Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Tecnologia nacional minimiza perda de grãos em silos

Inovação, Novas Tecnologias, Tendências construtivas 4 de outubro de 2017

Revestimento à base de borracha líquida é adaptado às necessidades do agronegócio, para ajudar a combater perdas no armazenamento

Por: Altair Santos

Dados da Embrapa revelam que os produtores de grãos chegam a perder até 15% de seus estoques por causa da armazenagem incorreta da safra. Em silos e armazéns com piso de concreto, um dos problemas mais comuns é o acúmulo de umidade sobre os grãos que ficam em contato com o contrapiso, gerando infecção por fungos e micotoxinas. Para combater esse problema, o agronegócio se juntou à indústria de impermeabilizantes de concreto para minimizar a perda.

Revestimento com borracha líquida impede que grãos umedeçam e contaminem a safra armazenada em silos

Revestimento com borracha líquida impede que grãos umedeçam e contaminem a safra armazenada em silos

Através de testes validados pelo laboratório Falcão Bauer e pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), da USP, chegou-se a um piso impermeável à base de borracha líquida e nanotecnologia. O material, aplicado sobre o contrapiso de concreto, controla o aquecimento dos grãos estocados e minimiza a perda de líquidos – fatores que geram umidade nos silos e a infecção por fungos. Trata-se de uma nova geração de impermeabilizante de borracha líquida, também usado no setor naval e nas indústrias química e automotiva.

Outra conclusão das análises feitas pelo laboratório Falcão Bauer e pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) é que a borracha líquida tem 500% de elasticidade e 95% de memória de recuperação. Isso garante alto desempenho em substratos como concreto, metal e fibrocimento. “Os testes mostraram também que a borracha líquida reflete 90% dos raios ultravioletas, são resistentes à abrasão, ao ozônio, à chuva ácida, à salinidade, além de fungos e bactérias”, diz Elcio Machado, da HM Rubber, que foi quem desenvolveu a tecnologia no Brasil e a apresentou na recente edição do Concrete Show.

O piso à base de borracha líquida ajuda também a evitar a corrosão em silos, já que os grãos estocados liberam o gás fosfina (gás PH3) bastante nocivo às estruturas dos armazéns – principalmente os que usam componentes mistos, como pisos e paredes de concreto, telhados metálicos, ou pisos de concreto e paredes e telhados metálicos. “Os armazéns que conseguem controlar a emissão de fosfina evitam infiltrações indesejáveis, contribuem para a manutenção do empreendimento e melhoram o resultado final da colheita”, afirma Elcio Machado.

Nanotecnologia

Revestimento recobre todo o contrapiso de concreto do silo, para minimizar perdas no armazenamento

Revestimento recobre todo o contrapiso de concreto do silo, para minimizar perdas no armazenamento

A nanotecnologia aplicada no material também foi desenvolvida no Brasil, usando nanolâminas de argila dispersas em borracha. Elcio Machado explica como funcionam: “As lâminas de argila aderem ionicamente ao polímero e funcionam como reforços estruturais. A nanotecnologia também serve para adequar a granulometria ideal na impermeabilização dos materiais suscetíveis à ação da umidade. Sendo borracha, ela precisa manter suas propriedades impermeabilizantes, independentemente das dilatações ou das retrações. É isso que fará o silo se tornar hermeticamente fechado a vazamentos e infiltrações”, diz.

Segundo a pesquisa da Embrapa sobre armazenamento inadequado da produção, além de fungos e micotoxinas, ataques por insetos, pragas e roedores é que levam a perdas de até 15% dos estoques. No entanto, de acordo com o pesquisador Marco Aurélio Guerra Pimentel, da área de entomologia da Embrapa, o armazenamento inapropriado pode trazer perdas ainda maiores para o pequeno produtor. “Nas pequenas propriedades familiares, onde a armazenagem utiliza estruturas rústicas, como paióis de madeira, as perdas causadas podem ultrapassar 40%”, ressalta.

Entrevistado
Administrador de empresas Elcio Machado, diretor-comercial da HM Rubber

Contato
contato@hmrubber.com.br

Crédito Fotos: HMRubber

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também: