifícios Altos e Habitat Urbano (CTBUH – Council on Tall Buildings and Urban Habitat). O documento revela que 64% dos maiores edifícios construídos em 2013 tiveram o concreto como matéria-prima principal. Outros 32% foram erguidos com estruturas mistas de aço e concreto. Somente 4% usaram o aço como componente estruturante. Entre as alegações dadas pelos construtores para priorizar o concreto está o fato de que o material atualmente permite edificações mais versáteis e pavimentos com vãos cada vez mais livres.

São características relevantes para o principal propósito dos edifícios com mais de 200 metros, que é servir a objetivos comerciais. Ainda segundo o relatório anual do CTBUH, dos 73 prédios com essas características, 39% tinham funções comerciais, incluindo hotéis, contra 31% residenciais e 30% mistas (comercial e residencial). Outro aspecto que levou à opção pelo concreto é o custo do material e a segurança. Desde o 11 de setembro de 2001, quando um atentado terrorista pôs abaixo as torres gêmeas, em Nova York-EUA, vários estudos apontam que o concreto é mais resistente ao fogo do que o aço.

Segundo projeções do relatório do CTBUH , em 2014 e em 2015 o concreto seguirá dominando as construções dos grandes edifícios, que tendem a ser cada vez mais numerosos pelo mundo afora. Para este ano, a previsão é de que sejam inaugurados até 90 prédios com mais de 200 metros de altura. No ano que vem, estimam-se até 105 conclusões. E as edificações serão cada vez mais altas. O documento avalia que até 2020 o mundo conhecerá o primeiro prédio com um quilômetro de altura.

Há projetos de megatorres em sete países. A China lidera com dez planos para erguer edifícios de até um quilômetro de altura. Em seguida, Coreia do Sul (3), Arábia Saudita (2) e Emirados Árabes Unidos (2). Nas Américas, o país que mais tem erguido prédios com mais de 200 metros de altura é o Panamá. Em 2013 foram dois, com 246 metros e 267 metros. A Cidade do Panamá agora contabiliza 19 prédios classificados como megatorres pelo CTBUH. Já a América do Sul é a região do mundo onde menos se constrói arranha-céus.

Clique aqui e confira a íntegra do relatório do CTBUH.

Entrevistado
Relatório anual do pelo Conselho de Edifícios Altos e Habitat Urbano (CTBUH – Council on Tall Buildings and Urban Habitat)
Contato: info@ctbuh.org

Créditos Fotos: Divulgação/CTBUH

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também: