Trump planeja investir US$ 1,7 trilhão em infraestrutura

Donald Trump no Congresso dos Estados Unidos: pedido de autorização para investir US$ 1,7 trilhão em infraestrutura
. Crédito: Myles Cullen/Casa Branca

Trump planeja investir US$ 1,7 trilhão em infraestrutura

Trump planeja investir US$ 1,7 trilhão em infraestrutura 1024 683 Cimento Itambé

Prioridades são reformas e construções de estradas e pontes, além de recursos para treinar mão de obra e erguer o muro na fronteira com o México

Em seu discurso anual para senadores e deputados, realizado em 30 de janeiro, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu autorização para investir US$ 1,7 trilhão (cerca de
R$ 5,6 trilhões) em infraestrutura, a partir de 2018. O pacote inclui construção e recuperação de estradas e pontes – tanto de transporte rodoviário como ferroviário -, além de dar solvência ao Highway Trust Fund, que permite empréstimos federais para financiar a construção de estradas. O plano de Trump também quer remover “restrições” às parcerias público-privadas, além de dar início à muralha de concreto na fronteira com o México.

Donald Trump no Congresso dos Estados Unidos: pedido de autorização para investir US$ 1,7 trilhão em infraestrutura
. Crédito: Myles Cullen/Casa Branca

Donald Trump no Congresso dos Estados Unidos: pedido de autorização para investir US$ 1,7 trilhão em infraestrutura
. Crédito: Myles Cullen/Casa Branca

A estratégia de Trump é contar com a participação da iniciativa privada em seu projeto de obras. Por isso, o plano promete desonerar o equivalente a US$ 200 bilhões (aproximadamente R$ 700 bilhões) em impostos federais para que o setor privado injete pelo menos US$ 1 trilhão nos investimentos em infraestrutura, promovendo parcerias com os estados. “Todo dólar que ficar livre de impostos federais deve ser alavancado para corrigir permanentemente nosso déficit de infraestrutura. A prioridade é construir novas estradas, pontes, vias férreas e vias navegáveis”, disse.

Outra meta do programa de Trump é treinar a mão de obra da construção civil norte-americana. Com as restrições aos imigrantes, que ocupavam boa parte dos empregos no setor, estima-se que haja atualmente um déficit de 200 mil postos não preenchidos. Para convencer os jovens norte-americanos a trabalharem na construção civil é necessário ter bons salários como contrapartida. Isso só será possível treinando-os, para se adequarem às novas tecnologias e sistemas construtivos. “Vamos abrir escolas profissionalizantes para que nossos futuros trabalhadores possam aprender a arte da construção civil moderna em todo o seu potencial”, discursou Trump.

Problemas e soluções

Outro lado do programa voltado para modernizar a infraestrutura norte-americana dedica financiamento para sistemas de transporte inovadores, como o Hyperloop. O plano tem seis pontos principais, que são:
Incentivos para cidades e estados, a fim de que eles criem fluxo de receita dedicado para seus próprios projetos.
Subsidiar recursos para os estados rurais, principalmente para investimentos destinados ao acesso à banda larga.
Expansão dos programas existentes de empréstimos federais, através da Lei de Finanças e Inovação de Infraestrutura de Transportes (Transportation Infrastructure Finance and Innovation Act [TIFIA]) e do Programa de Financiamento de Reabilitação e Melhoramento de Estradas de Ferro (Railroad Rehabilitation & Improvement Financing [RRIF]).
Investimento em projetos transformadores, como o Hyperloop, que vão precisar de estímulos fiscais para atrair financiamento privado.
Desenvolvimento da mão de obra da construção civil, através de programas que garantam treinamento e preparo para as novas tecnologias e a indústria 4.0.
Desburocratização para a aprovação de projetos voltados a obras de infraestrutura.

Já o que estimula o pacote de Trump são os seguintes pontos avaliados pelo Government Accountability Office (GAO) da Casa Branca, e que detectou os seguintes problemas no país:

– Os Estados Unidos ocupam o 10º lugar no mundo em qualidade da infraestrutura, de acordo com o Fórum Econômico Mundial.
– Uma (1,6 quilômetro) em cada cinco milhas (8 quilômetros) de pavimento de estrada dos EUA está em más condições.
– Desde 2014, os americanos perdem o equivalente a US$ 6,9 ​​bilhões por ano com as horas desperdiçadas em congestionamentos nas estradas.
– Um terço das pontes dos Estados Unidos tem 50 anos ou mais.
– Os Estados Unidos enfrentam cerca de 240 mil interrupções por ano no abastecimento de água, por causa do rompimento de adutoras.
– As licenças ambientais nos EUA duram, em média, sete anos para serem liberadas.

Confira o discurso de Donald Trump no Congresso dos EUA

 

Entrevistado
Reportagem com base no relatório apresentado ao Congresso dos Estados Unidos, durante o discurso de Donaldo Trump, em 30 de janeiro de 2018
Contato: internships@ceq.eop.gov

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil